Banca de DEFESA: ANDERSON FERNANDES GOMES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANDERSON FERNANDES GOMES
DATA : 28/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO:

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL DA MICROALGA Chlamydomonas sp. CULTIVADA EM SISTEMA ABERTO COMO FONTE DE METABÓLITOS DE ALTO VALOR AGREGADO COM APLICAÇÕES INTEGRADAS AO SETOR DE BIOCOMBUSTÍVEIS, VISANDO UMA PERSPECTIVA BIORREFINÁRIA


PALAVRAS-CHAVES:

Microalgas. Cultivo. Estresse. Ácidos Graxos. Biomassa Residual. Extrato Bruto.


PÁGINAS: 125
RESUMO:

Atualmente, é relevante que o processamento de qualquer matéria-prima em larga escala ocorra numa concepção de biorrefinaria, que consiste em otimizar o uso dos recursos, visando maximizar a rentabilidade, os benefícios e minimizar a geração de resíduos. Diante desse contexto, as microalgas apresentam elevado potencial biorrefinário, pois exibem inúmeros constituintes de alto valor agregado. As microalgas, quando submetidas a condições de restrição de nutrientes se tornam propensas ao acúmulo de lipídios totais e alterações no perfil graxo. Neste estudo, a microalga Chlamydomonas sp. foi cultivada em lagoas fotossintéticas em diferentes condições incluindo, grupo controle (CTG) e estresse nutricional (BS). A eficiência na extração da fração lipídica hexânica bruta (CHF), utilizando agitação mecânica associada à técnica de ultrassom, foi avaliada em dois tempos distintos (2 e 4 horas). Além disso, as biomassas antes do processo extrativo (BBE), assim como as biomassas residuais oriundas da fração hexânica (RBHF2h e RBHF4h) foram monitoradas por MEV e Análise Termogravimétrica (TG). Os valores de proteína bruta e o potencial calorífico superior (HHV) foram estimados em função da composição elementar das biomassas RBHF2h e RBHF4h. A fração clorofórmica bruta (CCF) foi obtida a partir da RBHF4h (extração com clorofórmio). As frações CCF e CHF hidroesterificadas foram caracterizadas por TG, FTIR e GC/MS. Além disso, o extrato metanólico bruto (CEM) foi obtido a partir da biomassa CTG, empregando banho ultrassom como sistema de ruptura celular e posteriormente a fração foi caracterizada por CG/MS. Vale destacar, que foi avaliado o efeito do CEM sobre a viabilidade celular da linhagem tumoral de melanoma murino B16F10 e da linhagem normal de fibroblasto murino 3T3, quanto a capacidade de redução do reagente MTT. Ademais, o potencial imonumodulatório também foi analisado no modelo de macrófagos RAW 264.7, quanto a capacidade produção de óxido nítrico (NO). As micrografias da superfície das biomassas mostraram maior fragmentação para RBHF4h, assim como uma notável redução no evento térmico típico de lípidios (350-470 °C), indicando eficácia na extração e correlação com a diferença significativa (superior a 300%) do CHF obtido nos diferentes tempos. A fração lipídica total máxima (CHF+CCF) foi de aproximadamente 29%, sendo 60% superior ao grupo controle (CTG). As biomassas residuais possuem valores de HHV e proteína bruta de até 19 MJ kg-1 e acima de 50%, respectivamente. Os dados de TG e FTIR presumem composição predominante de frações saponificáveis para o extrato CCF, ao contrário do CHF que é composto especialmente de insaponificáveis. Além disso, a curva TG ratificou uma melhor taxa de conversão para CCF (aproximadamente 89%), consistente com o valor obtido por GC/MS (cerca de 86%). O perfil graxo das frações saponificáveis de ambos os extratos mostraram que os ácidos graxos são majoritariamente compostos por C16:0 e C18:3 (ω-3 e ω-6). Outro aspecto notável, e que a condição de estresse induziu o aumento percentual de C18:3, contudo reduziu significativamente o teor de C18:2 quando comparado ao CTG. que embora os ésteres exibam elevada concentração de ácidos graxos poli-insaturados, o que compromete sua aplicação na produção de biodiesel, o perfil graxo das microalgas sugere um potencial farmacológico para dieta ou terapia, uma vez que alguns dos principais componentes são relatados como metabólitos bioativos. Enquanto as biomassas residuais poderiam potencialmente ser direcionadas para aquicultura (suplementação nutricional) diante do significativo teor proteico, ou para combustão direta devido ao elevado poder calorifíco. Os dados de CG/MS revelaram que a composição do CEM inclui majoritariamente, o esqualeno (isoprenóide), fitol (álcool diterpênico acíclico) e ácido adípico bis (2-etilhexil) éster. O teste de viabilidade celular revelou que o extrato CEM promoveu uma redução estatisticamente significativa na capacidade de redução do MTT da linhagem B16F10, acima de 50%, enquanto nenhum efeito sobre a linhagem normal foi observado, ambos até a concentração de 400 µg/mL. Além disso, o extrato metanólico apresentou notável ação inibitória sobre a produção de NO por macrófagos RAW, promovendo uma redução superior a 60% em relação ao controle positivo (LPS). Diante desses resultados, é possível inferir que o extrato polar da biomassa microalgal apresenta substâncias com potencial inibitório quanto a viabilidade de células cancerígenas, bem como da produção do mediador inflamatório NO.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 350509 - ANTONIO SOUZA DE ARAUJO
Externo à Instituição - LEANDRO SILVA COSTA - IFRN
Presidente - 1805556 - LUCIENE DA SILVA SANTOS
Externa à Instituição - MARIANA SANTANA SANTOS PEREIRA DA COSTA - IFRN
Externa ao Programa - 433663 - MARTA COSTA
Externa ao Programa - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Notícia cadastrada em: 21/01/2019 10:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao