Banca de DEFESA: SILVIA BECHER BREITENBACH

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SILVIA BECHER BREITENBACH
DATA: 22/07/2013
HORA: 14:00
LOCAL: sala de aulas PPGCEM
TÍTULO:

FORMULAÇÃO DE NOVAS ARGAMASSAS DE REVESTIMENTO À BASE DE CAL E AGREGADO FINO PARA RESTAURAÇÃO DE EDIFÍCIOS HISTÓRICOS


PALAVRAS-CHAVES:

Restauração, Argamassa, Cal, Resíduo, Porcelanato.


PÁGINAS: 183
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Os revestimentos argamassados são elementos fundamentais de estruturas edificadas, pois desempenham um papel importante na proteção de alvenarias e encontram-se particularmente expostos a ações agressivas responsáveis pela sua degradação ao longo do tempo. A importância dos revestimentos de parede vem sendo alvo de discussão e análise no âmbito da conservação e reabilitação de prédios antigos. Por vezes, são removidos e substituídos por soluções inadequadas, do ponto de vista construtivo ou arquitetônico. Os revestimentos mais utilizados em paredes de edifícios antigos baseiam-se em argamassas tradicionais de cal aérea. O presente estudo tem como objetivo a formulação de novas argamassas à base de cal aérea e agregado fino, com vistas a contribuir para o melhor domínio da conservação e restauro de argamassa de revestimento de edifícios antigos. Foi utilizado resíduo do polimento de porcelanato em substituição ao agregado fino, em porcentagens de 05 a30%. Foi feita uma completa avaliação das propriedades das argamassas no estado fresco e no estado endurecido comparando o desempenho das mesmas com uma argamassa de referência. O resíduo utilizado foi caracterizado quanto à massa específica, massa unitária, granulometria a laser, microscopia eletrônica de varredura, difratometria de raios-X e fluorescência de raios-X. Foram produzidas 7 formulações, sendo 6 com resíduo e 1 formulação comumente usada, que serviu de referência. Nas formulações das argamassas de cal aérea (cal hidratada em pó CH-I) adotou-se um traço volumétrico (1;3), com o ligante constante, e se fez variar a relação água/ligante, bem como agregado e resíduo. Para avaliação das argamassas no estado fresco, procedeu-se a análise da consistência, densidade de massa aparente, retenção de água e teor de ar incorporado. Já no estado endurecido foram  realizados os ensaios de densidade de massa aparente, retenção de água, módulo de elasticidade, resistência à tração na flexão, resistência à compressão, absorção de água por capilaridade, aderência à tração, retração e resistência a sais, por meio de ensaios de cristalização com recursos de solução de cloreto, nitrato e sulfato todos de sódio, em corpos de prova prismáticos aos 90 dias de idade, além das análises micro estruturais das argamassas. Com base nos resultados é possível verificar que a argamassa formulada com 15% de resíduo obteve melhor densidade aparente, menor teor de ar incorporado e alta capacidade de retenção de água desenvolvendo boa trabalhabilidade. A substituição de 20% de resíduo gera um aproveitamento satisfatório quanto à resistência à compressão, tração na flexão e maior aderência à base. A argamassa com teor de 10% de resíduo apresenta retração livre mais estável, mais próxima da neutralidade em relação a de referência e melhor comportamento  face à ação da cristalização de sais desenvolvendo, portanto, um material com melhor desempenho para reparar ou substituir argamassas existentes em edifícios antigos.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ADRIANO SILVA FORTES - IFBA
Presidente - 1298936 - ANTONIO EDUARDO MARTINELLI
Externo à Instituição - DANIEL ARAÚJO DE MACEDO - UFPB
Interno - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 15/07/2013 12:32
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao