Banca de DEFESA: JOSE ALBERTO BATISTA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE ALBERTO BATISTA DA SILVA
DATA: 25/07/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Aula 3F1
TÍTULO:

Estudo da Adsorção de CO2 Utilizando MCM-41 Sintetizada de Fonte Alternativa de Sílica.


PALAVRAS-CHAVES:

“Adsorção; Dióxido de Carbono; Sílica; MCM-41”


PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Não-Metais e Seus Compostos
RESUMO:

Entre os gases do efeito estufa, GEE, o CO2 é considerado, por muitos cientistas, o principal causador do aquecimento global, devido ao volume elevado emissões, principalmente da queima de combustíveis fósseis. O índice de concentração deste gás na atmosfera é de cerca de 400 ppm, que é significativamente mais elevado do que o nível do período pré-industrial de cerca de 300 ppm. A tecnologia de adsorção para captura de CO2 tem sido exaustivamente utilizada buscando minimizar os efeitos danosos desse contaminante no ambiente, onde novos adsorventes, com mais baixos custos, tem sido foco de pesquisa no mundo. Diante deste cenário, foram sintetizados neste trabalho adsorventes mesoporosos denominados MCM-41 a partir de sílica denominada MP1, proveniente de fonte abundante e de baixo custo, utilizando metodologia de obtenção inovadora, desenvolvida a partir de estudos das características físico-químicas da matéria-prima que foi utilizada para se obter a sílica utilizada neste trabalho. As análises de EDX, infravermelho, termogravimetria, DRX, e propriedades texturais através do método BET, foram utilizadas para caracterização da sílica MP1, onde se obteve resultados compatíveis ao da sílica comercial, também utilizada neste trabalho para comparação. A porcentagem de SiO2 obtida foi de 96%, e o espectro FTIR apresentou bandas características da sílica em 3460 cm-1, 1635 cm-1,1073 cm-1, 950 cm-1, 792 cm-1  Análises térmicas indicaram eventos de perda de massa, similares ao da sílica. As sílicas MP1 e comercial foram utilizadas na síntese de materiais mesoporosos MCM-41 e MgMCM41, nas mesmas condições reacionais. Os adsorventes obtidos foram caracterizados através de Difratometria de raios-X, DRX, Espectroscopia de Infravermelho com transformada de Fourier - FTIR, Análises termogravimétricas - TG/DTG, Análises texturais pelo método de BET, Microscopia eletrônica de varredura - MEV e os resultados obtidos foram concordantes com os encontrados na literatura para estes materiais mesoporosos. A fim de se obter dados sobre a reatividade da sílica foi realizado um estudo cinético da remoção do direcionador da estrutura da MCM-41 utilizando o modelo cinético de Vyazovkin, obtendo-se um valor absoluto de taxa de conversão de 90% igual a ± 213 KJ.mol-1 e médio de ± 170 kj.mol-1 para as diferentes taxas de conversão. Os adsorventes obtidos foram aplicados na captura de CO2, por método gravimétrico, onde as isotermas de adsorção e os dados experimentais de capacidade de adsorção foram avaliados utilizando o modelo cinético de Freundlich, onde foi obtido um KF igual a 4,31 mmol.g-1. O estudo termodinâmico do processo de adsorção de CO2 com a MCM41 obtida com sílica MP1, à pressão relativa variável, foi efetuado com a determinação da energia de Gibbs e da entropia envolvidas no processo de adsorção de CO2, a 298 K. Os valores para a capacidade máxima de adsorção de CO2 obtidos para os adsorventes MCM-41 e MgMCM-41 produzidos da sílica MP1, foram  4,22 mmol/g e 1,63 mmol/g, respectivamente. A sílica MP1, produzida neste trabalho, apresenta grande potencial para utilização comercial, além de ser obtida por metodologia que reduz o custo de produção, comparado aos processos industriais vigenteS.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Presidente - 1805556 - LUCIENE DA SILVA SANTOS
Externo à Instituição - MARITZA MONTOYA URBINA - UFAL
Notícia cadastrada em: 10/07/2014 08:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa15-producao.info.ufrn.br.sigaa15-producao