Banca de QUALIFICAÇÃO: MATEUS COSTA MEDEIROS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MATEUS COSTA MEDEIROS
DATA : 23/12/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

CONVERSÃO ELETROQUÍMICA DO LÍQUIDO DA CASTANHA DE CAJU EM COMPOSTO DE VALOR AGREGADO


PALAVRAS-CHAVES:

Oxidação Anódica; Ácidos Carboxílicos; Química Verde; Eletrossíntese


PÁGINAS: 60
RESUMO:

O desenvolvimento de novas tecnologias na conversão de materiais renováveis na geração produtos de valor agregado é inevitável, devido à escassez dos recursos fósseis, aquecimento global e a demanda cada vez maior da sociedade pela sustentabilidade. Estudos recentes demonstraram uso oxidação eletroquímica na conversão de lignina em diversos produtos e como por exemplo ácido carboxílico. O mecanismo de oxidação eletroquímica de compostos orgânicos, depende da natureza do material eletródico utilizado, ou seja, a espécie oxidante formada depende do ânodo ou cátodo usado. Os eletrodos diamante dopado com boro (BDD), pertence à classe de ânodos inativos que levam a combustão da matéria orgânica, produzindo poucos intermediários e baixa seletividade na reação. Entretanto, os ânodos dimensionalmente estáveis (DSA) pertencem a classe de ânodos ativos que são caraterizados em produzirem diversos intermediários e ter reações seletivas. Portanto, neste trabalho, avaliou-se o desempenho de BDD e DSA (Ti/RuO2IrO2TiO2) na eletro-oxidação do liquido da castanha de caju (LCC), em meio de Na2SO4 0,05 mol L-1. Para ambos os eletrodos, inicialmente foi feito um estudo em diferentes densidades de corrente (20, 40 e 60 mA cm-2), contudo os resultados mostraram que ocorreu polimerização na superfície anódica, definindo-se a melhor condição em termos de remoção de DQO que foi 40 mA cm-2. Usando a condição selecionada, avaliou-se a influência da oxidação eletroquímica em diferentes concentrações de NaOH (0,125; 1,000; 2,000 mol L-1) na concentração de 0,01% de LCC, diferentes concentrações de LCC (0,01; 0,05 e 0,10 %) na concentração de 1,000 mol L-1 de NaOH para ambos os eletrodos. No final do processo foi avaliado a produção de ácidos carboxílicos (málico, fumarico, fórmico, acético e oxálico) no BDD e DSA nas concentrações de 0,10% e 0,01% de LCC, respectivamente, usando 1 mol L-1 de NaOH. Os resultados mostraram que a oxidação é possível quando se trabalha em meio de NaOH 1,000 mol L-1 para qualquer concentração de LCC (0,01-0,10%) quando se usa o BDD e no DSA somente na concentração de 0,01% de LCC. O estudo de j propiciou uma remoção de 55, 70 e 80% no BDD e de 41, 46 e 52% quando o DSA foi utilizado nas respectivas j (40, 70 e 100 mA cm-2). A avaliação de produção de ácidos carboxílicos quando se trabalhou com BDD mostrou rendimentos de 2,00 e 3,90% quando se trabalhou na j = 70 mA cm-2 para os ácidos acético e oxálico respectivamente. Esse trabalho mostrou que a oxidação eletroquímica do LCC é possível em meio de NaOH 1,00 mol L-1 utilizando os ânodos de BDD e DSA, entretanto quando se trabalha com o DSA a faixa de concentração de LCC deve ser mais baixa devido ao processo de polimerização na superfície eletroquímica. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externa à Instituição - DANYELLE MEDEIROS DE ARAUJO - UERN
Notícia cadastrada em: 20/12/2019 11:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa25-producao.info.ufrn.br.sigaa25-producao