PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de QUALIFICAÇÃO: JULIANA PATRICIA SOUZA DUARTE PONTES

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA PATRICIA SOUZA DUARTE PONTES
DATA: 11/12/2014
HORA: 15:00
LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO NUP-ER
TÍTULO:

UTILIZAÇÃO DO TRATAMENTO ELETROQUÍMICO (DIRETO E INDIRETO) COMO ALTERNATIVA DE DEGRADAÇÃO DO CORANTE AZUL DE METILENO.


PALAVRAS-CHAVES:

Tratamento eletroquímico. Corantes. Azul de metileno. Tratamento de águas residuais. Oxidação eletroquímica.


PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Eletroanalítica
RESUMO:

O presente trabalho teve como objeto de estudo a degradação do corante azul de metileno (AM), composto presente em efluente proveniente da indústria têxtil, utilizando o processo eletroquímico de eletrooxidação como forma de tratamento. O efluente utilizado para tratamento eletroquímico foi sintetizado em laboratório, sendo avaliados vários fatores que podem influenciar no funcionamento do tratamento, favorecendo ou não as reações de eletrólise. Os fatores estudados foram: pH; três densidades de corrente (20 mA/cm2, 40 mA/cme 60 mA/cm2); a presença e concentração de eletrólitos (NaCl e Na2SO4); e dois tipos distintos de material anódico (Ti/IrO2-Ta2Oe Ti/Pt), com as eletrólises realizadas em reator eletroquímico em fluxo contínuo com os eletrodos apresentando área geométrica de 63,5 cm2. O desempenho do processo eletroquímico foi avaliado em função da eficiência de remoção pela demanda química de oxigênio (DQO), carbono orgânico total (COT), cor e custo operacional. Os resultados apontaram uma remoção de cor de quase 100 % para Ti/Pt, já o material eletrocatalítico Ti/IrO2-Ta2Ofoi obtido 100 % para diferentes condições experimentais, sendo possível deixar a cor do efluente sintético totalmente transparente, em boa parte dos experimentos. A densidade de corrente foi verificada que quando há seu aumento, certamente ocorre uma melhor eficiência no processo de oxidação eletroquímica. Com relação à eficácia da presença e concentração de eletrólito, houve melhores remoções com a mistura de Na2SO4 e NaCl para os dois tipos de materiais eletrocatalíticos trabalhados, do que quando só foi utilizado o Na2SO4. Com relação ao pH, os melhores resultados foram para pH alcalino em eletrodo de Ti/IrO2-Ta2O5. A DQO obteve valores superiores a 70 % para os dois tipos de pH investigados, porém se aplicando apenas para o eletrodo de Ti/Pt. Todavia para o Ti/IrO2-Ta2Oas remoção da DQO a máxima foram de 54 % para pH preparado. Por último foi executado o parâmetro de carbono orgânico total (COT), que apresentaram remoções que não chegaram a 20 % para os dois eletrodos empregados. O consumo energético e o custo do processo de oxidação eletroquímica obteve seus melhores resultados para as menores densidade de corrente (20 mA/cm2), em até 6 horas de eletrólise. Ao final foram comparados os três parâmetros analisados, concluindo-se o melhor desempenho do processo eletroquímico de eletrooxidação para a remoção do AM é a cor e DQO. Assim, a eletroquímica pode ser uma técnica útil. Estes resultados indicaram a viabilidade técnica do processo de oxidação eletroquímica como pré-tratamento de efluentes industiais têxteis contendo o corante AM.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Interno - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Notícia cadastrada em: 26/11/2014 16:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa03-producao.info.ufrn.br.sigaa03-producao