Banca de DEFESA: LUIZ CARLOS DOMINGOS BATISTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LUIZ CARLOS DOMINGOS BATISTA
DATA : 12/12/2018
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

CONSTRUÇÃO DE ELETRODOS MODIFICADOS COM MOF PARA DETERMINAÇÃO DE POLUENTES EM MEIO AQUOSO


PALAVRAS-CHAVES:

“Redes metalorganicas (MOF)”, “sensores eletroquímicos”, “eletrodo de pasta de carbono”, “aplicação ambiental”


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Os MOFs (do inglês Metal Orgânic Framework) são uma nova categoria de compostos cristalinos porosos consistindo em íons ou clusters metálicos e ligantes orgânicos conectados por ligações coordenadas, possuindo características importantes como flexibilidade, alta porosidade, alta área superficial e uma variedade de tamanho de poros. Além dessas características os MOFs também possuem excelentes propriedades eletrocatalíticas, podendo ser utilizados como modificadores de eletrodos eletroquímicos utilizados como sensores cuja presença melhora significativamente a sensibilidade dos seus precursores. Neste trabalho foram desenvolvidos dois eletrodos de pasta de carbono modificado com MOF 235 e MOF Cu-(1,4 – BDC). Os MOFs foram sintetizados por meio solvotérmico utilizando sais dos íons Fe2+  e Cu2+ e como ligante o ácido 1,4 – benzenodicarboxilico, (1,4 – BDC). As amostras foram caracterizados por Difração de Raios X (DRX) e Intravermelho médio com transformada de Fourier (FTIR). Ambos os MOFs foram misturados ao granfite em pó de grau analítico (numa proporção de 10% de MOF) e óleo parafinico formando uma mistura homogênea, inseridos em um tubo de vidro com haste de Cobre formando o eletrodo de pasta de carbono modificada com MOF os quais foram caracterizados eletroquimicamente através  de voltametria cíclica onde foram, retiradas informações com reversibilidade e área superficial eletroativa dos eletrodos, os quais se mostraram reversíveis e com área superficial maior que a pasta de carbono sem modificação. O Eletrodo modificado com MOF -235 foi aplicado para detecção de íons Chumbo em solução aquosa, conseguindo um limite de detecção de 18 µg.L-1  com coeficiente de correlação de (R²) de 0.9962 numa faixa de 50 a 300 µg.L-1. O Mesmo eletrodo foi utilizado para detecção de polifenois que teve como exemplo de aplicação o Catecol. O eletrodo obteve como resultado limite de detecção de 50 μmol.L-1 com coeficiente de correlação de (R²) de 0.9902 numa faixa de trabalho de 90 to 514 μmol.L-1. O MOF Cu –(1,4- BDC) foi aplicado também para detecção de polifenóis, utilizando o catecol como exemplo e obteve o resultado limite de detecção de 32 μmol.L-1 com coeficiente de correlação de (R²) de 0.9972 numa faixa de trabalho de 90 to 750 μmol.L-1 . mostrando assim que os eletrodos modificados apresentam alta sensibilidade e alta linearidade para os compostos estudados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo ao Programa - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Externo à Instituição - MARCO ANTONIO QUIROZ ALFARO - udlap
Externo à Instituição - SUELY SOUZA LEAL DE CASTRO - UERN
Notícia cadastrada em: 06/12/2018 11:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao