PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de DEFESA: DOUGLISNILSON DE MORAIS FERREIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DOUGLISNILSON DE MORAIS FERREIRA
DATA: 08/08/2011
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR/UFRN.
TÍTULO:

Influência de atividades antrópicas sobre a salinização da água em área de dunas no município de Guamaré/RN.


PALAVRAS-CHAVES:

Impactos Ambientais, Carcinicultura, Água, Salinidade.


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Análise de Traços e Química Ambiental
RESUMO:

O município de Guamaré está localizado no litoral norte do RN, subzona salineira, com uma área territorial de 259 km2 e população de aproximadamente 12.500 habitantes (IBGE, 2010). Apresenta acentuada instabilidade morfológica ocasionada principalmente pela influência de atividades antrópicas na região. O presente estudo surgiu a partir de avaliações na região e observações in loco que caracterizam a existência de impactos ambientais que, pro sua vez, tem aumentados as concentrações de sais na água, causado desertificação na vegetação e mortalidade de árvores nativas do município. As pesquisas foram concentradas na realização de análises de condutividade elétrica, pH, salinidade, cloretos, dureza, cálcio, magnésio. As metodologias de coletas e análises adotadas na pesquisa estão baseadas no APHA (2005). A Condutividade Elétrica, a Salinidade e o Cloreto apresentaram comportamento semelhante ao longo da pesquisa. Na amostragem, três pontos foram monitorados como “branco”, locais de ausência de contaminantes salinos. Alguns pontos sofrem influência direta dos viveiros e outros das salinas. Tendo em vista a existência de uma vala de drenagem entre a salina e a região monitorada, observou-se pouca alteração no meio, inclusive na vegetação nativa. Situação inversa ocorreu na região dos viveiros onde a vegetação local está completamente comprometida e os poços e cacimbas, utilizados no passado para uso doméstico estarem praticamente desativados (alto teor salino). No Rio Miassaba há formação de um estuário invertido, com os pontos mais distanciados do mar apresentando índices salinos maiores, o que pode estar associado à descarga de matéria orgânica no rio. Em períodos de ausência de chuvas alguns pontos apresentaram teores de sais superiores aos encontrados na água do mar, podendo ser associado à alta taxa de evaporação na região. Um fator positivo detectado é o alto poder de recuperação e redução salina, após períodos de incidência pluviométrica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1199268 - JAILSON VIEIRA DE MELO
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo à Instituição - ANDRE LUIS CALADO ARAUJO - IFRN
Externo à Instituição - LEAO XAVIER DA COSTA NETO - IFRN
Notícia cadastrada em: 01/08/2011 14:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa24-producao.info.ufrn.br.sigaa24-producao