Banca de QUALIFICAÇÃO: SHEILA PRICILA MARQUES CABRAL DE SOUZA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: SHEILA PRICILA MARQUES CABRAL DE SOUZA

DATA: 27/05/2011

HORA: 17:00

LOCAL: Sala de Aula do Laboratório de Química I

TÍTULO:

Determinação do teor de cálcio através da termogravimetria em medicamentos utilizados no tratamento contra à Osteoporose: um estudo comparativo


PALAVRAS-CHAVES:

Cálcio, Osteoporose, Termogravimetria.


PÁGINAS: 116

GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra

ÁREA: Química

SUBÁREA: Química Analítica

ESPECIALIDADE: Instrumentação Analítica

RESUMO:

O presente trabalho utilizou a termogravimetria (TG) e a espectroscopia de emissão óptica com plasma indutivamente acoplado – ICP/OES para determinar o teor de cálcio em medicamentos à base de carbonato, citrato e lactato de cálcio usados no tratamento da osteoporose. Os medicamentos foram caracterizados por TG/DTG, DTA e DSC, IV, DRX e MEV. As técnicas termoanalíticas avaliaram a estabilidade térmica e os eventos físico-químicos presentes nas amostras e mostraram que os excipientes interferem na decomposição dos princípios ativos. Os resultados da TG indicaram que a temperatura de decomposição do CaCO3 princípio ativo (T = 630,2°C) é inferior a do CaCO3 presente nas amostras dos comprimidos (nos comprimidos essa temperatura variou de 613,8 a 655,2°C) e que na temperatura de 500ºC nos medicamentos a base de citrato e lactato de cálcio, assim como nos seus respectivos princípios ativos já havia sido formado carbonato de cálcio. A utilização da atmosfera de N2 provocou deslocamento nas temperaturas inicial e final relacionadas à decomposição do CaCO3. Nas curvas DTA e DSC foram observados eventos endo e exotérmicos para as amostras dos medicamentos e princípios ativos analisados. Os espectros de infravermelho identificaram os principais grupos funcionais existentes em todas as amostras de princípios ativos, excipientes e comprimidos estudados, tais como estiramentos simétricos e assimétricos dos grupos O-H, C-H, C=O. As análises por difração de raios X mostraram que todas as amostras apresentam cristalinidade e que os resíduos finais mostraram picos indicativos da presença de hidróxido de cálcio devido a reação do óxido de cálcio com a umidade do ar; apesar de nos medicamentos AM 2, AM 3, AM 4 e AM 6 terem em suas constituições TiO2 e SiO2 não foram observados traços desses compostos. Os resultados obtidos da determinação pela TG do teor de cálcio para os medicamentos estudados se mostraram bem satisfatórios quando comparados aos obtidos pela técnica instrumental de ICP-OES, no comprimido AM 2 foi obtido um valor de 35,37% pela TG e 32,62% pelo ICP-OES, no AM 6 obteve-se um percentual de 17,77% através da TG e 16,82% através do ICP, para o AM 7 os resultados obtidos foram de 8,93% por ambas as técnicas mostrando que a termogravimetria pode ser utilizada na determinação do teor de cálcio em medicamentos, pois a técnica oferece rapidez, economia no uso das amostras e procedimentos, eliminação do uso de reagentes ácidos no processo de abertura de amostra e eficiência nos resultados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Interno - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 7350310 - MARIA DE FATIMA VITORIA DE MOURA
Notícia cadastrada em: 17/05/2011 10:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao