Banca de DEFESA: LAURA GABRIELA GURGEL DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LAURA GABRIELA GURGEL DE CARVALHO
DATA : 21/07/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Remotamente por aplicativo
TÍTULO:

Ésteres de amido de amêndoa de manga: síntese, caracterização e estudo da aplicação em filmes para embalagens de alimento e sistemas de emulsão inversa


PALAVRAS-CHAVES:

Amido, laurato de amido, filmes biodegradáveis, emulsão inversa, fluido de perfuração.


PÁGINAS: 70
RESUMO:

 Após o processamento industrial da manga, porções da fruta, como casca e caroço, são descartadas sem o devido aproveitamento. Cerca de 15% do peso da manga é devido ao caroço, a partir do qual é possível obter o amido. Nesse sentido, o uso do amido da manga para obtenção de insumos que agreguem valor a um rejeito da indústria é bastante promissor. Entretanto, apesar do amido ser um polímero vantajoso por ser biodegradável e obtido por uma fonte renovável, ele possui limitações para certas aplicações industriais. Nesse contexto, foi realizada a modificação química do amido da amêndoa de manga com laurato de vinila, com o objetivo de superar essas limitações. A obtenção do éster de amido foi confirmada por infravermelho (IV) e ressonância magnética nuclear (RMN). As condições de síntese utilizadas levaram à produção de laurato de amido com graus de substituição 2,4 (LA1) e 0,28 (LA2). O amido de amêndoa de manga apresentou cristalinidade do tipo A. Por outro lado, seus ésteres perderam o padrão de cristalinidade correspondente ao granulo, apresentando picos largos e dispersivos, correspondentes a um material amorfo. Diversas misturas de amido e laurato de amido foram utilizadas na preparação de filmes poliméricos, e suas propriedades mecânicas e físicas foram avaliadas. O laurato de amido com alto grau de substituição (LA1) não apresentou bons resultados em nenhum dos métodos utilizados na preparação de filmes. Por sua vez, o laurato de amido com baixo grau de substituição (LA2) apresentou resultados promissores. Os filmes das misturas de amido e laurato de amido, com concentração máxima de 15% para o LA2 (em relação ao amido), preparados por microfluidificação, apresentaram maior elongação na ruptura, maior opacidade, menor tensão na ruptura e menor módulo de Young que os filmes de amido puro. A etapa de microfluidificação foi determinante para a obtenção de filmes com baixos valores de permeabilidade ao vapor de água. Em uma segunda vertente de aplicabilidade, o LA1 (laurato de amido com grau de substituição 2,4), que não apresentou boas propriedades em filmes para embalagens de alimento, teve seu desempenho avaliado como modificador reológico em uma emulsão de salmoura em olefina, visando aplicação em fluidos de perfuração. Ao contrário do amido e do LA2, o LA1 apresentou boa solubilidade em olefina e propiciou aumento significativo de viscosidade na emulsão inversa utilizada como modelo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADRIANO LINCOLN ALBUQUERQUE MATTOS - EMBRAPA
Externo à Instituição - MARCUS VINICIUS GOMES PAIXÃO
Externa à Instituição - Nívia do Nascimento Marquês
Presidente - 1149440 - ROSANGELA DE CARVALHO BALABAN
Externo à Instituição - ROSSANA MARA DA SILVA MOREIRA THIRÉ - UFRJ
Notícia cadastrada em: 07/07/2020 08:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao