Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSE MATEUS DIAS NETO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE MATEUS DIAS NETO
DATA: 18/12/2015
HORA: 15:00
LOCAL: Labcim
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DE LÁTEX DO TIPO SBR E MICROESFERAS EXPANSÍVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO DE PASTAS DE CIMENTO FLEXÍVEIS PARA POÇOS DE PETRÓLEO SUBMETIDOS À INJEÇÃO DE VAPOR


PALAVRAS-CHAVES:

Pasta de cimento, látex SBR, polímero expansível, cimentação de poços de petróleo, injeção de vapor


PÁGINAS: 71
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Físico Química Inorgânica
RESUMO:

Para possibilitar a produção de hidrocarbonetos em campos de óleo pesado, o vapor é injetado ciclicamente diretamente pelo poço e a bainha de cimento pode ser submetida a temperaturas de até 300 ºC. Esse aumento brusco da temperatura provoca a dilatação do revestimento metálico que, com o resfriamento do poço ao final do ciclo, volta as suas dimensões iniciais, provocando tensões na bainha de cimento e gerando trincas que poderão levar a perda do isolamento hidráulico e, dessa forma, diminuir o tempo de vida produtiva do poço e aumentar os gastos com intervenções para correção do isolamento hidráulico. A utilização de látex como aditivo para formulação de pastas para poços de petróleo submetidos à injeção de vapor já vem sendo estudada há algum tempo, entretanto pesquisas nesta área ainda estão sendo desenvolvidas. Com base nesse histórico já descrito na literatura, utilizaremos o comparativo com o látex tipo SBR para avaliar as microesferas expansíveis a base de poliacrilamida para sua utilização em poços de injeção de vapor. Dentro deste contexto, este trabalho tem como objetivo estudar o comportamento físico e químico de sistemas de pastas de cimento Portland, aditivadas com SBR e polímero expansível, para cimentação de poços de petróleo sujeitos a injeção de vapor. Foram formuladas pastas com massa específica de 1,821 g/cm3 (15,2 lb/gal) e aditivadas com concentrações de 0; 133,7; 267,4 e 401,0 L/m3 (0; 1,0; 2,0 e 3,0 gpc) de SBR e de 0; 3,0; 6,0 e 9,0 % de polímero expansível. Foram realizados ensaios de resistência à compressão API com auxílio de extensômetros, para obtenção do módulo de elasticidade de do coeficiente de Poisson, e medidas de permeabilidade das pastas curadas a temperatura estática de fundo de poço além da cura simulando as condições de injeção de vapor. Também foram realizadas caracterizações morfológicas, microestruturais e térmicas dos aditivos e das pastas de cimento (DRX, TG, FTIR e MEV). Os resultados mostraram que o polímero expansível tem potencial para ser utilizado em operações de cimentação de poços de petróleo sujeitos a injeção de vapor.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1804366 - JULIO CEZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Externo ao Programa - 057.349.544-03 - PETRUCIA DUARTE DA SILVA MEIRELES - UFRN
Externo ao Programa - 053.459.154-07 - RODRIGO CESAR SANTIAGO - UFERSA
Notícia cadastrada em: 08/12/2015 15:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa01-producao.info.ufrn.br.sigaa01-producao