Banca de QUALIFICAÇÃO: MAILON AGUIMAR DE LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAILON AGUIMAR DE LIMA
DATA: 14/12/2015
HORA: 09:30
LOCAL: Labcim
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO E FUNCIONALIZAÇÃO DE RESÍDUO DE MICROFIBRAS DE CELULOSE PARA APLICAÇÃO EM PASTAS DE CIMENTO PARA POÇOS DE PETRÓLEO


PALAVRAS-CHAVES:

resíduo de fibra de algodão; processo de lixamento; pastas de cimento para cimentação de poços de petróleo; resistência à tração; interação fibra-matriz.


PÁGINAS: 83
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
RESUMO:

Atualmente, estima-se que a produção mundial de algodão atinja uma marca superior a 26 milhões de toneladas. Destas, cerca de 8% torna-se resíduo, o qual é descartado de maneira inapropriada, resultando em problemas ambientais. Neste contexto, estudos visando o reaproveitamento destes resíduos, tornam-se viáveis tanto no contexto ambiental, quanto no contexto econômico. Assim, o objetivo deste trabalho é de avaliar a influência da adição de diferentes teores e tamanhos de resíduo de fibra de algodão gerado a partir do processo de lixamento, resíduo cru e funcionalizado, como material de reforço em matrizes de cimento classe G para poços de petróleo. Inicialmente foi realizado a caracterização da fibra crua através de análises termogravimétricas, TGA e DSC, Infravermelho por Transformada de Fourrier, FTIR, e análise morfológica (SEM). Avaliou-se também a resistência da fibra ao meio alcalino, antes de sua aplicação no cimento. A funcionalização da fibra foi feita com o polieletrólito poli dialil dimetil amônio (PDDACl). Testes de resistência à tração por compressão diametral foram executados com o objetivo de avaliar a interação do resíduo com a matriz. A caracterização apontou que o resíduo é constituiído quase que exclusivamente por celulose, contendo apenas uma pequena quantidade de impurezas, provavelmente ceras e gorduras e/ou lignina e hemicelulose, além de ser altamente resistente ao meio alcalino. Análises colorimétricas, após tingimento e lavagem do resíduo, e Imagens SEM, demonstraram que o PDDACl aderiu-se de fato à superfície do resíduo por adsorção física. Os resultados de resistência à tração apontam que o ganho de resistência à tração é diretamente proporcinal a carga de resíduo celulósico utilizado. O resíduo de menor tamanho também apresentou maiores valores de resistência à tração, fato atribuído a uma maior superfície de contato bem como espalhamento mais homogêneo do resíduo. Não houve diferenças significativas, a curto prazo, entre o uso do resíduo cru e funcionalizado, entretanto, novos estudos são importantes para avaliar a estrutura morfológica da interface entre o material de reforço e a matriz.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2052404 - FERNANDO RIBEIRO OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2941160 - JOSE HERIBERTO OLIVEIRA DO NASCIMENTO
Presidente - 1804366 - JULIO CEZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Notícia cadastrada em: 04/12/2015 17:01
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao