Banca de DEFESA: JULIANA PATRICIA SOUZA DUARTE PONTES - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: JULIANA PATRICIA SOUZA DUARTE PONTES

DATA: 06/07/2010

HORA: 08:00

LOCAL: Auditório do Centro de Ciências Exatas e da Terra

TÍTULO:

Tratamento eletroquímico de água produzida sintética para remoção de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos


PALAVRAS-CHAVES:

Tratamento eletroquímico, Água produzida, Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs).


PÁGINAS: 70

GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra

ÁREA: Química

SUBÁREA: Físico-Química

ESPECIALIDADE: Eletroquímica

RESUMO:

O presente trabalho é dirigido ao tratamento de água produzida de petróleo usando uma tecnologia eletroquímica. A água produzida é um dos principais resíduos gerados durante o processo de exploração e produção na indústria petrolífera, onde corresponde a 98 % de todos os efluentes gerados. Várias metodologias estão sendo estudadas visando o tratamento desse efluente, dentre elas estão os processos biológicos, os processos de oxidação avançados (POAs), tratamentos eletroquímicos como eletrooxidação, eletrocoagulação, eletroflotação e eletroredução. Esse trabalho mostra a aplicação da tecnologia de eletrooxidação no tratamento da água produzida, pois se trata de uma técnica com alta compatibilidade ambiental, onde através da ação do próprio elétron, as substâncias tóxicas e nocivas ao meio ambiente podem ser removidas ou transformadas através de reações de óxido-redução em substâncias menos tóxicas. Para isso, foi utilizado efluente sintético contendo uma mistura de H2SO4 0,5M e de 16 hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs), que são: naftaleno, acenaftileno, acenafteno, fluoreno, fenantreno, antraceno, fluoranteno, pireno, benzo(a)antraceno, criseno, benzo(b)fluoranteno, benzo(k)fluoranteno, benzo(a)pireno, indeno(1,2,3-cd)pireno, dibenzo(a,h)antraceno, benzo(g,h,i)perileno. Utilizou-se o processo de oxidação eletroquímica com um reator eletroquímico em batelada contendo um par de eletrodos paralelos, acoplados a uma fonte de corrente contínua e usando um agitador magnético para favorecer o transporte de massa na solução sintética. Como material anódico utilizou-se um eletrodo de ânodo dimensionalmente estável (DSA), constituído de Ti/Pt, enquanto o material catódico foi o Ti. Para detecção e quantificação dos HPAs utilizou à técnica de cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massa (CG - EM), onde o efluente foi analisado antes e após o tratamento eletroquímico. Os resultados se mostraram eficazes, obtendo-se remoções significativas dos HPAs superiores a 80%. Como indicador da viabilidade econômica do tratamento eletroquímico foram analisados os consumos energéticos do processo para cada hora do tratamento eletroquímico com base no valor kWh cobrado pela ANEEL. Os custos dos tratamentos desta pesquisa foram bastantes atrativos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Interno - 7350310 - MARIA DE FATIMA VITORIA DE MOURA
Externo à Instituição - ANDREA FRANCISCA FERNANDES BARBOSA - UnP
Notícia cadastrada em: 29/10/2010 18:06
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao