Banca de DEFESA: ALAN DE OLIVEIRA SANTANA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ALAN DE OLIVEIRA SANTANA
DATA : 30/11/2017
HORA: 16:00
LOCAL: Sala B203 do IMD
TÍTULO:

Geração de tutores virtuais para turmas baseadas em PBL


PALAVRAS-CHAVES:

Tutores virtuais, Educação a Distância, Evasão, Educação básica.


PÁGINAS: 110
RESUMO:

Os altos índices de reprovação e evasão em cursos de computação torna-se um fator limitador para o desenvolvimento de diversas áreas profissionais, tornando a oferta de mão de obra especializada escassa. Neste sentido, cursos de desenvolvimento de jogos podem mitigar este fator, pois permitem abstrair as informações e entender onde se aplicada cada conceito estudado de forma lúdica. Neste contexto a utilização do modelo PBL agrega valor por permitir que o estudante aprenda a aprender, desenvolvendo características pessoais de interpretação e resolução de problemas de forma eficiente, além de competências relativas ao trabalho em equipe. Porém, os cursos baseados em PBL possuem turmas reduzidas para permitir que o professor possa auxiliar os alunos de forma mais eficiente. Em contrapartida, esse fator limita a abertura de mais vagas, devido ao custo com professores, materiais por turma, entre outros, tanto na educação presencial quanto a distância. Uma forma de mitigar estes gastos e melhorar a eficiência dos cursos baseados em PBL através de tutores virtuais digitais. Estes tutores apresentam características que simulam um professor e os permitem direcionar e auxiliar os estudantes, todavia, com maior tempo disponível, permitindo que os alunos aprendam em seu próprio ritmo. Neste contexto, observasse que dentro de uma turma, os alunos também apresentam objetivos e capacidades diferentes. Desta forma, o objetivo desta dissertação é propor uma arquitetura de geração de tutores virtuais para diferentes perfis de alunos, para ser aplicado em cursos de programação de jogos baseados no modelo PBL. Para permitir avaliar a demanda e contribuições que esta proposta pode ocasionar, foram realizados estudos afim de levantar os dados necessários para desenvolver os tutores para cada perfil de aluno e avaliar os resultados benéficos que cada tutor permite trazer a cada perfil. Assim o primeiro estudo foi desenvolver uma revisão sistemática da literatura a fim de observar como tutores eram desenvolvidos, principalmente ligados a computação afetiva. Após os resultados deste estudo um protótipo foi desenvolvido para aulas direcionadas e objetivas baseadas em missões (atividades ligadas ao modelo PBL), e contendo no sistema um personagem virtual animado que atual como expositor dos conteúdos. Este protótipo foi aplicado a um experimento com alunos do nível médio que permitiu o desenvolvimento de um novo tutor para um novo perfil de alunos, mais interativo. Este novo protótipo foi desenvolvido baseado no chatbot ALICE e na linguagem AIML. Após a conclusão deste tutor, um experimento foi realizado utilizando ambos tutores para avaliar a proposta de um gerador de tutores para serem aplicados a uma mesma turma. Este experimento foi aplicado a alunos de graduação em licenciatura objetivando permitir que estes professores replicassem o estudo em suas turmas em um futuro próximo. Por fim os dados foram analisados e foi possível responder as questões de pesquisas desenvolvidas durante o estudo. Os resultados apresentados nesta obra, mostraram que os alunos se divertiram durante as aulas, motivadas pelo fator lúdico ligado as aulas de programação de jogos e dos tutores virtuais. Este fator permitiu que os alunos apresentassem bons resultados durante o desenvolvimento dos jogos, com mais de 75% dos alunos concluindo os problemas propostos, com os demais apresentando em torno de 90% de andamento dos problemas. Outro ponto observado foi que as turmas apresentaram distinção de perfil em ordem de 56% para 44% de dispersão entre os tutores que mais se adaptaram a seu perfil. Estes dados sugerem a possibilidade de inserir um gerador de tutores para perfis diferentes de alunos nesta turma, porém, são necessários outros estudos para evidenciar de forma mais contundente este dado apresentado. Em geral os tutores tornaram as aulas mais dinâmicas e produtivas mostrando-se excelentes ferramentas de suporte aos alunos no desenvolvimento de jogos baseados em PBL.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1671962 - EDUARDO HENRIQUE DA SILVA ARANHA
Interno - 2195240 - MARCIA JACYNTHA NUNES RODRIGUES LUCENA
Externo à Instituição - ROBERTO ALMEIDA BITTENCOURT - UEFS
Notícia cadastrada em: 29/11/2017 10:49
SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2019 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao