Banca de DEFESA: ANNA RAFFAELA DE MATOS COSTA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANNA RAFFAELA DE MATOS COSTA
DATA : 19/02/2019
HORA: 08:30
LOCAL: Sala de aulas do PPGCEM
TÍTULO:

BLENDAS DE POLI (B-HIDROXIBUTIRATO) E POLI (BUTILENO-ADIPATO-TEREFTALATO) E SEUS COMPÓSITOS COM BABAÇU: EFEITO DA COMPOSIÇÃO E DAS CONDIÇÕES DE PROCESSAMENTO


PALAVRAS-CHAVES:

Polímeros biodegradáveis, blendas e compósitos poliméricos, fibra de babaçu, PBAT e PHB


PÁGINAS: 215
RESUMO:
Nesse trabalho, blendas PHB/PBAT e seus compósitos com fibras extraídas de duas partes do fruto de babaçu (epicarpo e endocarpo) foram investigados. O efeito das condições de processamento nas propriedades reológicas, térmicas e morfológicas dos compósitos em função do tipo e teor de carga foi avaliado. As blendas PHB/PBAT foram processadas em misturador interno, caracterizadas por reometria de torque e o comportamento de cristalização e fusão foram analisados por calorimetria exploratória diferencial (DSC). Compósitos, contendo três blendas distintas como matriz, e teores 10 e 20% em massa dos dois tipos de carga, foram processados em um misturador interno de laboratório e caracterizados por reometria de torque. A taxa de degradação, estimada pela redução do torque e da massa molar durante o processamento, foi analisada em função da composição da blenda, do tipo (epicarpo ou mesocarpo) e do teor de carga incorporado. A interface das blendas e dos compósitos foi analisada por microscopia eletrônica de varredura, enquanto a microscopia óptica foi usada para revelar a distribuição e grau de dispersão da fase dispersa. Os resultados de DSC evidenciaram que o PBAT cristalizou completamente durante o resfriamento enquanto o PHB e a blenda PHB/PBAT mostraram cristalização incompleta a partir do fundido, sendo o processo completado durante a fase de reaquecimento. Estas características são independentes da taxa de aquecimento, mas são as mesmas para os componentes puros e para a blenda 50/50 % em massa. Modelos macrocinéticos clássicos de Pseudo-Avrami, Ozawa e Mo foram usados para descrever a evolução do processo de cristalização a partir do fundido. Os resultados sugeriram que nenhum dos três modelos cinéticos clássicos testados foi capaz de prever com precisão os dados experimentais para a blenda PHB/PBAT. Alguns modelos são utilizáveis - como ferramentas preditivas - para os componentes puros (Ozawa para PHB, Mo para PBAT) com uma faixa de validade reduzida. Os resultados de reometria de torque mostraram que o PHB degradou mais rapidamente durante o processamento do que o PBAT e que a combinação de PHB com PBAT, proporcionou uma proteção significativa contra a degradação excessiva do PHB. Observou-se que tanto a presença quanto o nível dos dois tipos de carga, aumentaram a degradação incipiente da mistura. As imagens obtidas por microscopia óptica (MO) mostraram distribuição uniforme do reforço na matriz em todos os casos, sem aglomerados. A morfologia da superfície da fratura por MEV indicou melhor adesão matriz/fibra em misturas ricas em PHB e em compósitos com epicarpo do babaçu.

MEMBROS DA BANCA:
Externa ao Programa - 2254759 - AMANDA MELISSA DAMIAO LEITE
Presidente - 1639676 - EDSON NORIYUKI ITO
Externo à Instituição - ELITON SOUTO DE MEDEIROS - UFPB
Externa à Instituição - LAURA HECKER DE CARVALHO - UFCG
Interna - 1755267 - MARIA CAROLINA BURGOS COSTA DO NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 17/01/2019 08:47
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa26-producao.info.ufrn.br.sigaa26-producao