PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de DEFESA: DANIELA KARLA DE SOUZA XAVIER

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELA KARLA DE SOUZA XAVIER
DATA: 29/01/2015
HORA: 14:00
LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO NUP-ER
TÍTULO:

ESTUDO DA EFICIÊNCIA ELETROQUÍMICA PARA TRATAMENTO DE CHORUME GERADO EM ATERRO SANITÁRIO BRASILEIRO


PALAVRAS-CHAVES:

Hidroquinona, chorume, eletro-oxidação, eletrocoagulação.


PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Eletroanalítica
RESUMO:

Este trabalho foi desenvolvido realizando estudos de degradação de efluentes mediante o tratamento eletroquímico usando o eletrodo de PbO2. A oxidação eletroquímica (OE) de hidroquinona (H2Q) foi realizada, em meio ácido, utilizando eletrodo de PbO2 por eletrólise galvanostática, aplicando densidade de corrente de 10 e 30 mA/cm2. A concentração de H2Q foi monitorada por voltametria de pulso diferencial (DPV). Os resultados experimentais de eletrólise galvanostática mostraram que os desempenhos do processo dependem significativamente da densidade de corrente aplicada, obtendo eficiências de remoção de 100% e 80% aplicando 30 e 10 mA/cm2, respectivamente. Além disso, a técnica eletroanalítica foi eficiente ao ser utilizada como um método de detecção de H2Q. Com o intuito de testar a eficiência do eletrodo de PbO2, foi realizado o tratamento eletroquímico de um efluente real, chorume de um aterro. O resíduo líquido percolado (600 mL do efluente) foi tratado numa célula eletroquímica em batelada, com ou sem adição de NaCl, aplicando 7 mA/cm2. A eficiência da OE foi avaliada em função da remoção de coliformes termo-tolerantes, carbono orgânico total (COT), fósforo total e metais (cobre, cobalto, cromo, ferro e níquel). Estes resultados mostraram que, uma eficiente remoção de coliformes foi obtida (100 %), e ainda ocorreu a diminuição da concentração de metais pesados mediante os processos ao catodo. Entretanto, os resultados de COT não foram satisfatórios, atingindo baixas remoções da carga orgânica total dissolvida. Por se tratar de um efluente considerado complexo foram desenvolvidos outros testes com este efluente para acompanhar um número maior de parâmetros de descontaminação (Turbidez, Sólidos Totais, Cor, Condutividade, Carbono Orgânico Total (COT) e metais (Bário, Cromo, Lítio, Manganês e Zinco)), comparando a eficiência do tipo de tratamento eletroquímico (EO ou eletrocoagulação) usando uma célula em fluxo. Neste ensaio foi comparado a eletrooxidação em fluxo contínuo. No caso da OE, Ti/IrO2–TaO5 foi usado como anodo, no entanto, no processo de eletrocoagulação, eletrodos de alumínio foram usados; aplicando densidades de correntes de 10, 20 e 30 mA/cm2, na presença e ausência de NaCl como eletrólito. Os resultados mostraram que a EO usando Ti/IrO2–TaO5 como anodo foi eficiente quando o Cl- estava presente no efluente. Contrariamente, a eletrocoagulação em fluxo reduz a matéria orgânica dissolvida no efluente, sob certas condições experimentais.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA FRANCISCA FERNANDES BARBOSA - UFMA
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo à Instituição - ELIANE GONÇALVES DE ARAÚJO - CAPES
Externo à Instituição - LUZIA PATRICIA FERNANDES DE CARVALHO GALVAO - UnP
Notícia cadastrada em: 09/01/2015 15:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao