Banca de DEFESA: JULIANA PIVOTTO NICODEMO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JULIANA PIVOTTO NICODEMO
DATA: 05/06/2012
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO:

 

ESTUDO DA SINTERABILIDADE DE LIGAS DE NÍQUEL OBTIDAS POR MEIO DOS PORTADORES DE LIGA SiC, Si3N4 OU Si METÁLICO COM GRAFITA



PALAVRAS-CHAVES:

 

metalurgia do pó, níquel, portadores de liga, carbeto de silício e nitreto de silício.



PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

 

O níquel tem sido amplamente utilizado na produção de aços inoxidáveis e ligas especiais, dentre aplicações que requerem resistência mecânica associada à resistência à corrosão e à oxidação. Ligas de níquel também podem ser sinterizadas a partir de pó de níquel metálico com adições de pós de elementos de liga. Uma alternativa promissora à produção de componentes sinterizados de níquel com características de lubrificação sólida e melhor sinterabilidade é o emprego de misturas de pós do tipo Ni-SiC. Este trabalho foi realizado com o objetivo de estudar a obtenção de ligas sinterizadas de níquel utilizando diferentes portadores de liga. Pós de portadores de liga compostos (SiC e Si3N4) ou Si metálico foram misturados com pó de Ni carbonila e sinterizado. As concentrações estudadas para o portador SiC foram 3, 4 e 5% em massa para o tamanho médio de partículas de 30 µm para o Ni carbonila. Também foram avaliadas misturas contendo 3% em massa de SiC em Ni carbonila com tamanho médio de partículas 15 e 50 µm. Para fins de comparação, foram sinterizadas, ainda, ligas com as mesmas proporções de elementos, partindo de silício metálico com grafita ou Si3N4 com grafita. O material de referência adotado foi níquel carbonila sem adição de portadores. A caracterização microestrutural das ligas foi feita por microscopia óptica e eletrônica de varredura com análise química semi-quantitativa. Foram determinadas as densidades das amostras e obtidas medidas de microdureza Vickers. Foi estudada a dissociação do SiC em função da concentração (3, 4 ou 5% em massa) após sinterização em 1200 ºC durante 60 minutos. Para ligas com 3% de SiC variando o tamanho médio de partículas do Ni também foi avaliada a mesma condição de sinterização. Por fim, foram estudadas temperaturas de sinterização de 950, 1080 e 1200 ºC sem patamar e patamares de 30, 60, 120 e 240 minutos para sinterização a 950 ºC. As curvas de dilatometria mostraram que o SiC favorece a sinterização do Ni de forma mais eficaz que os demais portadores de liga analisados. SiC com tamanho médio de partículas de 15 μm ativa a sinterização da liga de forma mais eficaz que os demais SiC utilizados. Com as análises de morfologia e química para todas as ligas, foi possível observar que houve dissociação do SiC, assim como do Si3N4, com a difusão do Si na matriz de Ni e carbono aglomerado e disperso na matriz. Os ensaios de microdureza demonstraram que quanto maior o tamanho médio das partículas de SiC maior é a microdureza das ligas, assim como é maior a microdureza de todas as ligas obtidas sem patamar quando comparadas às com patamar de 60 minutos. As amostras contendo Ni-SiC (com a menor granulometria média das partículas) apresentam, portanto, grande potencial para produção de ligas sinterizadas de níquel com lubrificante sólido (carbono) disperso na matriz.



MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1298936 - ANTONIO EDUARDO MARTINELLI
Externo ao Programa - 1652765 - MAURICIO MHIRDAUI PERES
Interno - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 07/05/2012 08:50
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa28-producao.info.ufrn.br.sigaa28-producao