Banca de DEFESA: LINDIANE BIESEKI

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LINDIANE BIESEKI
DATA: 20/07/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Laboratório de Química I
TÍTULO:

SÍNTESE DE ZEÓLITAS E ARGILAS ÁCIDAS PILARIZADAS A PARTIR DE MATÉRIAS PRIMAS NATURAIS.


PALAVRAS-CHAVES:

Peneiras moleculares, argilas, tratamento ácido, pilarização, zeólitas e resíduo silicoaluminoso.


PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Modificações estruturais de resíduos para síntese de zeólitas são tema de muitos estudos desenvolvidos na área de síntese de peneiras moleculares.  Estes materiais são chamados de peneiras moleculares por possuírem tamanho de poros bem definido e por terem a capacidade de selecionar as moléculas pelo tamanho.  Segundo a IUPAC, as peneiras moleculares podem ser classificadas em materiais microporosos (poros <2nm), mesoporosos, (poros >2nm a <50nm) e por fim macroporosos (poros >50nm).  Neste trabalho foram estudados os processos de síntese de dois tipos de peneiras moleculares: argilas ácidas pilarizadas, utilizando como matéria prima natural uma argila montmorillonita, e também a síntese de zeólitas a partir de um resíduo silicoaluminoso ou geradas como subproduto da extração de Lítio do b-espodumênio.  A preparação de argilas ácidas pilarizadas foi realizada em duas etapas: 1° tratamento ácido das amostras de argila (estudos de tempo e temperatura) e 2° pilarização das mesmas com Al13 (íon de keggin).  As variáveis temperatura e concentração do ácido influenciaram na retirada de cátions estruturais e na porosidade do material obtido. Pelas análises de difração de raios-X (DRX) e espectroscopia de infravermelho (IV), observou-se que o aumento da agressividade do tratamento ácido compromete a organização estrutural do material. Também a distribuição no tamanho de poros fica menos uniforme.  Mesmo apresentando uma desorganização estrutural, as amostras foram pilarizadas. Sendo comprovado por DRX o aumento do espaçamento basal, área específica e uniformização dos poros, por adsorção de N2. Com relação às peneiras moleculares microporosas, foram sintetizadas zeólitas A e NaP1 a partir de um resíduo silicoaluminoso, subproduto da extração de Lítio. A temperatura e o tempo de agitação durante o processo de síntese foram os fatores mais importantes para a obtenção da zeólita A. O envelhecimento do gel e o maior tempo de cristalização promoveram a formação da zeólita NaP1,  utilizando uma relação  Si/Al = 3,2.  A obtenção de zeólitas como subproduto da extração de Lítio é possível.  Foi observado que o ajuste da relação Si/Al e uso de NaOH favoreceu o surgimento da zeólita A. Mas dificultou o processo de extração do Lítio (formação de subprodutos indesejáveis).  


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 350509 - ANTONIO SOUZA DE ARAUJO
Externo à Instituição - LUIZ CARLOS ALVES DE OLIVEIRA - UFMG
Interno - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Presidente - 1308577 - SIBELE BERENICE CASTELLA PERGHER
Notícia cadastrada em: 27/06/2012 08:52
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa27-producao.info.ufrn.br.sigaa27-producao