Banca de DEFESA: DANIELE SILVA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DANIELE SILVA DOS SANTOS
DATA : 18/08/2017
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 3F1
TÍTULO:

ANÁLISE METABOLÔMICA DE Harpalyce brasiliana Benth: Influência Sazonal e simbiose com seus fungos endofíticos: nigrospora sp, Xylaria sp e colletrotichum sp.


PALAVRAS-CHAVES:

Harpalice brasiliana Benth, estresse biótico e abiótico, fungo xylaria sp, colletrotichum sp e nigrospora sp.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

A Harpalyce brasiliana Benth é um espécie de planta medicinal tipicamente nordestina caracterizada pelas suas diversas atividades biológicas. A investigação de seus metabólitos secundários não tem sido conclusivas quanto ao comportamento destes diante da variação sazonais e da sua relação simbiótica com seus fungos endofíticos. Dessa forma, esse trabalho reporta a investigação das mudanças metabólicas durante todo o desenvolvimento dos cultivares da H. brasiliana Benth através da CLUE-EM/QTOF, CLAE-RMN, RMN e CLAE-DAD e análise quimiométrica. O uso dessas técnicas permitiu a aquisição dos espectros dos extratos das 90 amostras do inverno e verão com a vantagem da solubilidade em etanol, um solvente não tóxico e de baixo custo. A análise desses espectros através das análise multivariadas revelou a alta concentração de floroglucinol (até 50%), isoflavonas (até 16%) e ácido graxo (30%) no período do verão. Estes desempenharam um papel fundamental no desenvolvimento da planta atuando como antioxidantes e osmolitos contra um possível estresse oxidativo causado pela variação da temperatura e radiação solar durante o cultivo da planta. No período do inverno revelou alta concentração de flavonol e flavona glicosilados (25 e 47%) e lipídeo (14%). Essa tendência de açucares possivelmente ocorreu devido à deficiência de nutriente causada pela alta umidade ocorrida no inverno, além de servirem como fonte de carbono e atuarem como antioxidantes captadores de ROS. Dessas folhas, foram isolados fungos, considerados endofíticos, nigrospora sp, xylaria sp e colletrotichum sp. Dos seus extratos foram identificados 16 metabólitos, sendo alguns deles encontrados nas amostras do verão, a isoflavona e floroglucinol (xylaria sp), cumarina (colletrotichum sp) e oxilipinas (nigrospora sp). A identificação desses metabólitos confirma haver uma relação simbiótica entre esses fungos e a planta.  Estes atuam como osmolitos onde os fungos endofíticos conferiram tolerância à planta diante dos estresses ocorridos durante o cultivo da sua planta hospedeira, conferindo asssim uma tolerância cruzada entre planta e fungo com a variação sazonal. Assim, este trabalho contriubui para um controle dos metabólitos secundários com potencial atividade biológica que torna a planta um possível fitoterápico na cura de doenças que afetam a população.  


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1569526 - RENATA MENDONÇA ARAUJO
Interno - 2140775 - LIVIA NUNES CAVALCANTI
Externo ao Programa - 1913849 - EDGAR PERIN MORAES
Externo ao Programa - 1893445 - EUZEBIO GUIMARAES BARBOSA
Externo à Instituição - EDILBERTO ROCHA SILVEIRA - UFC
Externo à Instituição - SAVIO MOITA PINHEIRO - UFPB
Notícia cadastrada em: 17/08/2017 08:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao