Dissertações/Teses

Clique aqui para acessar os arquivos diretamente da Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFRN

2018
Dissertações
1
  • RAUL ELTON ARAÚJO BORGES
  • O BLOG DEVERIA SER COMPLEMENTO DAS TARVS”: DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA, COMPARTILHAMENTO DE INFORMAÇÕES E A EXPERIÊNCIA COM O HIV/AIDS

  • Orientador : LUCAS PEREIRA DE MELO
  • Data: 19/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Os blogues produzidos por pessoas que vivem com adoecimentos e sofrimentos de longa duração podem fornecer ricas descrições de práticas, costumes e percepções sociais do processo saúde-doença. Dessa forma, esse espaço virtual pode se configurar como um novo cenário de promoção da saúde, de compartilhamento de informações e de experiências com a enfermidade. Diante disso, o objetivo do estudo foi analisar os saberes e as experiências compartilhadas virtualmente em um blogue brasileiro sobre HIV/aids. Trata-se de um estudo socioantropológico de natureza qualitativa, realizado através de etnografia virtual e análise documental. Utilizou-se como fonte de dados 42 postagens feitas pelo autor no período de janeiro de 2014 a julho de 2016, publicadas na sessão “Artigos” do blogue. Os dados incluíram, além dos textos produzidos pelo blogueiro, os 4.670 comentários dos visitantes da página. Os mesmos foram registrados em planilhas e tabelas e, posteriormente, analisados pela técnica de codificação temática. Da análise temática do material empírico emergiram três categorias: (1) “peguei meu ‘reagente’ e estou dissecando este blog”: o blogue como porta de entrada ao mundo social do HIV/aids; (2) “fique tranquilo, com esses resultados você está muito bem”: divulgação, compartilhamento de informações e o aprimoramento da vida com HIV/aids; e, (3) “eu nunca vi tanta heresia em um só post”: sobre os conflitos e as resistências no blogue. As narrativas evidenciaram um “ritual de iniciação” ao mundo social do HIV/aids, mediado pela virtualidade, para os seguidores recém-diagnosticados, forjados a partir da experiência dos veteranos no blogue. Nesse sentido, destaca-se a medicalização social presente nos discursos do blogueiro e dos visitantes da página, fortemente direcionada à adesão ao tratamento e ao sexo dito “seguro”. Além disso, os comentários às postagens do autor produzem um ambiente de divulgação, compartilhamento de informações e experiências que auxiliam no processo de normalização da vida com o HIV/aids. Nesse sentido, observa-se novos modos de subjetividades e redes de “produção/consumo” de informações científicas a partir da experiência no blogue, que são fundamentais na construção de uma vida “aprimorada” com a enfermidade. No entanto, a medicalização dos discursos pode ser inclusiva para uns, mas exclusiva para outros. 

2
  • LUÍZA DE MARILAC ALVES DA FONSÊCA
  • TRADUÇÃO, ADAPTAÇÃO CULTURAL E PROPRIEDADES PSICOMÉTRICAS DA HURT INSULT THREATENED SCREAM PARA RASTREIO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA IDOSOS NO BRASIL

  • Orientador : NUBIA MARIA FREIRE VIEIRA LIMA
  • Data: 23/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: A literatura científica tem mostrado limitações na produção de instrumentos de rastreio para violência contra o idoso no contexto brasileiro. Atualmente, esse tipo de estudo tem sido pouco abordado na realidade do contexto brasileiro, no que concerne à adaptação transcultural de instrumentos destinados a população idosa. A HITS- Brasil trata-se de um instrumento de rastreio breve da violência doméstica contra a pessoa idosa, que pode ser utilizado em contextos clínicos e domiciliares, objetivando a constatação do risco de violência. Este estudo por se tratar da tradução e adaptação e validação de um instrumento que não possui origem nem validação brasileira seguiu critérios metodológicos rigorosos no intuito de garantir ampla confiabilidade e posteriormente ser aplicado e utilizado por outros pesquisadores para rastreio de VD contra o idoso. OBJETIVO: Este estudo teve como objetivo traduzir, adaptar e avaliar as propriedades psicométricas (validade e confiabilidade) do instrumento Hurt Insult Threatened Scream (HITS) para o rastreio da violência doméstica contra idosos. MÉTODO: Estudo de tradução, adaptação e validação. Foram recrutados, de forma aleatória 30 idosos para a fase de equivalência operacional e 48 idosos com idade entre 65 a 80 anos ou mais de ambos os sexos, a média de idade para as duas etapas foi de 70,8 anos levando em consideração os dois grupos. Dados sobre variáveis sociodemografica, capacidade cognitiva e aplicação da HITS foram coletados. Para análise dos resultados foi utilizado a estatística descritiva e inferencial, para etapa da equivalência operacional foi avaliada a equivalência dos itens que aconteceu em cinco etapas que avaliou as equivalências semântica, idiomática, experimental e conceitual para o contexto brasileiro. Após esse processo foi dado início a etapa de equivalência de mensuração que buscou avaliar a validade e confiabilidade nos 48 idosos. RESULTADOS: O estudo cumpriu as cinco etapas do processo de tradução e adaptação transcultural da HITS, sendo elas: traduções, retrotraduções, síntese das traduções, análise da equivalência semântica, idiomática, experiencial e conceitual por um comitê de experts e pré-teste em 30 idosos, o qual foi seguido de ajustes da linguagem e conceitos, alcançando a forma final do instrumento, nomeado HITS-Brasil. Os valores obtidos através do Coeficiente do alfa de Cronbach mostraram resultados de aceitáveis para todos os itens (item 1: 0,80 ; item 2: 0, 75; item 3: 0,80 e item 4:0,68). Na análise da concordância interexaminador tivemos boa concordância para os itens 1 e 2 e baixa concordância pra os itens 3 e 4 da escala. Consideramos que a baixa concordância nos itens 3 e 4  não implicaria de forma negativa no coxtexto geral da escala, uma vez que temos uma alta confiabilidade pelo alfa de cronbach. CONCLUSÃO: Em sua versão final, a HITS-Brasil obteve índice de fidedignidade alto para os quatro itens quando avaliado a sua consistência interna, indicando que os resultados são satisfatórios.

3
  • HARYELLE NARYMA CONFESSOR FERREIRA
  • PERFIL DE FUNCIONALIDADE E DEFICIÊNCIA DE CRIANÇAS COM MICROCEFALIA ASSOCIADA À INFECÇÃO CONGÊNITA DO ZIKA VÍRUS 

  • Orientador : EGMAR LONGO HULL
  • Data: 26/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O aumento do número dos casos de microcefalia no Brasil e sua associação com o Zika vírus (ZIKV) constituem-se como um problema de saúde pública de preocupação internacional. O modelo da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF) surge como uma ferramenta potente, tornando-se de extrema relevância no manejo da deficiência. Objetivo: Descrever o perfil de funcionalidade de crianças com microcefalia associada ao ZIKV em dois estados do Nordeste do Brasil. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo do tipo transversal. As características sócio demográficas, perímetro cefálico e outros dados clínicos foram coletados através de prontuários, exames físicos, instrumentos de medida e entrevistas, com as crianças e seus respectivos pais. Foi utilizada a versão brasileira, em português, do core set da CIF para Paralisia Cerebral (PC). Cada categoria da CIF recebeu um qualificador, que variou de 0 a 4 (nenhuma deficiência, deficiência leve, deficiência moderada, deficiência grave, deficiência completa). Para os fatores ambientais, 0 representa nenhuma barreira e 4, uma barreira completa; +0, nenhum facilitador e +4, um facilitador completo. Resultados: Foram recrutadas 34 crianças com microcefalia causadas por ZIKV (18 meninas e 16 meninos) em quatro serviços de reabilitação no Rio Grande do Norte e Paraíba, Brasil. A idade média dos participantes foi de 21 meses, os escores Z do perímetro cefálico variaram de 0,92 a -5.51. O perfil de funcionalidade revelou deficiência completa na maioria das categorias de funções corporais (b). As áreas de atividades e participação (d) foram altamente impactadas, em particular, nas categorias relacionadas à mobilidade. Em relação aos fatores ambientais (e), a maioria da amostra relatou facilitador completo para família nuclear, amigos e, serviços, sistemas e políticas de saúde, bem como barreira completa para atitudes sociais. Conclusão: Este é o primeiro estudo que descreve o perfil de funcionalidade de crianças com microcefalia por ZIKV, utilizando uma ferramenta baseada na CIF, no Brasil. Nossas descobertas, reforçam a necessidade de maximizar os cuidados de saúde e o acesso à informação - com base na CIF - para equipes multiprofissionais, gestores, familiares e crianças. A assistência em saúde para o público alvo deve ser centrada na família, considerando os fatores ambientais modificáveis e destacando objetivos funcionais, a fim de garantir níveis ótimos de participação nas atividades domésticas, escolares e comunitárias em nossa região.

4
  • LUANA CAROLINE DE ASSUNÇÃO CORTEZ CORRÊA
  • A INCONTINÊNCIA URINÁRIA É ASSOCIADA AO DECLÍNIO NO DESEMPENHO FÍSICO EM IDOSAS RESIDENTES NA COMUNIDADE - RESULTADOS DO INTERNATIONAL MOBILITY IN AGING STUDY (IMIAS)

  • Orientador : SAIONARA MARIA AIRES DA CAMARA
  • Data: 26/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Com o envelhecimento, mulheres apresentam pior desempenho físico quando comparadas aos homens em idades semelhantes, sugerindo que existem fatores relacionados ao sexo ou gênero, como as variáveis de história reprodutiva, que podem explicar tais diferenças. A alta paridade e a idade materna precoce estão relacionadas com a ocorrência de alterações uroginecológicas, tais como a Incontinência Urinária (IU), e também é conhecido que mulheres que tiveram muitos filhos e/ou foram mães na adolescência apresentam piores condições de saúde na velhice, incluindo pior desempenho físico. Hipotetiza-se que a mulheres que reportam IU apresentam pior desempenho físico e uma redução mais acentuada deste com o passar dos anos. No entanto, há uma lacuna na literatura para comprovar tais hipóteses. Objetivos: Avaliar se há uma relação entre a incontinência urinária e o desempenho físico em mulheres idosas de cinco localidades com diferentes condições socioeconômicas e avaliar a influência da incontinência urinária na mudança de desempenho físico ao longo de um período de dois anos. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional longitudinal derivado do International Mobility in AgingStudy (IMIAS),realizado nas cidades de Saint–Hyacinthe (Quebec, Canadá), Kingston (Ontário, Canadá), Manizales (Colômbia), Tirana (Albânia) e em Natal (Brasil). Neste estudo, aproximadamente 200 mulheres idosas (65 e 74 anos) de cada localidade, residentes na comunidade, foram avaliadas nos anos de 2012, 2014 e 2016. A presente pesquisa apresenta os dados coletados em 2014 e 2016. Para avaliação foram coletados dados socioeconômicos, medidas antropométricas e história reprodutiva. O desempenho físico foi avaliado através da Short Physical Performance Battery (SPPB) seguindo um protocolo padronizado que mede o  equilíbrio, a marcha e força dos membros inferiores. O escore final da SPPB é uma soma dos pontos de cada teste, variando de 0 a 12 pontos (4 pontos para cada teste). A incontinência urinária foi avaliada por meio de autorrelato de episódios de perda involuntária de urina na última semana, e classificada como “nenhum nos últimos 7 dias” e “algum nos últimos 7 dias”. A relação transversal entre IU e SPPB foi avaliada pela análise de regressão linear múltipla. A avaliação do efeito longitudinal da IU sobre o escore da SPPB ao longo de 2 anos foi avaliada por meio de análise de modelos lineares mistos. Em ambas as análises, foram consideradas como covariáveis: idade, local de estudo, educação, suficiência de renda e paridade. Resultados: A amostra foi composta por 915 mulheres com média de idade de 71,2 (±2,88). A prevalência da incontinência urinária variou de 11,4% (Natal) e 30,7% (Kingston). As mulheres que relataram alguma perda de urina apresentam média da SPPB significativamente inferior do que as demais, mesmo nos modelos completamente ajustados (β =0,469; p=0,009). Além disso, elas apresentam uma redução significativamente mais acentuada no escore da SPPB ao longo de dois anos que as mulheres que não reportaram IU. Conclusão: A IU esta associada com piores resultados na SPPB e influencia negativamente no desempenho físico ao longo de dois anos, uma vez que as mulheres com IU apresentam um declínio mais acentuado do desempenho físico neste período. Esses achados servem de base para o planejamento e aplicação de intervenções precoces para melhorar o perfil de envelhecimento das mulheres e a qualidade de vida dessa população. 

5
  • RENATA FONSÊCA SOUSA DE OLIVEIRA
  • MELHORIA DO ACESSO E DA QUALIDADE DA ATENÇÃO BÁSICA: ENTRE VOZES E OLHARES

  • Orientador : CECILIA NOGUEIRA VALENCA
  • Data: 26/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • INTRODUÇÃO: Para fortalecer a Política Nacional de Atenção Básica, no ano de 2011 foi instituído o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ/AB) com o intuito de mobilizar atores locais, qualificar as práticas de gestão, ampliar o acesso e induzir mudanças nas condições de funcionamento dos serviços de saúde. OBJETIVO: Analisar a percepção de gestores municipais de saúde e trabalhadores da atenção básica acerca do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo do tipo descritivo e exploratório, com abordagem qualitativa. Incluíram-se no estudo gestores ou integrantes da gestão municipal de saúde responsáveis pela condução do PMAQ nos municípios investigados, assim como trabalhadores da APS de nível superior, pertencentes a ESF que tenham participado do 2º ciclo do PMAQ, em 2014. Participaram do estudo um total de 43 sujeitos, dos quais foram 6 gestores e/ou representantes da gestão e 36 profissionais da Atenção Básica. Para a coleta de informações, foram utilizadas duas técnicas: o grupo focal e a entrevista semiestruturada. Assim, durante a análise, emergiram três núcleos temáticos: Vozes e olhares acerca do PMAQ”; “Impactos produzidas nos serviços de saúde a partir da vivência no PMAQ: entrelaçando múltiplos olhares” e “Fragilidades do PMAQ: O caminhar para avançar”. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Faculdade de Ciências da Saúde/ FACISA, tendo como número de Parecer 1.707.601. RESULTADO E DISCUSSÃO: O PMAQ caracteriza-se como um instrumento orientador das ações e serviços de saúde, favorecendo o norteamento, aprimoramento e introduzindo mudanças no processo de trabalho. Alguns desafios apresentados foram insatisfação na alocação dos incentivos financeiros provenientes do programa, aumento de tarefas e descontinuidade das ações praticadas. Conclusão: O PMAQ permitiu subsidiar a coprodução de novos arranjos e redirecionamentos para o fortalecimento dos programas pertencentes à Atenção Básica em Saúde.

6
  • ADILLA CONCEICAO BRITO DE AZEVEDO
  • Avaliação do Contexto de Trabalho, Qualidade de Sono e Sonolência Diurna de Professores do Ensino Médio da Rede Pública no Interior do Rio Grande do Norte

  • Orientador : JANE CARLA DE SOUZA
  • Data: 28/02/2018
  • Mostrar Resumo
  • O trabalho, em seu contexto social e financeiro, vai além de um meio de sobrevivência. Os professores possuem a responsabilidade de contribuir para que os alunos se tornem cidadãos capazes de reconhecer e se conscientizar sobre seu próprio papel diante da sociedade. Entretanto, a função docente é relacionada à sobrecarga e condições inadequadas de trabalho, a contexto de violência na escola, entre outros problemas característicos desta profissão. Somado a isso, torna-se cada vez mais comum a presença de problemas de saúde, incluindo os relacionados ao sono. Portanto, o objetivo principal deste estudo foi avaliar o contexto de trabalho, os horários e qualidade de sono, e a sonolência diurna de professores do ensino médio da rede pública da região do Trairi do Rio Grande do Norte. Além disso, o objetivo secundário foi avaliar a relação entre o contexto de trabalho com a qualidade de sono e sonolência diurna destes professores. Para isso, foi realizada a aplicação de uma Ficha de identificação; da Escala de avaliação do contexto de trabalho (EACT), a partir de fatores, condição do trabalho (F1), organização do trabalho (F2) e relações socioprofissionais (F3); do Índice de qualidade do sono de Pittsburgh (IQSP) e da Escala de sonolência de Epworth (ESE) para 61 professores de ambos os sexos com idade de 39,7 ± 9,2 anos. Os fatores “condições de trabalho” e “organização do trabalho” foram avaliados como crítico/grave pela maioria dos professores, enquanto as “relações socioprofissionais” foi considerada satisfatória pela metade da população do estudo. A maioria dos itens relacionados a estes fatores foram avaliados como crítico/grave, tais como, condições de trabalho precária, ambiente físico desconfortável, ritmo de trabalho, tarefas cumpridas sobre pressão, autonomia inexistente e comunicação pobre entre chefia e subordinado. Além disso, 69% dos professores apresentaram má qualidade de sono e 49% sonolência diurna excessiva. Com relação à qualidade do sono de acordo com a avaliação do contexto de trabalho, observou-se que os professores que avaliaram as relações socioprofissionais como crítico/grave (mean rank 36,11) têm maior chance de ter uma má qualidade de sono em relação aos que avaliaram como satisfatório (mean rank 26,94 - U = 321, p < 0,05). Com relação ao sexo, a má qualidade de sono está presente em 69% de ambos os sexos (X² = 0,00; p > 0,05), enquanto que a sonolência diurna excessiva é mais frequente nas mulheres (55%) em relação aos homens (44% - X² = 4,88; p < 0,05). A hora de deitar dos professores foi em média às 23:26 ± 1:25h, a hora de acordar às 6:06 ± 1:16h e as horas de sono dormidas durante a noite foram 6:10 ± 1:07h. Através do teste de Mann-Whitney percebe-se que os professores com pior qualidade de sono (mean rank 26,56) dormem 36 minutos a menos (5:58 ± 1:06h) do que os professores com boa qualidade (6:34 ± 1:04h; mean rank 35,53 – U = 256,00; p < 0,05). Estes resultados têm grande importância no conhecimento do contexto de trabalho do professor, reforçando a necessidade de se criar espaços de discussão e possíveis propostas de elaboração de políticas voltadas a esse profissional, que auxiliem no suprimento de necessidades elencadas pelo próprio trabalhador. Além disso, torna-se necessário realizar mais estudos que tentem esclarecer quais fatores relacionados ao contexto de trabalho podem estar contribuindo para a má qualidade de sono e sonolência diurna presente nestes profissionais.

7
  • JANAINA GOMES DE PAIVA AMORIM
  • ACHADOS INTRAORAIS EM CRIANÇAS COM MICROCEFALIA POR INFECÇÃO PELO ZIKA VÍRUS: ESTUDO TRANSVERSAL OBSERVACIONAL

  • Orientador : KLAYTON GALANTE SOUSA
  • Data: 29/05/2018
  • Mostrar Resumo
  • Microcefalia é definida como anomalia de desenvolvimento caracterizada pela diminuição do perímetro cefálico, com alterações anátomo funcionais, de etiologia complexa e multifatorial. Evidências científicas apontam a possível associação entre o surto de microcefalia em recém-nascidos com infecção pelo Zika vírus (ZIKV). Metodologia: o presente estudo é de caráter transversal, observacional, com o objetivo de avaliar estruturas orais em crianças com diagnóstico de microcefalia por infecção congênita pelo ZIKV. Foram realizados exames clínicos odontológicos em dois grupos, um composto por oito crianças com microcefalia pela infecção pelo ZIKV e outro com vinte e quatro crianças que não apresentam infecções congênitas, todas residentes na V Região de Saúde do Rio Grande do Norte. Os dados clínicos e sócio econômicos foram anotados em fichas padronizadas e tratados por testes estatísticos não paramétricos a partir da Odds ratio na análise bivariada no Teste Exato de Fisher. Resultados: As crianças do grupo 1 apresentaram perímetro cefálico menor, maior frequência de respiração tipo mista, bruxismo e tiveram experiências odontológicas anteriores quando comparadas ao grupo 2. Conclusões: os achados apresentam características odontológicas e sócio econômicas que reforçam a necessidade de planejar e promover ações de saúde na rede de atenção à criança microcéfala por infecção pelo ZIKV.

8
  • THAÍS LORENA BARBOSA DE FRANÇA
  • Crescimento e desenvolvimento de crianças com microcefalia associado a Síndrome Congênita do Zika vírus no Brasil

     

     

  • Orientador : KLAYTON GALANTE SOUSA
  • Data: 18/06/2018
  • Mostrar Resumo
  • A infecção causada pelo Zika vírus (ZIKV) é descrita usualmente com um quadro clínico leve. Entretanto, durante o surto de ZIKV na América Latina no período de 2015-2016, um aumento repentino no número de manifestações graves e casos de alterações congênitas em recém-nascidos foram relatados. Este é o primeiro estudo que avaliou e comparou o crescimento e desenvolvimento cognitivo e motor de crianças com microcefalia por Síndrome Congênita da Zika (SCZ) em relação às crianças típicas. Estudo observacional, analítico, transversal, com 24 crianças de uma região do nordeste brasileiro. As crianças com SCZ apresentaram média baixa no desempenho motor global e cognitivo e desvio de crescimento nas medidas de perímetro cefálico e peso corporal. Considerando os valores médios, as crianças típicas apresentaram bom desempenho motor global e cognitivo e medidas antropométricas adequadas. Portanto, as crianças com SCZ estão em risco de atraso de crescimento e desenvolvimento em comparação com as crianças típicas.

9
  • JOSE LENARTTE DA SILVA
  • PERCEPÇÃO DA GESTANTE SOBRE SUA FAMÍLIA E GESTAÇÃO POR MEIO DO MODELO CALGARY E DA HERMENÊUTICA

  • Orientador : RAFAELA CAROLINI DE OLIVEIRA TAVORA
  • Data: 06/07/2018
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O período gestacional envolve mudanças em diferentes aspectos, demostrando que os cuidados pré-natais devem ultrapassar a dimensão biológica. Objetivo: Compreender a percepção da gestante sobre sua família e gestação por meio do modelo Calgary e da Hermenêutica. Método: É um estudo, descritivo, exploratório, do tipo qualitativo, realizado com gestantes e suas famílias em uma Unidade Básica de Saúde, do município de santa Cruz/RN, cuja amostra foi definida pelo método de saturação. Foram realizadas três oficinas temáticas, aplicando as técnicas do genograma e ecomapa, dinâmicas de grupo para compreender as relações interpessoais entre as gestantes e suas famílias. As entrevistas semiestruturadas  passaram por uma análise utilizando a hermenêutica dialética de Habermas, com síntese dos processos compreensivos e críticos. Resultados: Constituíram-se as categorias: “Minha família”, “Sentimentos positivos” , “Sentimentos negativos” . Ainda construindo também as representações gráficas (genograma) de cada família, além de identificar as relações de apoios e/ou de conflito (ecomapa). Discussão: Verificam-se relações familiares de apoio e conflito. O genograma possibilitou visualizar as composições das famílias. Enquanto o ecomapa permitiu analisar as diversas relações contidas nos supra-sistemas e sistemas, através dos feedebacks, do processo de auto-regulação.  Analisaram-se as falas das gestantes através dos conceitos do Modelo Calgary de Avaliação Familiar e da Hermenêutica-dialética. Percebeu-se que as gestantes pertenciam mesmo núcleo familiar, mas vivam o mundo de vida diferentes sistemas e subsistemas. O processo de comunicação, diante dos temas abordados, foi permeado por linguagens perturbadas, entretanto, sendo possível compreendê-las e discuti-las. Considerações finais: O apoio familiar tornou o caminhar da gestação emocionalmente. As que não o receberam de imediato experimentaram o equilíbrio das relações com o passar dos dias. Dessa forma, as mulheres grávidas puderam sentir-se mais confiantes, certamente neste processo o diálogo foi fundamental para o êxito. Ainda são necessários estudos que apontem caminhos para sanar os conflitos e desafios surgidos a partir da gravidez.

10
  • MOAN JÉFTER FERNANDES COSTA
  • Avaliação da saúde bucal autopercebida e clínica e das disfunções temporomandibulares de idosos institucionalizados e residentes nas comunidades urbanas e rurais do interior da paraíba

  • Orientador : MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • Data: 02/08/2018
  • Mostrar Resumo
  • Objetivo: Avaliar a autopercepção de saúde bucal nas dimensões físicas, psicossociais e dor/desconforto atreladas às condições clínicas e dores orofaciais de idosos institucionalizados, residentes na zona urbana e zona rural no interior da Paraíba. Método: Estudo observacional, transversal, abordagem quantitativa, base populacional e amostragem não probabilística por conveniência entre 81 idosos: 27 residentes em instituição de longa permanência e os demais pareados por sexo e idade entre zona urbana (n=27) e rural (n=27). Utilizou-se o GOHAI (Geriatric Oral Health Assessment Index) para avaliação da autopercepção da saúde bucal na qualidade de vida, o QST/DTM (Questionnaire For Screening Of Patients With Temporomandibular Disorders) para as influências das dores orofaciais e os índices de biofilme em dente proposto por Silness e Loe e em próteses por Ambjornesen. Resultados: Predominância do sexo feminino (74,1%), sendo 77,8% destes nascidos na cidade de Cuité-PB e maior frequência (32,1%) de idade apontando para a faixa etária de 60-65 anos. A frequência do GOHAI relacionada a alta percepção obteve maior frequência entre a zona urbana (77,8%) e menor frequência (66,7) na zona rural, com p-valor 0,004, mostrando diferença estatística entre os locais de moradia. No QST/DTM, todas as frequências apontaram a maioria dos indivíduos como não portadores, porém com uma relação estatística ligada ao sexo (p=0,007) e a renda (p=0,002). As maiores frequências para a análise do biofilme se relacionaram com a presença deste em dentes ou prótese, com maior frequência ligada aos moradores da zona rural, 84,6%. Conclusão: Houve diferença entre as amostras relacionadas a autopercepção e o local de moradia, mostrando os idosos com ótima saúde oral relatada, não consistente com a condição clínica encontrada, mostrando a secundarização dos problemas de saúde bucal.

     

2017
Dissertações
1
  • FRANCISCO ASSIS VIEIRA LIMA JUNIOR
  • ZIKA VÍRUS X ANOMALIAS CONGÊNITAS: DA AUDIÊNCIA PRESUMIDA AOS DADOS REAIS DA DISTRIBUIÇÃO TEMPORO-ESPACIAL NO RIO GRANDE DO NORTE

  • Orientador : SILVANA ALVES PEREIRA
  • Data: 20/11/2017
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: Apesar da cobertura midiática trazer a certeza de uma relação entre o ZIKV e microcefalia em recém-nascidos, configurando um aumento no agrupamento das anomalias congênitas no Nordeste brasileiro, sugere-se que a incidência de anomalia congênitas no Rio Grande do Norte não seja diferente quando comparada a sua distribuição espacial antes e após ZIKV, isso porque fatores como os ambientais, socioeconômicos e biológicos podem contribuir para a permanência de  uma alta incidência no estado. O objetivo do presente estudo é analisar a distribuição temporo-espacial das taxas de incidência de anomalias congênitas no Rio Grande do Norte, antes e após a epidemia ZIKV através de uma análise geoestatística e correlação com os determinantes sociais em saúde  Metodologia: trata-se de um estudo ecológico, retrospectivo que avaliou os casos notificados de anomalias congênitas no Rio Grande do Norte agrupando em dois biênios (2005-2006 e 2016-2016), configurando períodos antes e após a epidemia de ZIKV através de uma análise espacial, cujos dados foram agrupados no SPSS 13.0 e analisados no TERRAVIEW versão 4.2.2. Resultados: A taxa de anomalias congênitas no período pré-ZIKV foi de 6,2 casos/1.000 nascidos vivos e no período pós-ZIKV aumentou para 13,95 casos/1.000 nascidos vivos, resultado do aumento dos casos notificados. Foi visualizado no cartograma de distribuição que a mesorregião Agreste Potiguar é a que possui maior número de casos notificados de ZIKV assim como é a região que concentra maior número de casos de anomalias congênitas no período estudado. Discussão: A distribuição espacial de anomalias congênitas no estado do Rio Grande do Norte não apresentou mudanças após a epidemia de ZIKV, sendo abordado por diversos autores que outros fatores podem estar relacionados com a distribuição de anomalias, em especial os determinantes sociais em saúde. Além disso, a mídia é um grande influenciador da população, assim como nas decisões governamentais frente ao sistema único de saúde. Conclusão: O presente estudo revelou que as anomalias congênitas sempre estiveram presentes no estado e nenhuma outra ação foi suscitada com tamanha importância como no período ZIKV. Estratégias para minimizar os casos de anomalias congênitas através de ações de planejamento familiar, controle da idade materna, programas de vacinação, controle na venda de medicamentos abortivos, combate ao consumo de drogas, álcool e fumo podem facilmente ser desenvolvida e ganhar adesão midiática, fato que nem sempre é percebido.

2
  • ISABELLE FERREIRA DA SILVA SOUZA
  • AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA E NUTRIENTES DE IDOSAS COM E SEM DOR NOS JOELHOS RESIDENTES NA COMUNIDADE

     

     

  • Orientador : MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • Data: 01/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: O aumento da expectativa de vida suscitou os novos desafios de saúde pública na população, como as doenças crônicas. Dentre as principais doenças crônicas osteoarticulares, podemos citar a osteoartrite (OA) de joelhos, caracterizada principalmente pela dor nos joelhos, o que limita a realização das atividades diárias. Neste contexto, a literatura sugere existir correlação positiva entre o desenvolvimento da OA de joelhos e a obesidade, ademais, o excesso de peso é um dos fatores modificáveis mais significativos no agravamento dos sintomas. Desta forma, torna-se relevante averiguar se idosas com dor nos joelhos comparadas às idosas assintomáticas, apresentam diferenças no consumo alimentar. Objetivo: Avaliar a ingestão habitual de energia e nutrientes de idosas com e sem dor nos joelhos, residentes em Santa Cruz/RN. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, com idosas (n=100) sintomáticas e assintomáticas quanto à dor nos joelhos. A ingestão alimentar foi determinada pela média de 2 dias do Recordatório de 24 horas. As dietas foram analisadas no Dietbox®. A necessidade energética individual foi estimada através de fórmulas e o consumo de calorias totais foi analisado considerando o intervalo de 97 a 103% do gasto energético. A adequação dos macronutrientes foi verificada de acordo com os Acceptable Macronutrient Distribution Ranges. A ingestão média de ácidos graxos, colesterol e fibra, foi analisada de acordo com os valores propostos pela IV Diretriz Brasileira sobre Dislipidemias. A inadequação dos micronutrientes foi estimada pelo método da Estimated Average Requirement como ponto de corte e o consumo hídrico foi avaliado a partir da recomendação do Guia Alimentar para a População Brasileira. Para análise dos dados, foi utilizado o Statistical Package for the Social Sciences versão 20.0. Para a comparação das distribuições dos dados entre os grupos foi utilizados os testes t-Student ou o de Mann-Whitney de acordo com a normalidade, avaliada pelo teste de Kolmogorov-Smirnov. Resultados: A média de idade foi de 67(±8,0) anos para o grupo assintomático e 67(±9,0) anos para o sintomático. Quanto ao consumo de energia, macronutrientes, ácidos graxos, colesterol, fibra e água, observam-se diferenças entre os grupos, que não se mostraram estatisticamente significativas. A ingestão de energia foi inadequada em 96,1% das assintomáticas e em 93,9% das sintomáticas. Também não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre as idosas quanto ao consumo alimentar dos micronutrientes, exceto para o consumo habitual do mineral zinco (p valor = 0,033), o grupo sintomático teve um consumo médio de zinco inferior ao grupo assintomático. Nos grupos, as maiores inadequações (> 50%) foram para vitaminas A, D, E e ácido fólico e magnésio e cálcio. As menores inadequações foram para vitamina C e piridoxina (valores entre 21,6% e 22,4%). Destaca-se a ingestão inadequada da vitamina D (100% das avaliadas). Conclusão: Entre os grupos, foram observadas elevadas prevalências de inadequação para ingestão calórica, consumo dos ácidos graxos saturados, colesterol, fibra, ingestão hídrica, macros e micronutrientes. Contudo, não foram observadas diferenças estatisticamente significativas no consumo alimentar dos nutrientes, com exceção do mineral zinco, pois as idosas sintomáticas tiveram um consumo médio de zinco inferior ao grupo assintomático.

     
3
  • ROSA SA DE OLIVEIRA NETA
  • ESTADO NUTRICIONAL, SARCOPENIA E FUNCIONALIDADE EM IDOSAS RESIDENTES NA COMUNIDADE

     

     

     

  • Orientador : MARCELO CARDOSO DE SOUZA
  • Data: 01/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • Introdução: A população mundial encontra-se em um processo de reestruturação demográfica caracterizada pela redução das taxas de fecundidade e mortalidade e consequente envelhecimento populacional. Esta fase da vida é determinada, muitas vezes, pela presença de doenças crônicas não transmissíveis. Uma das alterações corporais típicas do envelhecimento é a perda da massa e da função do muscular (sarcopenia), que contribui para a limitação funcional assim como a obesidade que também é um dos fatores de risco relacionados ao desenvolvimento de doenças que limitam a funcionalidade. Objetivo: Avaliar a relação entre a capacidade funcional, a sarcopenia e o estado nutricional de idosas da comunidade. Métodos: Estudo observacional analítico de caráter transversal realizado com 100 idosas acima de 60 anos que frequentaram a clínica-escola de fisioterapia da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (FACISA-UFRN). Para a coleta de dados, aplicou-se um questionário, contendo informações de identificação, dados socioeconômicos (escolaridade e renda familiar), prática de atividade física, dados antropométricos (peso, altura e índice de massa corporal) e de composição corporal (circunferência da cintura, circunferência do pescoço, razão cintura-altura e massa muscular mensurada através da aplicação da bioimpedância) e dados funcionalidade (teste de caminhada de seis minutos). Resultados: A média de idade da amostra foi de 67±8,0 anos, A maioria das idosas não praticava atividade física (59%), possuíam pelo menos o ensino fundamental (38%), recebiam até dois salários mínimos (48%) e eram obesas. As taxas de prevalência quanto à presença de sarcopenia foram: obesidade sarcopênica (5%), sarcopenia (14%), obesidade (63%) e normais (18%). Idosas ativas, que estudaram mais que o ensino fundamental até o ensino médio, com renda entre dois e quatro salários, e não obesas tiveram melhor desempenho no teste de caminhada que as demais. Não houve diferenças estatisticamente significativas no teste de caminhada de acordo com a renda ou IMC (p>0,05). As idosas não obesas e não sarcopênicas caminharam mais no teste de funcionalidade que as demais (p=0,021). Conclusões: A obesidade sarcopênica foi presente em 5% das idosas e tem relação com pior desempenho físico, também presente em idosas com sarcopenia e obesidade, gerando novas demandas para os sistemas de saúde e seguridade social. Os resultados encontrados poderão auxiliar na elaboração de estratégias de promoção à saúde para prevenir a morbidade e mortalidade associados a essas condições nessa população vulnerável no município de Santa Cruz/RN. 

4
  • EMELYNNE GABRIELLY DE OLIVEIRA SANTOS
  • ANÁLISE ESPAÇO-TEMPORAL DA MORTALIDADE POR SUICÍDIO NO RIO GRANDE DO NORTE NO PERÍODO DE 2000 A 2015

  • Orientador : ISABELLE RIBEIRO BARBOSA
  • Data: 04/12/2017
  • Mostrar Resumo
  • O suicídio constitui um dos tipos de mortes violentas mais incidentes no mundo, de modo que as transições demográfica e epidemiológica têm contribuído para o aumento global da carga deste agravo. Apesar da difusão de programas de prevenção do suicídio no Brasil, o panorama de mortalidade por essa causa no país é preocupante, principalmente em algumas regiões em que se observa uma elevação no percentual de óbitos.O objetivo deste estudo foi analisar a distribuição espaço-temporal da mortalidade por suicídio no Estado do Rio Grande do Norte (RN) no período de 2000 a 2015. Trata-se de um estudo ecológico misto que avaliou os óbitos decorrentes de suicídio registrados no RN, ocorridos no período de 1º de janeiro de 2000 a 31 de dezembro de 2015. Os dados dos óbitos foram obtidos no Sistema de Informação sobre Mortalidade, e as informações sobre população foram obtidas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A análise espacial foi realizada utilizando as taxas brutas, taxas padronizadas e taxas pelos estimadores Bayesianos. A análise univariada foi realizada através do Índice de Moran Global e Local para avaliar a intensidade e significância dos aglomerados espaciais utilizando o software Terraview 4.2.A análise bivariada espacial foi realizada pelo cruzamento entre as variáveis sociodemográficas e as taxas de mortalidade padronizadas por suicídio utilizando o software GeoDa 1.6.1. Os Anos Potenciais de Vida Perdidos também foram calculados ao longo da série histórica. Foi aplicada a Regressão loglineal (Joinpointregression) com taxas padronizadas (população mundial) para estimar o AnnualPercentageChange (APC), o intervalo de confiança 95% e os pontos de inflexão da curva, a fim de verificar a tendência de mortalidade por suicídio no RN utilizando o software Joinpoint 4.5.0. A análise estatística clássica foi aplicada para avaliar a correlação entre as variáveis do estudo e para isso utilizou-se o software SPSS 23.0. Foram registrados 2.266 óbitos por suicídio de 2000 a 2015, sendo a razão entre os sexos de 5:1 no último ano. A análise espacial mostrou fraca autocorrelação espacial (I<0,3) para as Taxas de Mortalidade Padronizadas (TMP) para ambos os sexos, com formação de aglomerados espaciais na Região do Seridó, principalmente, para o sexo masculino. A análise bivariada mostrou formação de clusters na Região do Seridó com as variáveis IDH e Envelhecimento. Os estimadores bayesianos mostraram uma homogeneização das taxas de mortalidade, sobretudo nos municípios com pequenos grupos populacionais. Foram perdidos 63582.5 anos potenciais de vida ao longo da série histórica. Além disso, foi observada uma tendência de aumento da mortalidade no sexo masculino até o ano de 2003 (APC = 15,3%; IC = 9,2-21,8), seguido de um período de estabilidade. Para o sexo feminino, a tendência foi de estabilidade (APC= 0,4%; IC95%=-0,9-1,7). A análise de variância apontou ainda para ausência de diferenças estatisticamente significativa (p>0,05) entre as TMP e o porte dos municípios e regiões de saúde para a maioria dos anos do estudo.  Conclui-se que a mortalidade por suicídio no RN está desigualmente distribuída no território, estando associando espacialmente às áreas com os melhores indicadores socioeconômicos. Não há tendência significativa de aumento, porém as diferenças entre as regiões do estado e de acordo com o porte dos municípios aumentaram ao longo da série histórica.

SIGAA | Superintendência de Informática - (84) 3215-3148 | Copyright © 2006-2018 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao