Banca de DEFESA: LETÍCIA GRACYELLE ALEXANDRE COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : LETÍCIA GRACYELLE ALEXANDRE COSTA
DATA : 28/08/2018
HORA: 11:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO E VALIDAÇÃO DE METODOLOGIA PARA DETERMINAR FÁRMACOS ANTITUBERCULOSE EM EFLUENTE HOSPITALAR


PALAVRAS-CHAVES:

Efluente Hospitalar; Isoniazida; Rifampicina; Etambutol; Pirazinamida; HPLC-MS/MS.


PÁGINAS: 86
RESUMO:

Os fármacos constituem o grupo de contaminantes emergentes que vem recebendo a atenção nos últimos anos, sendo os efluentes hospitalares a fonte predominante de introdução desses no ambiente. A principal preocupação relacionada à presença desses compostos no meio ambiente é devido ao desenvolvimento de resistência bacteriana. Os antibióticos se destacam por causa do seu uso intensivo, podendo-se enfatizar os que combatem à Tuberculose considerada um dos maiores problemas de saúde mundial. Diante dessa conjuntura, foi proposto desenvolver e validar uma metodologia de cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massas em tandem com ionização por eletrospray, para a análise de fármacos anti-tuberculose via injeção direta em amostras de efluente hospitalar. O método desenvolvido cumpriu com todos os parâmetros de validação exigidos.  A Robustez do método foi avaliada através do teste de Youden, que permitiu determinar que a melhor condição cromatográfica foi a que utiliza a vazão da fase móvel de 0,150 mL min-1, temperatura da coluna de 25°C, sem acidificação da amostra e utilizando a coluna  Acclain Polar Advanced (C16). O método apresentou boa linearidade na faixa de trabalho de 0,1 a 100 µg L-1 com valores de R2 superiores 0,9632 para os quatro fármacos. O método demonstrou-se sensível, preciso, robusto e com recuperações em conformidade com o estabelecido pelo INMETRO, superiores a 80%. Os LDs e os LQs foram respectivamente de 0,028 e 0,057 µg L-1 para a Pirazinamida, de 0,094 e 0,176 µg L-1 para a Isoniazida, de 0,416 e 0,833 µg L-1 para a Rifampicina e de 0,263 e 0,519 µg L-1 para o Etambutol. Em relação as amostras de Efluente Hospitalar, não foi detectado Etambutol em nenhuma das amostras, enquanto a Isoniazida foi determinada em todas as amostras, nas concentrações entre 3,25 e 23,09 µg L-1. Portanto, pode-se concluir que o método desenvolvido pode ser aplicado para a determinação desses compostos farmacêuticos com alta precisão e sensibilidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Interno - 347057 - TEREZA NEUMA DE CASTRO DANTAS
Externo ao Programa - 2275848 - ELISAMA VIEIRA DOS SANTOS
Externo à Instituição - RICARDO HENRIQUE DE LIMA LEITE - UFERSA
Notícia cadastrada em: 20/08/2018 14:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao