PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de DEFESA: JÉSSICA HORACINA BEZERRA ROCHA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JÉSSICA HORACINA BEZERRA ROCHA
DATA: 24/10/2014
HORA: 15:00
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

Tecnologia Eletroquímica como tratamento Alternativo de Efluentes Derivados da Indústria Têxtil e Petroquímica.


PALAVRAS-CHAVES:

Oxidação eletroquímica, Materiais eletrocatalíticos, Tratamento de efluentes, Corantes, Água produzida.


PÁGINAS: 120
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Físico-Química
ESPECIALIDADE: Eletroquímica
RESUMO:

Neste trabalho, o tratamento de efluentes da indústria têxtil, contendo corantes como Amarelo de Novacron (YN), Vermelho de Remazol BR (RRB) e Azul de Novacron CD (NB), e o tratamento de efluentes da indústria do petróleo (água produzida), foram investigadas por oxidação anódica com ânodos de Platina suportada em titânio (Ti/Pt) e Diamante Dopado com Boro (DDB). Certamente, um dos principais parâmetros neste tipo de tratamento é o tipo de material eletrocatalítico utilizado, uma vez que os mecanismos e os produtos de algumas reações anódicas dependem dele. A eletrólise galvanostática dos efluentes sintéticos RRB, NB e YN foi investigada a fim de encontrar as melhores condições para a remoção da cor e da carga orgânica do corante. De acordo com os resultados experimentais obtidos, o processo de oxidação eletroquímica é adequado para descoloração de águas residuais contendo esses corantes têxteis, devido às propriedades eletrocatalíticas dos ânodos DDB e Pt. A remoção da carga orgânica foi mais eficiente em eletrodos de DDB, em todos os casos, os corantes foram degradados à ácidos carboxílicos alifáticos no final da eletrólise. Exigências de energia para a remoção de cor durante eletrólises galvanostáticas das soluções sintéticas de RRB, NB e YN depende principalmente das condições de funcionamento, por exemplo, RRB, passa de 3,30 kWh m-3 em 20 mA cm-2 para 4,28 kWh m-3 em 60 mA cm-2 (pH = 1); 15,23 kWh m-3 em 20 mA cm-2 para 24,75 kWh m-3 em 60 mA cm-2 (pH = 4,5); 10,80 kWh m-3 em 20 mA cm-2 para 31,5 kWh m-3 em 60 mA cm-2 (pH = 8) (dados estimados por volume de efluente tratado). No estudo da degradação eletroquímica da água produzida de petróleo, as eletrólises galvanostáticas no ânodo de DDB levaram à completa remoção de DQO (98%), devido às grandes quantidades de radicais hidroxila e peroxodissulfatos gerados a partir da oxidação da água e sulfatos em solução, respectivamente. Sendo assim, a taxa de remoção da DQO aumenta com o incremento da corrente aplicada (15-60 mA cm-2). Por outro lado, no eletrodo de Pt, aproximadamente 50% de remoção da carga orgânica foi alcançada através da aplicação de 15 a 30 mAcm-2 e 80% de remoção de DQO a 60 mAcm-2. Dessa forma, os resultados obtidos na aplicação desta tecnologia foram satisfatórios dependendo do material eletrocatalítico e das condições operacionais utilizadas, tanto para remoção de carga orgânica em efluentes têxteis e petroquimicos quanto para remoção de cor, no caso dos efluentes têxteis. Portanto, a aplicação do tratamento eletroquímico pode ser considerada como uma alternativa viável no pré-tratamento ou tratamento de efluentes derivados da indústria têxtil e petroquímica.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1645110 - CARLOS ALBERTO MARTINEZ HUITLE
Externo à Instituição - DANYELLE MEDEIROS DE ARAUJO - CAPES
Externo à Instituição - ELIANE GONÇALVES DE ARAÚJO - CAPES
Interno - 1412709 - NEDJA SUELY FERNANDES
Externo à Instituição - RICARDO ANDRES SALAZAR GONZALEZ - UNAM
Notícia cadastrada em: 14/10/2014 16:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao