PPGQ/CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA INSTITUTO DE QUÍMICA Telefone/Ramal: (84) 3342-2323/136 https://posgraduacao.ufrn.br/ppgq

Banca de DEFESA: OLDEMAR RIBEIRO CARDOSO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: OLDEMAR RIBEIRO CARDOSO
DATA: 21/02/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de Aula I - LAPET
TÍTULO:

Entendendo as propriedades do arenito Botucatu e sua utilização como meio poroso para estudos envolvendo o deslocamento de fluidos poliméricos


PALAVRAS-CHAVES:

Arenito. Botucatu. Poliacrilamidas. Meio Poroso. EOR


PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Química
SUBÁREA: Química Orgânica
ESPECIALIDADE: Polímeros e Colóides
RESUMO:

Embora com considerável grau de aproximação, os plugs de rochas têm sido, nas últimas décadas, uma forte ferramenta para estudos referentes ao entendimento das relações rocha/fluido, especialmente nos processos de recuperação de petróleo. Vários têm sido os trabalhos onde os plugs são utilizados das mais diversas formas e para as mais diversas finalidades. Estudos voltados à recuperação aumentada (ou melhorada) de petróleo, onde polímeros são avaliados segundo sua capacidade de aumentar a viscosidade do meio aquoso, evitando a formação de caminhos preferenciais e aumentando a capacidade de “varrer” áreas inacessíveis, tem recebido grande destaque. A formatação de produtos cuja finalidade é a de promover bloqueios em áreas de alta permeabilidade, assim como de controladores ou inibidores de corrosão e incrustação e de hidratos, também necessita de estudos no meio poroso, antes de serem empregados em operações de campo. O objetivo do presente estudo foi a análise e comparação entre os arenitos Berea e Botucatu, envolvendo os problemas referentes à perda de permeabilidade, sensibilidade à água ou, ainda, perda de condutividade hidráulica, devido à presença de argilas expansíveis ou não expansíveis. Vários volumes porosos de água do mar sintética foram deslocados através do meio poroso de formações Berea e Botucatu. Observou-se que mesmo os plugs de Berea, sem argilas expansíveis em sua composição, tinham suas permeabilidades reduzidas, logo que a salinidade da salmoura atingisse um limite inferior. Como esperado, o mesmo aconteceu com as amostras de arenito Botucatu, no entanto, neste caso, a sensibilidade à baixa salinidade foi mais acentuada. Em uma segunda fase, a investigação foi focada no comportamento do arenito Botucatu frente à injeção de soluções poliméricas diluídas, onde foram estudadas as principais relações de interesse para o estudo das interações rocha/fluido, como redução de mobilidade da água, os fatores de resistência e de resistência residual, a adsorção/dessorção dos polímeros e a relação entre o tamanho médio das moléculas dos polímeros e o tamanho médio dos poros do arenito. Uma vez que o objetivo do presente trabalho foi o de verificar um comportamento do arenito Botucatu que viesse ser muito discrepante daqueles que normalmente se encontra em outros arenitos, sobretudo o arenito Berea, foram utilizados quatro polímeros divididos basicamente em dois grupos. No primeiro foram utilizadas poliacrilamidas de alta massa molar média (106) e com duas diferentes densidades de cargas e, no segundo, as poliacrilamidas, também com alta massa molar, apresentavam grupos com caráter hidrofóbico inseridos em sua cadeia. Os estudos foram desenvolvidos à temperatura de 25°C e 55 °C e todas as soluções poliméricas foram preparadas em água do mar sintética (AMS) à concentração de 1500 ppm (1,5g/L). Os resultados mostraram que os dados obtidos com arenito Botucatu como meio poroso em quase nada diferem dos resultados obtidos quando o meio poroso é o arenito Berea.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1149440 - ROSANGELA DE CARVALHO BALABAN
Interno - 1804366 - JULIO CEZAR DE OLIVEIRA FREITAS
Externo ao Programa - 007.503.174-42 - ANA MARIA DA SILVA MAIA - UFRN
Externo à Instituição - LUCIANA VIANA AMORIM - UFCG
Externo à Instituição - ROSANGELA REGIA LIMA VIDAL - UFBA
Notícia cadastrada em: 18/02/2014 10:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - | | Copyright © 2006-2023 - UFRN - sigaa23-producao.info.ufrn.br.sigaa23-producao