Banca de QUALIFICAÇÃO: ALINE ARAÚJO ALVES DE OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALINE ARAÚJO ALVES DE OLIVEIRA
DATA: 17/06/2013
HORA: 09:30
LOCAL: Sala de Reunião do LCP/NU-PER
TÍTULO:

Desenvolvimento de catalisadores heterogêneos para o processo de Destilação Catalítica de petróleo pesado


PALAVRAS-CHAVES:

Catalisadores Mesoporosos, Destilação Catalítica, Análise Térmica, Cinética, Energia de ativação Aparente.


PÁGINAS: 135
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Físico-Química
ESPECIALIDADE: Cinética Química e Catálise
RESUMO:

Os catalisadores mesoporosos vem sendo estudados para aplicação na indústria do petróleo, em especial o Al-MCM-41, devido a sua elevada acidez e área superficial, ideais para moléculas grandes como óleos pesados advindos do refino. O material foi sintetizado pelo método hidrotérmico usando a pseudobohemita como fonte de alumínio. Na caracterização foram usadas as técnicas DRX, área superficial pelo método BET, volume médio de poros pelo método BJH, espectroscopia de absorção na região do infravermelho (FT-IR) e determinação da acidez superficial com aplicação de uma moléculas sonda – n-butilamina. Os materiais apresentaram propriedades estruturais bem definidas. Testes em uma planta-piloto de destilação catalítica aplicaram o material mesoporoso Al-MCM-41 como catalisador, nas percentagens de 1, 3 e 5% em massa numa mistura física catalisador-óleo, todavia os melhores resultados com o resíduo de petróleo no corte 400ºC foi com Al-MCM-41 - 3%. Também foram realizados testes termogravimétricos com outros quatro cortes de petróleo, com ºAPI iguais à: 14,0; 15,4; 17,4 e 18,5, numa faixa de temperatura de 30-900 ºC, com taxas de aquecimento (b) variando de 5, 10 e 20 ºC.min-1, a fim de verificar seus perfis termogravimétricos quando submetidos a ação do catalisador Al-MCM-41, estudado com os percentuais: 1, 3, 5, 10 e 20% em massa. Para traçar um perfil cinético da degradação desses petróleos através da atuação do catalisador foram aplicados dois modelos cinéticos diferentes, a partir dos dados das curvas TG/DTG: de Ozawa-Flynn-Wall (OFW) e de Kissinger-Akahrira-Sunose (KAS). Verificou-se que as energias de ativação aparente encontradas para ambos os modelos tinham valores semelhantes, e que era sempre menor para o segundo evento de perda de massa conhecido como zona de craqueamento. Além disso, essa energia era menor quando na análise de TG era usada a mistura catalisador-óleo a partir da proporção 5 % em massa. Partindo da análise desses cinco óleos, concluiu-se que o Al-MCM-41 tem alto potencial catalítico para aplicação em refino de petróleo pesado, obtendo como produtos da destilação catalítica destilados mais leves (hidrocarbonetos leves) com a energia de ativação aparente do sistema diminuindo a partir de 5% em massa, sendo a melhor quantidade com 10% em massa de Al-MCM-41 com a menor energia de ativação.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1558610 - ANA PAULA DE MELO ALVES
Presidente - 350509 - ANTONIO SOUZA DE ARAUJO
Externo à Instituição - EDJANE FABIULA BURITI DA SILVA - Estácio
Notícia cadastrada em: 10/06/2013 09:14
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao