Banca de DEFESA: MARIA DE FÁTIMA ROCHA DE LIMA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MARIA DE FÁTIMA ROCHA DE LIMA
DATA : 28/06/2019
HORA: 09:00
LOCAL: auditório do Química III
TÍTULO:

PROSPECÇÃO QUÍMICA E BIOLÓGICA DE ESPÉCIES DA CAATINGA: Euphorbia tirucalli, Bredemeyera floribunda e Bredemeyera brevifolia.


PALAVRAS-CHAVES:

Euphorbia tirucalli. Bredemeyera floribunda. Bredemeyera brevifolia. Terpenos. Compostos fenólicos. Ácido elágico. Flavonoides. Atividade biológica.


PÁGINAS: 209
RESUMO:

O bioma Caatinga do Nordeste brasileiro constitui um importante potencial de formação vegetal, pois inúmeras de suas espécies são reportadas na literatura pelo amplo espectro de atividades biológicas e diversidade química. Em virtude do potencial deste bioma, o presente estudo aborda a investigação química e biológica de três espécies da caatinga, Euphorbia tirucalli Linn., Bredemeyera floribunda Willd. e Bredemeyera brevifolia Benth. A análise de LC-MS aplicada aos extratos brutos das três espécies permitiu avaliar o perfil fitoquímico de cada espécie, em que foi possível constatar que os flavonoides representa a classe majoritária de metabólitos secundários. O estudo químico dos extratos hexanos e etanois da parte aérea e das raízes (ETPAE-H, ETPAE-E, ETR-H e ETR-E) da espécie E. tirucalli, aplicando técnicas cromatográficas (adsorçãoe exclusão) possibilitou o isolamento de cinco constituintes orgânicos e a avaliação de suas atividades antioxidante e antimicrobiana. O extrato hexano da parte aérea foi inicialmente submetido a uma reação de saponificação e os constituintes insaponificáveis obtidos foram aplicadoa à uma coluna cromatográfica do tipo flash. Este procedimento permitiu o isoladamento de um triterpeno pentacíclico, a β-amirina (ET-1), já isolado na espécie. Quanto ao extrato etanol da raíz foi possível o isolamento de quatro substâncias através da aplicação de cromatografia de adsorção e exclusão molecular: o ácido sirígico (ET-2), o apelopsina (ET-3), o miricetina e o ácido 3,3’-dimetoxi-4`-hidroxi-4-pirano-raminose elágico, ambos relatados pela primeira vez na espécie E. tirucalli. Como continuação desse estudo foi realizada a avaliação da atividade antioxidante dos quatro extratos e compostos isolados frente aos radicais DPPH e ABTS, que possibilitou constatar que o extrato etanol das raízes apresentou melhor eficiência frente aos dois radicais com IC50 de 78,27 e 221,22 μg/ml frente aos radicais DPPH e ABTS, respectivamente. Para os compostos isolados, foi observado que o composto ET-4 apresentou inibição significativa dos radicais livres com IC50 de 22,62 μg/mL para o DPPH e de 53,22 μg/mL para o ABTS, mostrando-se assim maior eficiência que o padrão Trolox o qual apresentou IC50 de 49,12 μg/mL para o DPPH e de 112,15 μg/mL para o ABTS. Com relação às atividades antimicrobianas foi possível constatar que apenas os extratos etanólicos foram identificados como potenciais agentes antibacterianos e antifúngicos por inibirem o crescimento ou matarem as cepas de bactérias e fungos tais como: S. aureus, E. coli, S.brasiliensis e C. Albicans. Dentre os compostos isolados, todos mostraram efeito inibitório contra cepas de bactérias e fungos, com maior efeito para os compostos ET-3 e ET-4. O composto ET-3 apresentou alto potencial frente aos agentes S. aureus, E. coli e C. albicans com CIM = 8 μg/mL, 16 μg/mL e 32 μg/mL, respectivamente. E o composto ET-4 apresentando CIM de 8 μg/mL e CBM de 16 μg/mL contra E. coli, mostrando-se  mais eficácia que o antibiótico Tetraciclina. O estudo químico das espécies do gênero Bredemeyera também se mostrou promissor, uma vez que a partir de sucessivos tratamentos cromatográficos (adsorção e exclusão) aplicados ao extrato hidroalcoólico das raízes da espécie B. floribunda permitiu o isolamento de um derivado cinâmico, o (2E)-3’-(3,4,5-trimetóxifenil)-prop-2-enoato de metila, e uma xantona trimetoxilada, a  1,7-dihidroxi-3,4,8-trimetoxixantona ambos já isolados nessa espécie. O fracionamento cromatográfico aplicado ao extrato etanol dos talos possibilitou ainda o isolamento de três flavonoides, o canferol e a quercetina, ambos isolados pela primeira vez na espécie, e a rutina, molécula anteriormente já isolada nas raízes desta espécie. O extrato hidroalcoólico das raízes de B. brevifolia foi inicialmente submetido a partição líquido-líquido com hexano, clorofórmio e acetato de etila. A fração clorofórmica (BBEA-C) foi aplicada à cromatografia de adsorção permitindo a identificação de duas flavonas, a 5,7,4’-trihidroxi-3’-metoxiflavona e a 5,7,2’,3’,4’-pentahidroxi-6,4’-dimetoxiflavona (BBR-1). A fração acetato (BBREA-Ac) foi inicialmente submetida a cromatografia Sephadex LH-20, e depois, a cromatografia em gel de sílica “flash”, estes procedimentos possibilitou o isolamento da flavona 5,7,4’-trihidroxi-3’-metoxiflavona (BBR-2) identificada na fração clorofórmica. A avaliação da atividade hialuronidase permitiu constatar que a peçonha de B. jararaca foi totalmente inibida pelo extrato hidroalcoólico das raízes B. brevifolia, na proporção 1:5 (peçonha: extrato, p/p). A caracterização e a elucidação estrutural dos compostos aqui relatados foram realizadas através da análise dos dados de Espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear de 1H e 13C uni e bidimencional bem como por comparação com dados da literatura.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JOSEAN FECHINE TAVARES - UFPB
Externo ao Programa - 2276354 - LEANDRO DE SANTIS FERREIRA
Externa à Instituição - MAIRA CONCEIÇÃO JERONIMO DE SOUZA LIMA - UnP
Externo ao Programa - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Presidente - 1569526 - RENATA MENDONÇA ARAUJO
Notícia cadastrada em: 21/06/2019 16:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao