Banca de DEFESA: SEVERINA DENISE SALES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SEVERINA DENISE SALES DE OLIVEIRA
DATA: 31/07/2013
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Aula 3F1
TÍTULO:

Aplicação das técnicas eletroanalíticas (voltametria cíclica e de pulso diferencial) usando o eletrodo de diamante dopado com boro para o estudo da isoniazida, etambutol, rifampicina e pirazinamida.


PALAVRAS-CHAVES:

tuberculose, isoniazida, etambutol, rifampicina, pirazinamida, voltametria de pulso diferencial.

de recuperação em torno de 100%.


PÁGINAS: 135
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Eletroanalítica
RESUMO:

A tuberculose (TB) é uma das principais causas de mortes no mundo e continua sendo um grave problema de saúde publica, especialmente em países em desenvolvimento, voltando a ocupar papel de destaque entre as principais doenças contagiosas. A tuberculose está cada vez mais difícil de ser diagnosticada devido à alta incidência de resultados negativos nos testes de expectoração. Os fármacos utilizados no tratamento da tuberculose podem ser divididos em duas categorias: os de primeira linha, que tem o maior índice de eficiência; e os de segunda linha, quando há resistência microbiana. Entre os fármacos de primeira linha se destacam a isoniazida, etambutol, rifampicina e pirazinamida. O controle de qualidade dos fármacos é obtido através de muitas técnicas analíticas como eletroforese capilar, espectroscopia no visível e UV, espectrofluorimetria no UV, quimiluminescência de injeção de fluxo, colorimetria, titrimetria, oxidimetria, cromatografia líquida, HPLC e cromatografia líquida de camada delgada. As técnicas eletroanalíticas apresentam características experimentais que as tornam de grande importância na quantificação de fármacos, como por exemplo, alta sensibilidade, não requerendo grandes volumes de amostra, simplicidade, rapidez de análise e baixo custo. Neste trabalho foi feito um estudo eletroquímico utilizando a voltametria cíclica e voltametria de pulso diferencial para os fármacos isoniazida (INH), etambutol (EMB), rifampicina (RIF) e pirazinamida (PZA) usando o eletrodo de diamante dopado com boro (BDD) como eletrodo de trabalho. Foi também verificado a aplicabilidade da técnica de voltametria de pulso diferencial na quantificação dos princípios ativos usados no tratamento da tuberculose, posteriormente aplicando em amostras de formulação farmacêutica. Dentre os quatro princípios ativos estudados, a isoniazida apresentou os melhores resultados de detecção e quantificação com o uso da voltametria de pulso diferencial. Em pH 4 e pH 8, as curvas de calibração para a INH apresentaram boa linearidade, apresentando os limites de quantificação de 6,15 μM (0,844 ppm) e 4,08 μM (0,560 ppm), para os respectivos pH. O método proposto pode ser usado para a determinação de isoniazida em fármacos, pois foram obtidos valores de recuperação em torno de 100%.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Externo ao Programa - 1715109 - DANIEL DE LIMA PONTES
Interno - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Externo à Instituição - SUELY SOUZA LEAL DE CASTRO - UERN
Notícia cadastrada em: 16/07/2013 17:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa17-producao.info.ufrn.br.sigaa17-producao