Palestra '100 anos de Mário Schemberg'

Informamos que no dia 11 de setembro de 2014, o Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Naturais e Matemática receberá o professor doutor José Luiz Goldfarb que ministrará a palestra intitulada: " 100 anos de Mário Schemberg". A palestra iniciará às 14 horas no Auditório do Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET).

 

O prof. Dr. José Luiz Goldfarb possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Filosofia e História da Ciência - McGill University, Canadá (1980) e doutorado em História da Ciência pela Universidade de São Paulo (1992). Atualmente é professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, vice-coordenador do Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência para o Biênio 2011/2013 e presidente da Cátedra de Cultura Judaica da PUC SP. É também coordenador do Programa de incentivo à leitura: Rio: uma cidade de Leitores, da Secretaria de Educação da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Assessor da Presidência para comunicação digital e redes sociais da Associação Brasileira 'A Hebraica' de São Paulo. É ainda conselheiro da Biblioteca Haroldo de Campos (Casa das Rosas - Secretaria de Estado da Cultura), membro do conselho deliberativo da Associação Amigos do Museu Judaico de São Paulo, diretor de eventos da Sociedade Brasileira Amigos da Universidade Hebraica de Jerusalém, coordenador do projeto #Rede MIS, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. É também Membro Honorário da Academia Paulista de Educação. Tem experiência na área de História, com ênfase em História das Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: história da ciência e ciência no século XVII, influências herméticas em Isaac Newton, ciência e religião, história da ciência no Brasil; bibliotecas públicas, políticas públicas de promoção do livro e da leitura, judaísmo, cinema, e elaboração, produção, viabilização e implantação de projetos e eventos culturais, e gestão de presença em redes sociais. 

 

RESUMO DA PALESTRA: 


Mário Schenberg – 100 anos

 

 

José Luiz Goldfarb

(PUC-SP)

 

 

            Há cem anos nascia no Recife Mário Schenberg. Filho de imigrantes judeus que deixaram a Europa fugindo de inúmeras perseguições, para buscar novas oportunidades na América do Sul. Garoto precoce, descreve suas primeiras reflexões em Geometria em passeios solitários nas praias pernambucanas. A família, percebendo seu talento intelectual tinha planos de envia-lo para estudar na Europa, mas a crise de 1929 determinou que o jovem iniciasse seus estudos na Escola de Engenharia do Recife. Em 1934 o estudante de engenharia anima-se com a fundação da Universidade de São Paulo deixando Recife. Curiosamente Schenberg, além de transferir-se para a Politécnica, seguindo seu curso de Engenharia, inscreve-se também no curso de Matemática, na recém criada Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo. Assim o jovem oriundo de Pernambuco forma-se em Engenharia e Matemática, ainda que para se tornar muito brevemente um dos maiores físicos da história da ciência no Brasil, de reconhecimento internacional. Esta curiosidade em sua formação pode explicar seu rigor e aprofundamento matemático – na palavra de muitos matemáticos de renome, “um físico, com a rara precisão do matemático” – e ao mesmo tempo seu constante interesse na aplicação da ciência pura, dentro do espírito do engenheiro; colaborou com a Escola Politécnica para a compra do 1o computador da USP.

            Além de Físico que deixou sua marca ao lado de grandes nomes da ciência do século XX (especialmente em astrofísica com o famoso Efeito URCA, homenageando o Cassino carioca), Schenberg teve permanente atuação política sendo eleito duas vezes deputado, para ser cassado, e, posteriormente, perseguido pela Ditadura Militar por sua filiação ao Partido Comunista Brasileiro. Ainda devemos destacar o papel de crítico de arte, pois por mais de 40 anos Schenberg dedicou-se a acompanhar grandes nomes das artes plásticas escrevendo mais de uma centena de textos para catálogos, manifestos, etc. Sem dúvida um homem de múltiplas facetas que destacou-se nas várias áreas em que atuou.

            Meu envolvimento com o Mestre ocorreu na última década de sua vida, quando dediquei-me a editar livros a partir de gravações de conferências e entrevistas com e sobre Schenberg. Foram momentos maravilhosos quando pude conhecer aqui mesmo em São Paulo um dos maiores sábios do século XX. Após sua morte em 1990, transformei os anos de editor de Schenberg em minha tese de doutorado: “Voar também é com os Homens, o pensamento de Mário Schenberg”. Desde então, seja nas minhas atividades como professor de História da Ciência na PUC-SP, seja em minha atuação como incentivador do hábito da leitura, procuro manter viva a memória de uma dos maiores brasileiros de todos os tempos. É o que farei em Natal, apresentando alguns aspectos da jornada deste homem que acreditava em dias melhores para nosso Brasil.

Notícia cadastrada em: 29/08/2014 10:21
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao