Banca de DEFESA: ELVIS LOPES BRITO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ELVIS LOPES BRITO
DATA : 17/08/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do química 3
TÍTULO:

COMPÓSITOS SUPERPARAMAGNÉTICOS À BASE DE MAGNETITA E COMPLEXO INTERPOLIELETROLÍTICO


PALAVRAS-CHAVES:

Compósitos Magnéticos, Magnetita, Quitosana, poli (4-estirenossulfonato de sódio), Complexos Interpolieletrolíticos.


PÁGINAS: 76
RESUMO:

Nanopartículas magnéticas tem sido intensivamente estudadas devido à sua baixa toxicidade, propriedades superparamagnéticas em condições ambientes e baixo custo de produção. Tais características proporcionam uma potencial utilização em aplicações médicas e tecnológicas como liberação de fármaco, hipertermia, separação magnética e tratamento de efluentes. A funcionalização de nanopartículas com magnetita tem se mostrado extremamente promissora nas últimas décadas, uma vez que acarreta modificações dimensionais e químicas na superfície das partículas, tornando-as aptas a novas aplicações. A quitosana (CS) é amplamente utilizada para melhorar a biocompatibilidade de partículas magnéticas, a fim de produzir sistemas de partículas mais adequados para aplicação em biomedicina.  A CS possui grupos amino em sua estrutura macromolecular, os quais em condição ácida tornam-se protonados, resultando em grupos positivos que podem ser usados como revestimento de partículas, bem como na preparação de compósitos de rede polimérica. Neste trabalho, compósitos magnéticos (CMs) foram obtidos por precipitação química entre CS e poli (4-estirenossulfonato de sódio) NaPSS na presença de nanopartículas de magnetita, o qual foram preparados nas razões molares (SO3-/NH3+) de 1,43 e 0,7. Complexos interpolieletrolíticos (IPECs) foram preparados usando as mesmas razões, sendo estes obtidos em ausência de magnetita a fim de comparação. A composição e a microestrutura dos compósitos foram investigadas por análise termogravimétrica (TGA), espectroscopia no infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), difração de raios X (DRX), microscopia eletrônica de Transmissão (TEM) e potencial zeta (ζ). A caracterização magnética foi realizada através das medidas de magnetização Field cooled (FC) e zero Field Cooled (ZFC), além de histereses magnéticas em diferentes temperaturas. As caracterizações de composição e microestrutura evidenciaram que os compósitos magnéticos são constituídos de magnetita, Cs e PSS, tendo uma potencial zeta positivo ou negativo dependente da razão molar utilizada. Além disso, a matriz polimérica condiz com as características observadas para formação dos IPECs, o que indica a incorporação da magnetita nos IPECs. As medidas de magnetização confirmaram comportamento superparamagnético dos compósitos em temperatura de 25°C.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1753094 - ALCIDES DE OLIVEIRA WANDERLEY NETO
Presidente - 1198847 - JOSE LUIS CARDOZO FONSECA
Externo à Instituição - JOÃO MARIA SOARES - UERN
Notícia cadastrada em: 06/08/2018 11:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao