Banca de QUALIFICAÇÃO: JANNYELY MOREIRA NERI

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JANNYELY MOREIRA NERI
DATA : 23/09/2021
HORA: 09:00
LOCAL: VIDEOCONFERÊNCIA
TÍTULO:

Nanopartículas de prata funcionalizadas com 2,3-dietanolaminoquinoxalina como um sistema para detecção de múltiplos analitos (Mg2+, Sn2+ e cisteína) em meio aquoso


PALAVRAS-CHAVES:

quinoxalina, nanopartículas de prata, cisteína, Mg2+, Sn2+, detecção seletiva.


PÁGINAS: 133
RESUMO:

A química dos compostos heterocíclicos nitrogenados é extremamente rica e abrangente, e dentro desta ampla classe de compostos orgânicos, destacam-se as quinoxalinas, com importantes aplicações em áreas biológicas e tecnológicas, além da versatilidade no que se refere à síntese orgânica. A unidade quinoxalínica também está presente em sensores químicos cromogênicos, sendo estes definidos como dispositivos ópticos para detecção de analitos de interesse, cujo desenvolvimento tem sido estimulado nas últimas décadas por conta da facilidade de uso, baixos custos, além de alta seletividade e sensibilidade, mesmo em amostras complexas. Recentemente, o emprego de nanopartículas de prata como quimiossensores tem trazido novas possibilidades para o crescimento desta área. Cátions metálicos e aminoácidos são importantes analitos explorados no desenvolvimento de sondas sintéticas seletivas, especialmente por conta de seus papéis em processos biológicos e questões ambientais. O presente trabalho descreve a síntese de nanopartículas de prata (AgNPs) funcionalizadas com o derivado 2,3-dietanolaminoquinoxalina (DEQX), por meio de uma rota sintética de baixo impacto ambiental. As QX-AgNPs foram caracterizadas por espectroscopia na região do ultravioleta-visível (UV-vis), do infravermelho (ATR-FTIR) e microscopia eletrônica de transmissão (TEM), e então aplicadas como uma sonda cromogênica para detecção seletiva de L-cisteína, bem como Mg2+ e Sn2+ em solução aquosa, inclusive em meio competitivo. As Qx-AgNPs foram capazes de detectar seletivamente cisteína e Mg2+ em meio alcalino entre vários aminoácidos e cátions metálicos, respectivamente. Por outro lado, as QX-AgNPs foram eficazes na detecção de Sn2+ em pH 7,5. A detecção seletiva dos analitos e os respectivos mecanismos foram discutidos adequadamente com base nas análises de UV-vis, MET e FTIR. Os limites de detecção atingiram 2,7 nmol L-1, 15 nmoL L-1 e 18 nmoL L-1 para cisteína, Mg2+ e Sn2+, respectivamente. As Qx-AgNPs foram empregadas com sucesso para a quantificação de cisteína na urina e Mg2+ em água da torneira. Os resultados obtidos foram bastante representativos quando comparados a dados relatados na literatura, sendo uma importante contribuição para a área de nanosensores para detecção múltipla de analitos em meio aquoso. Propostas de trabalhos em desenvolvimento também são apresentadas, envolvendo estudos mecanísticos de quinoxalinas funcionalizadas com potencial atividade anticâncer, assim como complexo de inclusão com β-ciclodextrina.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1803692 - FABRICIO GAVA MENEZES
Interno - 1198847 - JOSE LUIS CARDOZO FONSECA
Interna - 1569526 - RENATA MENDONÇA ARAUJO
Externa à Instituição - ANA CAROLINA DE OLIVEIRA NEVES MENEZES
Notícia cadastrada em: 20/09/2021 09:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao