Banca de DEFESA: JULIANA PATRICIA SOUZA DUARTE PONTES

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA PATRICIA SOUZA DUARTE PONTES
DATA: 29/01/2015
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO NUP-ER
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DO TRATAMENTO ELETROQUÍMICO (DIRETO E INDIRETO) COMO ALTERNATIVA DE DEGRADAÇÃO DO CORANTE AZUL DE METILENO


PALAVRAS-CHAVES:

Tratamento eletroquímico. Corantes. Azul de metileno. Tratamento de águas residuais. Oxidação eletroquímica.


PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Eletroanalítica
RESUMO:

Neste trabalho foi estudada a degradação eletroquímica de efluentes simulados da indústria têxtil contendo o corante Azul de Metileno (AM), avaliando o desempenho de dois materiais anódicos de composições Ti/IrO2-Ta2O5 e Ti/Pt, através dos processos eletroquímicos de eletrooxidação direta e indireta via cloro ativo. Foram avaliados a influência de três tipos de densidade de corrente (20, 40 e 60 mA/cm2), a presença e diferentes concentrações de eletrólitos (Na2SO4 e NaCl), bem como o meio (neutro e alcalino). O tratamento eletroquímico foi realizado em reator de fluxo contínuo, no qual o tempo de eletrólise sobre a oxidação eletroquímica de 100 ppm do AM foi de 6 horas. O desempenho do processo eletroquímico foi avaliado em função das análises de ultravioleta-visível (UV-Vis), demanda química de oxigênio (DQO) e carbono orgânico total (COT). Os resultados mostraram que com o aumento da densidade de corrente, foi possível obter 100 % de remoção de cor para os dois tipos de eletrodos (Ti/IrO2-Ta2O5 e Ti/Pt). Já em relação à eficácia da remoção da cor na presença e concentração de eletrólito, houve melhores percentuais de remoções usando 0,02 M de Na2SO4 e 0,017 M de NaCl, simultaneamente, para os dois tipos de materiais eletrocatalíticos trabalhados. Com relação ao meio, os melhores resultados de remoção de cor foram para o meio alcalino em eletrodo de Ti/Pt. Já a quantidade de matéria oxidável chegou ao máximo de 86 %, no eletrodo de Ti/Pt em meio neutro; e a quantidade de matéria orgânica, com remoções de até 30 % para o eletrodo de Ti/Pt em meio alcalino. O consumo energético e o custo do processo de oxidação eletroquímica obteve seus melhores resultados para a menor densidade de corrente (20 mA/cm2), em até 6 horas de eletrólise. Ao final foram comparados os três parâmetros analisados, concluindo-se que o melhor desempenho do processo eletroquímico de eletrooxidação para a remoção do AM é a cor e a DQO.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA FRANCISCA FERNANDES BARBOSA - UFMA
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo à Instituição - LUZIA PATRICIA FERNANDES DE CARVALHO GALVAO - UnP
Interno - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Notícia cadastrada em: 09/01/2015 15:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa16-producao.info.ufrn.br.sigaa16-producao