PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANGELO ARAUJO SOARES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANGELO ARAUJO SOARES
DATA: 08/12/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Núcleo Tecnológico em Cimentação de Poços de Petróleo (NTCPP)
TÍTULO:

ESTUDO DE COMPATIBILIDADE ENTRE PASTA DE CIMENTO E DE FLUIDO DE PERFURAÇÃO NÃO AQUOSO


PALAVRAS-CHAVES:

fluido de perfuração, pasta de cimento, surfactante, molhabilidade


PÁGINAS: 80
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Físico-Química
ESPECIALIDADE: Química de Interfaces
RESUMO:

A cimentação de poços constitui uma das etapas de maior impacto sobre a vida produtiva de um poço de petróleo, pois uma cimentação bem sucedida garante a estabilidade mecânica do revestimento e assegura o isolamento das zonas perfuradas. Entretanto caso ocorra interações entre a pasta de cimento e o fluido de perfuração, as reações de hidratação podem ser comprometidas e o processo de cimentação ineficiente. Desta forma, foi realizado o estudo de compatibilidade de formulações de um fluido de perfuração à base de óleo e uma pasta de cimento. Utilizou-se o procedimento do teste de compatibilidade conforme estabelecidos pela API Spec 10A o qual inclui a determinação das propriedades reológicas, tempo de espessamento e resistência à compressão. Realizou-se análises de microscopia eletrônica de varredura e difração de raios-X das misturas obtidas pelo teste de compatibilidade após a cura em banho termostático na temperatura de poço de 125 F. O teste de compatibilidade não apresentou mudanças visuais nas propriedades da pasta de cimento, como sedimentação e/ou separação de fases. Entretanto, após a adição de fluido de perfuração à pasta de cimento houve um aumento no valor da viscosidade plástica, do limite de escoamento e da força gel. Dentre os principais fatores causadores pode-se citar: a reação química dos componentes presentes no fluido de perfuração com os constituintes químicos do cimento, como o emulsificante primário, o agente óleo molhante e a parafina. Houve uma redução da resistência mecânica da pasta de cimento de 11% e 59% após adição de 5% e 25% de fluido de perfuração respectivamente. O teste de espessamento demonstrou que o agente óleo molhante possui ação aceleradora do tempo de pega. A estabilidade da pasta de cimento é prejudicada à medida que ocorre aumento da contaminação da pasta de cimento. Obteve-se de acordo com a difração de raios-X a formação da portlandita e silicato de cálcio nas amostras contaminadas. Estas estruturas foram comprovadas pelas análises de MEV, bem como a formação de microcavidades na pasta de cimento curada. As microcavidades, formadas pela estabilização da emulsão do fluido de perfuração na pasta de cimento, estão relacionadas à redução da resistência mecânica da pasta de cimento. O estudo da compatibilidade entre a pasta de cimento e o fluido de perfuração à base de óleo é um teste fundamental para prever os efeitos que uma contaminação pode ocasionar as propriedades químicas de interface de uma pasta de cimento.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1804366 - JULIO CEZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Interno - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo à Instituição - RENATA MARTINS BRAGA - UFPB
Notícia cadastrada em: 05/12/2014 14:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao