Banca de DEFESA: FERNANDA KARINE FONSECA DE OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : FERNANDA KARINE FONSECA DE OLIVEIRA
DATA : 27/08/2021
HORA: 14:00
LOCAL: https://meet.google.com/jnu-osjj-gwt
TÍTULO:

Síntese e caracterização de molibdato de cério pelo método hidrotérmico assistido por micro-ondas: aplicação como sensor de gás ozônio

 


PALAVRAS-CHAVES:

Molibdato de cério. Método hidrotérmico assistido por micro-ondas. Propriedades microestruturais. Ozônio. Sensor


PÁGINAS: 81
RESUMO:

Os materiais a base de molibdatos metálicos têm atraído muitos estudos, devido às suas propriedades levando a inúmeras aplicações tecnológicas em diversas áreas, tais quais: fotoluminescência, fotocatálise e sensores de gases. Neste trabalho, realizamos a síntese dos nanocristais de molibdato de cério (Ce2(MoO4)3) através do método de coprecipitação seguido pelo método hidrotérmico assistido por micro-ondas (HMO) a 150 °C com diferentes tempos de síntese 15, 30, e 60 min. Este estudo mostrou que o efeito do tempo de tratamento do HMO influenciou nas propriedades microestruturais, ópticas e de detecção de gás do ozônio. As medidas de difração de raios X (DRX) e espectroscopia Raman revelaram que, as amostras apresentavam fase cristalina com estrutura tetragonal do tipo scheelita sem a presença de fase secundária. As imagens de microscopia eletrônica de varredura e emissão de campo (MEV-FEG) mostraram que as condições do HMO favoreceram mudanças na morfologia do nanocristais de Ce2(MoO4)3. Ademais, análises de microscopia eletrônica de transmissão (MET) revelaram as distâncias interplanares correspondente ao pico principal encontrada no difratograma de DRX, e o SAED confirmou que as amostras são policristalinas com anéis concêntricos. As medições de fotoluminescência (FL) indicaram um aumento significativo na curva de FL com o tempo de HMO com pico máximo em 463 nm, sugerindo um aumento nos defeitos intrínsecos formados durante a síntese. O desempenho de detecção de gás de nanocristais de molibdato de cério em relação ao ozônio sub-ppm níveis também foi investigado. Os experimentos revelaram recuperação completa e boa repetibilidade, além de uma boa resposta sensora com temperatura de trabalho de 200°C, que foi melhorada na amostra sintetizada no tempo maior do HMO. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1883170 - MAURICIO ROBERTO BOMIO DELMONTE
Interna - 1802888 - FABIANA VILLELA DA MOTTA
Externo à Instituição - LUIS FERNANDO DA SILVA - UFSCAR
Notícia cadastrada em: 13/08/2021 09:35
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao