Banca de DEFESA: RAFAEL VIANA SALES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : RAFAEL VIANA SALES
DATA : 28/08/2020
HORA: 08:30
LOCAL: Remotamente pelo Google Meet
TÍTULO:

ESTUDO EXPERIMENTAL E TEÓRICO DA DESSULFURIZAÇÃO ADSORTIVA DE DIESEL REAL USANDO MATERIAIS MESOPOROSOS DE ALTA EFICIÊNCIA


PALAVRAS-CHAVES:

Dessulfurização; Adsorção; MCM-41; SBA-15; Sílica MPI; DFT; ONIOM


PÁGINAS: 144
RESUMO:

A queima de combustíveis fósseis emite óxidos de enxofre (SOx), que afetam negativamente a saúde humana e o meio ambiente, além de serem altamente indesejáveis pelas refinarias de petróleo. Pesquisadores têm buscado desenvolver métodos alternativos à tecnologia convencional, a hidrodessulfurização (HDS), que é um método caro e ineficaz para a remoção de moléculas pesadas de enxofre. Com isso, neste trabalho, as sílicas mesoporosas MCM-41 e SBA-15 foram sintetizadas e modificadas com cátions metálicos Ni2+ e Ag+ para aplicação em dessulfurização adsortiva de combustível diesel real. A MCM-41 foi obtida a partir de uma sílica verde (sílica amorfa MPI), proveniente de areia de praia, e sílica comercial. Os adsorventes puros (suportes) e modificados foram caracterizados pelas técnicas de difratometria de raios X (DRX), isotermas de adsorção-dessorção de N2, microscopia eletrônica de varredura de alta resolução por emissão de campo (MEV-FEG), microscopia eletrônica de varredura por transmissão (MEVT, ou STEM, do inglês scanning transmission electron microscopy), microscopia eletrônica de transmissão de alta resolução (HRTEM, do inglês high-resolution transmission electron microscopy) e espectroscopia de fotoelétrons excitados por raios X (XPS, do inglês X-ray photoelectron spectroscopy). Essas técnicas foram importantes para a elucidação dos materiais do tipo MCM-41 e SBA-15. Os resultados das micrografias MEV-FEG e STEM acopladas à espectroscopia de raios X por energia dispersiva (EDX) evidenciaram uma dispersão uniforme de nanopartículas de Ag sobre os suportes. Estudo teórico, usando o método computacional DFT/ONIOM, e dados de XPS revelaram que a adsorção de compostos aromáticos de enxofre por AgMCM-41 é controlada pelas interações entre os átomos de enxofre e as espécies de prata. O melhor ajuste dos dados experimentais ao modelo cinético de pseudossegunda ordem e ao modelo de equilíbrio de Langmuir é um indicativo de que mecanismos de quimissorção, sobretudo complexação do tipo π, governam a remoção dos compostos sulfurados pelos adsorventes AgMCM-41 e AgSBA-15, nas condições estudadas, o que está em acordo com o estudo teórico e os resultados de XPS. As capacidades máximas adsortivas para o AgMCM-41 obtido de sílica sustentável e para o AgSBA-15 foram de 31,25 mg‧g-1 e 20,30 mg‧g-1, respectivamente. Os suportes puros e modificados com prata apresentaram uma taxa de regeneração satisfatória, após 5 etapas de reciclagem, utilizando uma solução de clorofórmio/hexano/acetona.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - ANNE GABRIELLA DIAS SANTOS - UERN
Externo à Instituição - ENRIQUE RODRÍGUEZ CASTELLÓN - UMA
Presidente - 1805556 - LUCIENE DA SILVA SANTOS
Interno - 1859346 - MIGUEL ANGELO FONSECA DE SOUZA
Interno - 2087667 - TIAGO PINHEIRO BRAGA
Externo à Instituição - VINÍCIUS PATRÍCIO DA SILVA CALDEIRA - UERN
Notícia cadastrada em: 10/08/2020 09:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao