Banca de DEFESA: GUSTAVO RODRIGUES DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GUSTAVO RODRIGUES DE OLIVEIRA
DATA: 27/07/2012
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

CONCILIAÇÃO ENTRE MODELOS DE MECANISMOS AVANÇADOS DE OXIDAÇÃO ELETROQUÍMICA


PALAVRAS-CHAVES:

Eletrocatálise. Oxidação anódica. Tratamento de efluentes.


PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Físico-Química
ESPECIALIDADE: Eletroquímica
RESUMO:

Muitos poluentes jogados em cursos d'água, como corantes e pesticidas, tornaram-se tão onipresentes que representam uma séria ameaça a saúde humana. A oxidação eletroquímica se apresenta como uma alternativa limpa, eficiente e econômica à degradação de efluentes contendo compostos orgânicos uma das várias vantagens desta técnica é justamente não fazer uso de reagentes químicos, uma vez que apenas a energia elétrica é consumida durante a eliminação dos poluentes orgânicos. Porém, apesar de ser uma alternativa promissora, ainda necessita de alguns ajuste afim de se obter melhor eficiência na eliminação de poluentes persistentes. Comninellis e seu grupo de pesquisa (PANIZZA, 2001) elucidaram um mecanismo que permite prever a densidade de corrente efetiva (ICE) a partir da demanda química de oxigênio (DQO) de amostras coletadas durante o tratamento de efluentes diluídos (DQO < 5 g L–1). Vários trabalhos destacam a boa correlação entre as previsões teóricas e os dados empíricos, mas observou-se que os dados de alguns experimentos não estavam em concordância com o modelo teórico, uma vez que apresentavam um rendimento superior aos 100% (KAPALKA; JONG, 2008, 2010). Este desvio não tira o mérito do modelo teórico, mas tem chamado a atenção de pesquisadores atentos as bifurcações de um sistema complexo. Algumas pesquisas (SCHOLES; KAPALKA, 1959, 2008) apontaram fenômenos que ocorrem nos sistemas eletrocatalíticos que não estavam presentes nos primeiros modelos deduzidos. Aqui, reforçamos que a mineralização de compostos orgânicos sobre eletrodos de diamante dopado em boro (BDD) não envolve apenas radicais hidroxila mas também o oxigênio molecular presente no ar ou em solução. Sendo assim, procuramos validar este modelo teórico relacionando suas anomalias com estes fenômenos esquecidos, através de experimentos onde o 2-naftol, será eliminado usando ânodos de BDD a temperatura ambiente, e avaliar a possibilidade de acrescentar uma correção ao modelo, o que tornaria suas previsões mais confiáveis e precisas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo à Instituição - CARMEM LUCIA DE PAIVA E SILVA ZANTA - UFAL
Notícia cadastrada em: 26/07/2012 08:53
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa04-producao.info.ufrn.br.sigaa04-producao