Banca de QUALIFICAÇÃO: NAAMA PEGADO FERREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : NAAMA PEGADO FERREIRA
DATA : 20/12/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

UNIDADE DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA INCLUSIVA SOBRE MICRORGANISMOS PARA HIPOACÚSICOS NO ENSINO FUNDAMENTAL


PALAVRAS-CHAVES:

Microrganismos, Concepções alternativas, Surdez, Aprendizagem Significativa Crítica, UEPS.


PÁGINAS: 138
RESUMO:

As dificuldades de aprendizagem são comuns em várias áreas do ensino e pode ter influência direta no processo de ensino aprendizagem dos estudantes, reduzindo o rendimento escolar. O conteúdo de  microrganismos é considerado difícil de aprender e ensinar devido à sua natureza abstrata e complexa, podendo  gerar   concepções alternativas que se perpetuam durante a vida do educando, sendo prejudicial ao entendimento de alguns fatos e conceitos científicos relevantes. O processo de inclusão propicia a eliminação de barreiras à aprendizagem de estudantes surdos, por exemplo, porém ainda são escassas as estratégias didáticas flexibilizadas em escolas com salas de aulas inclusivas, tornando-se fundamental estudos que contribuam para preencher essa lacuna de valorização da inclusão e o respeito às diferenças. Diante disto, este trabalho surge da seguinte questão: Quais as possíveis contribuições de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa-UEPS sobre microrganismos, com flexibilização para surdos, para aprendizagem e superação de concepções alternativas destes estudantes em salas de aulas inclusivas? Diante desta questão, acredita-se, que: (i) os surdos apresentam mais concepções alternativas sobre microrganismos do que os ouvintes, e, por apresentarem memória visual mais acentuada, possivelmente apresentam maior dificuldade de aprendizagem em relacionar os microrganismos às suas funções do que identificá-los; (ii) a produção e utilização da UEPS sobre microrganismos  com flexibilização para surdos contribui positivamente para a aprendizagem  significativa crítica e superação de dificuldades de aprendizagem de estudantes surdos e ouvintes. Para testar estas hipóteses definimos como objetivo geral:  Contribuir com a aprendizagem inclusiva e mais significativa de estudantes surdos no ensino de ciências nas séries finais do fundamental, a partir da proposição de uma UEPS sobre microrganismos  como material instrucional e como  objetivos específicos: (i) Identificar as concepções alternativas de estudantes surdos e ouvintes sobre microrganismos;  (ii) Identificar as percepções e  dificuldades de  professores da rede pública de Natal, sobre  o ensino de microrganismos nas séries finais do ensino fundamental; (iii) Avaliar  a contribuição de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa-UEPS sobre microrganismos, com flexibilização para surdos, para uma aprendizagem significativa crítica e superação de dificuldades  de estudantes surdos e ouvintes, em salas de aulas inclusivas nas séries finais do fundamental; (iv) investigar o potencial da UEPS para romper às barreiras de aprendizagem sobre microrganismos em estudantes, tornando a aprendizagem mais crítica e significativa;(v) produzir material instrucional inclusivo para surdos sobre microrganismos, como vídeoaulas e jogo como estratégia didática  na UEPS. Os sujeitos da pesquisa são estudantes surdos e ouvintes de turmas do 6º e 9º ano de uma escola pública, localizada em Natal/RN. A análise dos dados é realizada de forma qualitativa e quantitativa. Os alunos foram avaliados por entrevistas semiestruturadas, figuras e questionamentos com a ajuda de um professor intérprete para corroborar com a clareza e subjetividade das respostas. Os resultados foram categorizadas em cinco níveis de entendimento conceitual: sem compreensão (SC); compreensão parcial (CP); compreensão coerente (CC); compreensão incoerente (CI). Os resultados parciais obtidos sugerem que os estudantes do 6º ano relacionam  microrganismos com sujeira e doenças. Os alunos do  9º ano expressam  os tipos, exemplificam e relacionam os microrganismos a alguns benefícios.  Não houve diferença significativa entre o entendimento dos estudantes surdos e ouvintes. Já os professores de Ciências relataram que as dificuldades de se trabalhar com este público referem-se principalmente a falta de recursos materiais, além da carência formação inicial e continuada adequada. Estes resultados serviram de subsídio para a elaboração da UEPS,  para que os estudantes surdos consigam correlacionar os diferentes microrganismos e sua relevância, numa proposta prioritariamente visual.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2218942 - IVANEIDE ALVES SOARES DA COSTA
Interno - 2525587 - CARLOS NECO DA SILVA JUNIOR
Externo ao Programa - 3315373 - LUZIA GUACIRA DOS SANTOS SILVA
Notícia cadastrada em: 14/12/2017 16:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao