Banca de DEFESA: LECH WALESA OLIVEIRA SOARES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LECH WALESA OLIVEIRA SOARES
DATA: 01/04/2015
HORA: 14:00
LOCAL: NTCPP - Núcleo Tecnológico em Cimentação de Poços de Pétroleo da UFRN
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DA CINZA DA CASCA DE ARROZ EM CIMENTAÇÃO DE POÇOS DE PETRÓLEO


PALAVRAS-CHAVES:

Cimentação de poços de petróleo, cinza da casca de arroz, atividade pozolânica, hidróxido de cálcio (CH), silicato de cálcio hidratado (C-S-H).


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Físico Química Inorgânica
RESUMO:

A cimentação de poços de petróleo tem como função básica promover a estabilidade mecânica e selar hidraulicamente o poço impedindo a comunicação entre os diferentes tipos de fluidos. Materiais pozolânicos são adicionados ao cimento, pois reagem com o hidróxido de cálcio formando silicatos e aluminatos de cálcio hidratado, melhorando a estabilidade química dos produtos das fases hidratadas. A utilização da cinza da casca de arroz, um rejeito da agroindústria, na substituição parcial ou em adição ao cimento é uma alternativa sustentável, na qual é possível reduzir os índices de emissão de CO2 no processo de fabricação do cimento. Nesse trabalho foi avaliada a atividade pozolânica da cinza da casca de arroz (RHA e WRHA) em pastas de cimento para poços de petróleo em adições de 10% e 20% com relação à massa de cimento (BWOC). As pastas foram curadas por 28 dias a 38ºC. As cinzas foram caracterizadas pelas técnicas de Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV), Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR), Energia Dispersiva de Raios X (EDX) e área superficial (BET). A atividade pozolânica foi avaliada pelas técnicas de Análise Termogravimétrica (TGA), Difração de Raios X (DRX) e Resistência à Compressão. Os resultados de TGA demonstraram que a adição da WRHA promoveu uma redução de aproximadamente 73% da fase Portlandita com relação à pasta padrão. A partir dos resultados de DRX foi possível se evidenciou a redução da intensidade dos picos de Portlandita. Com base nos resultados apresentados podemos concluir que a cinza da casca do arroz reagiu quimicamente com a Portlandita produzindo C-S-H confirmando seu efeito como agente pozolânico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1804366 - JULIO CEZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Interno - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo à Instituição - CRISTIANE RICHARD DE MIRANDA - PETROBRAS
Externo à Instituição - RENATA MARTINS BRAGA - UFRN
Notícia cadastrada em: 24/03/2015 16:03
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa22-producao.info.ufrn.br.sigaa22-producao