Banca de QUALIFICAÇÃO: SUEDSON DE CARVALHO SILVA RODRIGUES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : SUEDSON DE CARVALHO SILVA RODRIGUES
DATA : 13/06/2019
HORA: 09:00
LOCAL: a definir
TÍTULO:

Síntese e estudos estruturais e de interação com membranas de peptídeos derivados da Stigmurina


PALAVRAS-CHAVES:

Peptídeo antimicrobiano, interação peptídeo-membrana, relação estrutura atividade


PÁGINAS: 85
RESUMO:

Devido ao amplo espectro de atividade antimicrobiana de peptídeos bioativos, tem sido observado um aumento no estudo dessas moléculas como alternativas estratégicas para enfrentar problemas como a resistência de antibióticos convencionais. Sabe-se que o mecanismo de ação de peptídeos antimicrobianos em grande parte ocorre pela interação com a membrana do microrganismo, causando desestabilização da bicamada lipídica, resultando na formação de poros, com isso podendo ocasionar a lise celular. Entretanto, os detalhes desta interação ainda não são totalmente conhecidos, com isso, estudos da interação peptídeo-membrana com meios biomiméticos fazem-se necessários. O presente trabalho propôs a síntese e caracterização de um potencial peptídeo bioativo desenhado a partir da sequência primária da stigmurina, denominado StigA15. Foram empregadas como ferramentas principais de investigação a Calorimetria de Titulação Isotérmica (ITC), Dicroísmo Circular (CD) e Ressonância Magnética Nuclear (RMN) para o análogo. Todos esses experimentos foram desenvolvidos em meios que mimetizam os ambientes de membranas, tais como micelas e vesículas fosfolipídicas. Para o peptídeo StigA15, observou-se que a substituição por duas lisinas carregadas, resultou no aumento na atividade contra bactérias Gram-positiva e negativa e fungos, sendo a StigA15 mais ativa para essas cepas do que o peptídeo nativo. Segundo estudos preliminares, identificou-se que o StigA15 possui um maior momento hidrofóbico e que por isso poderia se inserir mais na superfície da membrana e interagir de maneira mais efetiva do que a stigmurina. Pode-se observar uma seletividade para o peptídeo StigA15, por apresentar uma taxa de hemólise baixa nas concentrações ativas contra o microrganismo. Isso foi confirmado por estudos de ITC que demonstraram a maior interação de StigA15 em vesículas aniônicas do que em vesícula zwitteriônicas. Verificou-se por CD e RMN que o peptídeo se estrutura em a-hélice quando em contato com meios miméticos de membrana. Além disso, foi comprovado por RMN uma alta anfipacidade do derivado. Portanto, é apresentado um peptídeo inédito com potencial biotecnológico. 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1959889 - DAVI SERRADELLA VIEIRA
Interna - 2140775 - LIVIA NUNES CAVALCANTI
Externo ao Programa - 1544647 - MATHEUS DE FREITAS FERNANDES PEDROSA
Presidente - 1569526 - RENATA MENDONÇA ARAUJO
Notícia cadastrada em: 03/06/2019 16:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao