Banca de QUALIFICAÇÃO: ADILLA CONCEICAO BRITO DE AZEVEDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ADILLA CONCEICAO BRITO DE AZEVEDO
DATA : 29/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: FACISA
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO CONTEXTO DE TRABALHO, DA QUALIDADE DE SONO E SONOLÊNCIA DIURNA DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO DA REGIÃO DO TRAIRI/RN  
 


PALAVRAS-CHAVES:

Condições de trabalho, Relações socioprofissionais, Organização do trabalho, Ciclo sono/vigília


PÁGINAS: 36
RESUMO:

O trabalho, em seu contexto social e financeiro, vai além de um meio de sobrevivência. Os professores possuem a responsabilidade de tornar os alunos cidadãos capazes de reconhecer e se conscientizar sobre seu próprio papel diante da sociedade. Entretanto, a função docente é relacionada a sobrecarga e condições inadequadas de trabalho, a contexto de violência na escola, entre outros problemas característicos desta profissão. Somado a isso, torna-se cada vez mais comum a presença de problemas de saúde, incluindo os relacionados ao sono. Portanto, considerando esse contexto, o objetivo deste estudo foi avaliar o contexto de trabalho, a qualidade do sono e a sonolência diurna de professores do ensino médio da rede pública de municípios da região do Trairi no interior do Rio Grande do Norte. Para isso, foi realizada a aplicação de uma Ficha de identificação, da Escala de avaliação do contexto de trabalho (EACT), do Índice de qualidade do sono de Pittsburgh (IQSP) e da Escala de sonolência de Epworth (ESE) para 45 professores de ambos os sexos com idade de 39,2 ± 9,2 anos. O contexto de trabalho foi avaliado como crítico para os três fatores da EACT, “Condições de trabalho”, “Organização de trabalho” e “Relações socioprofissionais”, assim como a maioria dos itens relacionados a estes fatores, tais como, condições de trabalho precária, ambiente físico desconfortável, ritmo de trabalho, tarefas cumpridas sobre pressão, autonomia inexistente e comunicação chefia subordinado. Além disso, 75,6% dos professores apresentaram qualidade de sono como ruim e 60% pouca sonolência diurna. Com relação às médias da qualidade do sono e sonolência diurna de acordo com a avaliação do contexto de trabalho, houve apenas tendência dos professores que avaliaram o fator “Relações socioprofissionais” como crítico, apresentarem uma má qualidade do sono em relação aos que avaliaram como satisfatório. Estes resultados têm grande importância no conhecimento do contexto de trabalho do professor, reforçando a necessidade de se criar espaços de discussão e possíveis propostas de elaboração de políticas voltadas a esse profissional, que auxiliem no suprimento de necessidades elencadas pelo próprio trabalhador. Além disso, torna-se necessário realizar mais estudos que tentem esclarecer quais os fatores podem estar contribuindo para a má qualidade de sono presente nestes profissionais. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1110960 - JANE CARLA DE SOUZA
Interno - 2724246 - CECILIA NOGUEIRA VALENCA
Interno - 1674532 - DIMITRI TAURINO GUEDES
Externo ao Programa - 3549899 - FABIANA BARBOSA GONCALVES
Notícia cadastrada em: 22/08/2017 15:56
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao