Banca de DEFESA: EUGÊNIO ONOFRE DE OLIVEIRA - (Retificação)

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: EUGÊNIO ONOFRE DE OLIVEIRA

DATA: 19/11/2010

HORA: 09:00

LOCAL: auditório do CCET

TÍTULO:

DESENVOLVIMENTO DE TUBULAÇÃO EM COMPÓSITO POLIMÉRICO REVESTIDA EXTERNAMENTE COM POLIURETANO DE ALTA DENSIDADE


PALAVRAS-CHAVES:

Tubulação industrial. Linha de surgência. Material compósito.


PÁGINAS: 90

GRANDE ÁREA: Engenharias

ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica

RESUMO:

As tubulações para transporte de petróleo dos poços de produção até a estação
coletora são denominadas de “linhas de surgência”. Essas tubulações estão sujeitas
à corrosão química e eletroquímica de acordo com o ambiente e os tipos de
petróleo. Algumas destas linhas, a depender da composição do petróleo produzido,
às vezes, falham com menos de um ano de operação, devido à corrosão interna
severa. Este trabalho objetiva o desenvolvimento de tubulação em compósito
revestida externamente com poliuretano de alta densidade, para aplicação em linhas
de surgência de poços de petróleo “onshore” e que atenda às exigências
operacionais. Neste desenvolvimento foram empregados fibra de vidro, resina epóxi,
resina poliéster, areia quartzosa e poliuretano de alta densidade. Os tubos foram
produzidos pelos processos de enrolamento filamentar com deposição de PU na
superfície externa e extremidades com rosca moldada (API 15 HR e PM-VII). Foram
produzidas três concepções de tubos: vidro/epóxi sem revestimento, vidro/epóxi
revestido com poliuretano de alta densidade e vidro/epóxi coberto por um composto
de fibra de vidro, poliéster, areia e revestido externamente com poliuretano de alta
densidade. As três amostras foram caracterizadas através da técnica de Microscopia
Eletrônica de Varredura (MEV), do procedimento teor de vidro e resina, dos ensaios
de rigidez e tração axial e dos testes hidrostático, ruptura instantânea, pressão de
curta duração e impacto Gardner. Essa nova tecnologia foi testada no campo de
produção em Mossoró – RN, nos quais foram instalados 1.677 metros de tubos.
Assim, os resultados dos ensaios e testes das três concepções de tubos foram
comparados entre si em dois eventos: após dois meses da fabricação das amostras
e após nove meses da aplicação dos tubos em campo. Os dados indicaram que o
“tubo em compósito vidro/epóxi, poliéster, areia, revestido externamente com
poliuretano de alta densidade”, apresentou melhores resultados, quando comparado
aos outros dois, podendo ser usado na indústria de petróleo em aplicações
“onshore”, como uma alternativa para a aplicação em linhas de surgência,
atendendo às exigências de classe de pressão, resistência à tração axial, rigidez,
impacto e intempéries


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1300987 - CARLOS ALBERTO PASKOCIMAS
Presidente - 1202134 - JOSE DANIEL DINIZ MELO
Externo à Instituição - LUIZ CLÁUDIO DE MARCO MENICONI - PETROBRAS
Interno - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 17/11/2010 08:14
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao