PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO ALEXIS DANTAS MAIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO ALEXIS DANTAS MAIA
DATA: 19/03/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do CCET
TÍTULO:

CARACTERIZAÇÃO E APLICAÇÃO DA VERMICULITA NATURAL E QUIMICAMENTE MODIFICADA NA ADSORÇÃO DE AZUL DE METILENO


PALAVRAS-CHAVES:

Argilas, vermiculita, corante, azul de metileno e adsorção.


PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Inorgânica
ESPECIALIDADE: Compostos Organo-Metálicos
RESUMO:

A modificação química de argilas tem sido extremamente estudada na busca por melhorias de suas propriedades para seu uso em diversas áreas, como por exemplo, no combate a poluição ocasionada por efluentes industriais como corantes. Neste trabalho, a vermiculita foi modificada quimicamente de duas maneiras, caracterizada e avaliada na adsorção do corante azul de metileno. Primeiro foi alterada com adição de um surfactante (argilas organofílicas)  (brometo de dodeciltrimetilamônio) e depois pela adição de um ácido (HCl) (ativação ácida) . Algumas análises foram realizadas como fluorescência de raios-X (FRX), difração de raios-X (DRX) , isotermas de adsorção do corante azul de metileno, Infravermelho, microscopia eletrônica de varredura e Espectroscopia de energia dispersiva. Análise por FRX da vermiculita natural  indica  que além do silício e do alumínio, a argila apresenta em sua estrutura possui os cátions magnésio, cálcio e potássio com 16 % de matéria orgânica. As análises por DRX indicam que na vermiculita orgânica houve uma inserção parcial do surfactante no espaço entre as lamelas, e na vermiculita ácida uma destruição parcial da estrutura com perda de cristalinidade. As isotermas de adsorção do azul de metileno mostraram que houve uma melhora significativa na remoção do corante para a vermiculita com a adição do surfactante catiônico  brometo de dodeciltrimetilamônio,  bem como com tratamento ácido utilizando HCl 2 mol/L. O Infravermelho  comprovou as características da vermiculita natural. Na vermiculita orgânica observou-se o aparecimento de bandas características de grupos CH3, CH2, além de (CH3)4N. Já na vermiculita ácida, percebeu-se uma destruição parcial com a diminuição de intensidade da banda característica das vermiculitas que é entre 1074 e 952 cm-1. Na análise de MEV, observou-se que o espaço interlamelar aumentou com o tratamento com o surfactante, mas houve destruição parcial com o tratamento ácido. Ainda para a conclusão do trabalho, será feita Análise térmica  (TGA).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 350633 - ADEMIR OLIVEIRA DA SILVA
Externo ao Programa - 1149550 - FRANCISCO JOSE SANTOS LIMA
Interno - 1308577 - SIBELE BERENICE CASTELLA PERGHER
Notícia cadastrada em: 25/02/2014 12:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa20-producao.info.ufrn.br.sigaa20-producao