Banca de DEFESA: REBECCA ARAÚJO BARROS DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : REBECCA ARAÚJO BARROS DO NASCIMENTO
DATA : 12/04/2019
HORA: 16:00
LOCAL: Auditório do LABTAM - NUPPRAR
TÍTULO:

MINÉRIOS DE FERRO DO BRASIL COMO TRANSPORTADORES DE OXIGÊNIO PARA APLICAÇÃO EM PROCESSOS DE COMBUSTÃO COM RECIRCULAÇÃO QUÍMICA.


PALAVRAS-CHAVES:

Efeito estufa, captura de CO2, CLC, Minério de Ferro, Minério de Manganês.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

O efeito estufa é um processo natural e essencial para manter a vida na Terra, no entanto, desde a era pré-industrial, as emissões antropogênicas de Gases de Efeito Estufa (GEE) aumentaram em grande parte pelo crescimento econômico e populacional. Nesse contexto, a crescente demanda energética é suprida basicamente por combustíveis fósseis, resultando em um cenário de impactos significativos no meio ambiente, pois a queima desses combustíveis para geração de energia produz CO2, o qual é considerado o principal gás de origem antropogênica mais agravante desse efeito. Devido a isso, pesquisadores de todo mundo tem sugerido medidas e tecnologias que supram a necessidade energética com baixos níveis de emissões de CO2. Entre as tecnologias, o processo Chemical Looping Combustion (CLC), o qual promove combustão indireta do combustível através de transportadores de oxigênio, é considerado uma das melhores alternativas para reduzir custos na captura do dióxido de carbono sem penalidades energéticas. Em vista disso, esta dissertação de mestrado tem como objetivo avaliar minérios de ferro e manganês de diferentes regiões do Brasil para selecionar os mais promissores a serem aplicados em processos CLC. As técnicas e metodologias de caracterização empregadas foram difração de raios X (DRX), redução e oxidação à temperatura programada (TPR e TPO), capacidade de transporte de oxigênio (Roc), resistência à fratura, florescência de raios X (FRX) e reatividade por termogravimetria. A composição química de cada minério foi obtida por FRX. Através do DRX foram identificadas as principais fases reativas como Fe2O3 para os minérios de ferro e Mn3O4 para os minérios de manganês. Durante a análise de TPR e TPO, essas fases ativas foram submetidas, respectivamente, à atmosfera de H2 e posteriormente a ar sintético e apresentaram boa capacidade de redução e oxidação. Através do consumo de H2 utilizado para redução de cada fase, foi calculado o Roc experimental dos transportadores de oxigênio. Pelas características estruturais e pelos testes de reatividade desses materiais, conclui-se que os minérios de ferro possuíram melhor reatividade comparada aos minérios de manganês, além da sua alta resistência mecânica quando utilizados in natura. Logo, devido à abundância dos minérios de ferro no Brasil e o seu baixo custo, é possível inferir-lhes como materiais promissores para aplicação em processos CLC.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo à Instituição - JUAN ALBERTO CHAVEZ RUIZ - ISI
Interno - 1883170 - MAURICIO ROBERTO BOMIO DELMONTE
Externo à Instituição - RODOLFO LUIZ BEZERRA DE ARAÚJO MEDEIROS - UFRN
Notícia cadastrada em: 12/04/2019 09:17
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa10-producao.info.ufrn.br.sigaa10-producao