PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de QUALIFICAÇÃO: GEOVANE CHACON DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : GEOVANE CHACON DE CARVALHO
DATA : 11/04/2018
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

Caracterização de óleos vegetais por métodos térmicos e cromatográficos


PALAVRAS-CHAVES:

óleos vegetais, parâmetros de qualidade, termogravimetria, CG-MS, estudo reológico


PÁGINAS: 120
RESUMO:

A produção global de óleos vegetais tem vindo a expandir-se rapidamente nos últimos anos, impulsionada pela demanda do setor alimenta, farmacêutico, e cada vez mais, pelo uso de combustíveis e outras utilizações não alimentares, como oleoquímicos. Com base nisto, este trabalho propões a caracterização de óleos vegetais extraídos do fruto da Bixa orellana (urucum - OU), da caryodendron orinocense K. (cacay - OC), Chenopodium quinoa Willd (quinoa - OQ), Coffea robusta L. (café verde - OCV), Syzygium cumini (jamelão - OJ) e Moringa oleifera Lamarck que se extraiu das sementes e das folhas e flores, respectivamente OMS e OMFF. A qualidade dos óleos vegetais é caracterizada por vários parâmetros físicos e químicos que dependem de várias condições, tais como: fonte do óleo, origens geográficas, condições climáticas e agronômicas de crescimento, bem como condições de processamento e armazenamento. Este trabalho deteve-se a determinar os seguintes parâmetros: índice de acidez (I.A.), índice de saponificação (I.S.), índice de peróxido (I.P.), índice de iodo (I.I.), índice de refração (I.R.), densidade relativa (d), viscosidade (ƞ), composição e distribuição de ácidos graxos por cromatografia gasosa de acordo com Association of Official Analytical Chemists (AOAC). O presente trabalho ainda realizou a analise do espectro de infravermelho, um estudo termogravimétrico e reológico dos óleos vegetais com o objetivo de avaliar seus comportamentos em função da temperatura. Para o I.A. apenas as amostras de OU e OCV estão acima dos valores estabelecidos pela resolução RDC – n° 270, de 22 de setembro de 2005. Em relação aos índices de saponificação de acordo com o estabelecido em normas do Codex Alimentarius - Food and Agriculture Organization of the United Nations a única amostra cujo valor está acima do proposto é a de OMS. Em relação ao I.P. as amostras de OQ e OCV estão de acordo com a resolução da RDC. Os demais óleos apresentaram valores acima do valor requerido pela RDC. Em relação ao I.I. a amostra de OMFF apresentou o menor valor obtido, enquanto que a amostra de OCV apresentou o maior valor. Os índices de refração e as densidades apresentaram valores semelhantes para todos os óleos analisados. O estudo reológico foi realizado com o objetivo de obter os valores para a energia de ativação viscosa (Eav) e do parâmetro de ajuste (η0), os resultados obtidos neste estudo foram condizentes com outros estudos realizados em outros óleos vegetais. O estudo termogravimétrico foi realizado nas razões de aquecimento de 5 e 10°C/min nas atmosferas de N2 e ar sintético até 600 °C, obtendo assim as curvas TG/DTG/DSC. Através dos estudos termoanalítico pode-se verificar que cada óleo analisado possui são peculiaridades diante das decomposições térmicas propostas, observou-se que o óleo mais estável termicamente a uma razão de aquecimento de 10°C/min é o óleo de quinoa, enquanto o menos estável é o óleo de urucum, neste estudo ainda obtiveram-se os espectros de infravermelho referente às decomposições termoanalíticas e realizaram-se os estudos cinéticos das decomposições térmicas com a finalidade de calcular a ordem de reação (n), a energia de ativação (Ea) e o fator de frequência (A) pelos métodos de aproximação e integral, usando equações cinéticas propostas por Coats e Redfern, Horowitz e Meltzger, Madhusudanan e Van Krevelen. Em relação aos espectros de infravermelho médio observou-se que todos os espectros das amostras foram semelhantes. Por fim realizou-se à composição de ácidos graxos por CG-MS, as amostras em estudos apresentaram sete picos majoritários bem definidos. Estes picos foram identificados com a ajuda de um espectro de banco de dados NILTES 14.L. A quantificação de ácidos graxos foi obtida usando a relação área de pico. Estes ácidos graxos foram identificados como: C13:0 com tempo de retenção de 29,72 min, C15:0 com tempo de retenção de 35,84 min, C16:1 com um tempo de retenção de 42,35 min, C16:0 com um tempo de retenção de 43,06 min, C17:0 com um tempo de retenção de 45,82 min, C18:1 com um tempo de retenção de 48,69 min, C18:1 com um tempo de retenção de 48,71 min, C18:2 com um tempo de retenção de 48,54 min e, finalmente, C18:0 com um tempo de retenção de 49,39 min.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 7350310 - MARIA DE FATIMA VITORIA DE MOURA
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo ao Programa - 3149615 - HENRIQUE EDUARDO BEZERRA DA SILVA
Externo ao Programa - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Externo ao Programa - 2413537 - POLLYANA SOUZA CASTRO
Notícia cadastrada em: 02/04/2018 14:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa06-producao.info.ufrn.br.sigaa06-producao