PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de QUALIFICAÇÃO: DANIELA KARLA DE SOUZA XAVIER

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELA KARLA DE SOUZA XAVIER
DATA: 11/12/2014
HORA: 09:00
LOCAL: SALA DE REUNIÃO DO NUP-ER
TÍTULO:

ESTUDO DA EFICIÊNCIA ELETROQUÍMICA PARA TRATAMENTO DE CHORUME GERADO EM ATERRO BRASILEIRO.


PALAVRAS-CHAVES:

Tratamento eletroquímico. efluente real. Tratamento de águas residuais. Oxidação eletroquímica.


PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Analítica
ESPECIALIDADE: Eletroanalítica
RESUMO:

Este trabalho foi desenvolvido realizando estudos de degradação no tratamento eletroquímico de hidroquinona e de Chorume, usando a eletrooxidação e eletrocoagulação. A oxidação eletroquímica (OE) de hidroquinona (H2Q) foi realizado, em meio ácido, utilizando eletrodo de PbO2 por eletrólise galvanostática, aplicando densidade de corrente de 10 e 30 mA/cm2. A concentração de óxido de etileno durante a o tratamento de H2Q também foi monitorado por voltametria de impulsos diferencial (DPV). Os resultados experimentais de eletrólise galvanostática mostraram que os desempenhos do processo dependem significativamente da densidade de corrente aplicada e, em particular, as eficiências de remoção obtidas com o ânodo de PbO2 eram 100% e 80%, aos 30 e aos 10 mA/cm2, respectivamente. Além disso, a técnica eletroanalítica foi eficientemente utilizado como um método de detecção de H2Q e a análise de DPV foi comparada com o método de HPLC, conseguido um bom ajuste de limites e intervalos de confiança. Com o intuito de testar a eficiência do eletrodo de PbO2, foi realizado um outro tratamento eletroquímico usando o Chorume. O resíduo líquido percolado foi tratado por eletrooxidação em batelada, adicionando 600 mL do efluente, submetendo o chorume a agitação por duas e quatro horas, sem e com a presença de eletrólito (NaCl), utilizando uma densidade de corrente de 7 mA/cm2, para avaliar a eficiência de remoção de Coliformes Termotolerantes, Carbono Orgânico Total (COT) Fósforo Total e Metais (Cobre, Cobalto, Cromo, ferro e Níquel). Como resultados, pode concluir que esta técnica mostrou-se eficiente na configuração testada para a remoção de coliformes presentes, ocorrendo 100 % de remoção nos testes três e quatro horas, e ainda ocorreu a redução da concentração de metais pesados, fazendo assim, com que este efluente possa ser descartado adequadamente em corpos d’água, seguindo a CONAMA 430/2011 e CONAMA 274/2000. Infelizmente os resultados de COT não foram tão eficientes, não ocorrendo uma remoção elevado, mas conseguiu-se obter uma quantidade ainda satisfatória no último ensaio. Por se tratar de um efluente considerado complexo, foi desenvolvido outros testes com este efluente para acompanhar seu potencial de remoção referente à Turbidez, Sólidos Totais, Cor, Condutividade, Carbono Orgânico Total (COT) e metais (Bário, Cromo, Lítio, Manganês e Zinco). Neste ensaio foi comparado a eletrooxidação em fluxo contínuo com eletrodo de Ti/IrO2–TaO5/Ti e a eletrocoagulação em fluxo continuo com Al/Al. Para ambos foram tratados em ensaios de 5h, com densidades de correntes de 10, 20 e 30 mA/cm2, na presença e ausência de eletrólito. Finalizando, pode-se concluir que a eletrocoagulação não se mostrou eficiente quando comparada com a eletrooxidação para tratamento de Chorume, pois os íons metálicos que são liberados a partir do ânodo de Alumínio e muitas espécies monoméricas de hidrólise iônica que são formadas, podem ter produzido outras substâncias, aumentando em alguns ensaios realizados aumentando a concentração da Turbidez e de alguns metais (Bário, Cromo e Manganês), impedindo sua remoção, apresentando assim, a eletrooxidação melhor desempenho devido a sua oxidação indireta, utilizando cloro / hipoclorito formado pela oxidação anódica de cloro originalmente existente no lixiviado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Interno - 348475 - DJALMA RIBEIRO DA SILVA
Externo à Instituição - ELIANE GONÇALVES DE ARAÚJO - CAPES
Notícia cadastrada em: 26/11/2014 16:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa02-producao.info.ufrn.br.sigaa02-producao