Banca de QUALIFICAÇÃO: RAIMUNDO JOSE DE SOUSA CASTRO - (Retificação)

Uma banca de QUALIFICAÇÃO foi cadastrada pelo programa.

DISCENTE: RAIMUNDO JOSE DE SOUSA CASTRO

DATA: 30/07/2010

HORA: 08:30

LOCAL: sala de reuniões (CCET)

TÍTULO:

A PRODUÇÃO DE PLACAS PARA REVESTIMENTO DE BASE ARGILOSA VERMELHA COM ADIÇÃO DE FELDSPATO E/OU RESÍDUO DE CAULIM


PALAVRAS-CHAVES:

Revestimento de base argilosa vermelha, resíduo de caulim, ortoclásio, matérias-primas do Piauí


PÁGINAS: 147

GRANDE ÁREA: Engenharias

ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica

RESUMO:

A indústria de cerâmica vermelha do Piauí é bem desenvolvida e se destaca no contexto nacional pela qualidade técnica de seus produtos, já a indústria de revestimento pouco se desenvolveu visto que o estado possui uma única empresa que produz revestimento de base argilosa vermelha, além disso, poucos estudos científicos mostram a potencialidade das matérias-primas ideais para produção de revestimentos de maior qualidade técnica, esta tese tem por objetivo utilizar a massa básica da indústria citada adicionando a mesma feldspato e/ou resíduo de caulim com o propósito de obter produtos de melhores qualidades técnicas e ao mesmo tempo verificar a potencialidade da utilização deste resíduo, que é constituído basicamente de caulinita, mica muscovita e quartzo; o feldspato é constituído de silício, alumínio e potássio característico do ortoclasio. Para este experimento utilizou-se a massa básica (MB) para controle experimental e quinze formulações assim codificadas (F2, F4, F8, F16, F32, FR2, FR4, FR8, FR16, FR32, R2, R4, R8, R16 e R32) com os respectivos teores mássicos de 2, 4, 8, 16 e 32 % de feldspato e/ou resíduo, as formulações FR possuem metade do percentual de feldspato e a outra metade de resíduo. Todas as matérias primas foram caracterizadas, e moídas a seco depois umidificadas a 10 % com água em seguida prensados iniaxialmente em matriz retangular de aço (60,0 x 20,0) mm2 a (25 MPa), a queima em quatro temperaturas: 1080°C, 1120°C, 1160°C com taxa de aquecimento de 10°C/ min. e patamar de 10 min. em forno elétrico e a última em forno a rolo industrial e pico de 1140°C com o objetivo e de validar os resultados encontrados em laboratório e por último foram realizados ensaios tecnológicos, os mesmos mostraram que o resíduo estudado pode ser considerado como matéria prima de grande potencial para a indústria de pisos e revestimentos cerâmicos de base argilosa vermelha, já que tanto os resultados encontrados em laboratório como na indústria mostram que os corpos produzidos a partir das formulações: F2, F4, FR2, FR4, FR8 permitiram uma redução da absorção de água e aumento da resistência mecânica, sendo os produzidos a partir das formulações: R2, R4, apenas aumento da resistência mecânica quando comparados com os corpos produzidos a partir da massa básica e que a formulação FR2 apresentou melhores propriedade tecnológicas reduzindo a temperatura de sinterização para 1120°C


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Interno - 1300987 - CARLOS ALBERTO PASKOCIMAS
Externo ao Programa - 2331385 - JAQUELIGIA BRITO DA SILVA
Notícia cadastrada em: 30/07/2010 10:20
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa14-producao.info.ufrn.br.sigaa14-producao