Banca de DEFESA: CASSIA CARVALHO DE ALMEIDA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : CASSIA CARVALHO DE ALMEIDA
DATA : 26/05/2017
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do LABTAM
TÍTULO:

MATERIAIS CATALÍTICOS À BASE DE NÍQUEL E COBALTO SUPORTADOS EM SBA-15 PARA APLICAÇÃO EM REFORMA A SECO DO METANO E A VAPOR DO ETANOL


PALAVRAS-CHAVES:

Materiais Catalíticos, Reforma a vapor; Reforma a seco; SBA-15; Produção de H2. H2.


PÁGINAS: 100
RESUMO:

Nos últimos anos os processos de reforma para a produção de hidrogênio como um vetor energético vem sendo bastante estudados em função do aumento da demanda por tecnologias alternativas de geração de energia, apresentando uma boa relação custo/benefício quando comparados a outras tecnologias de produção de hidrogênio. Além disso, possuem vantagens do ponto de vista ambiental, não contribuindo com o aumento da concentração de CO2 na atmosfera. No entanto, a produção de hidrogênio através dos processos de reforma, embora promissora, ainda apresenta muitos gargalos tecnológicos, necessitando de avanços em novos materiais com propriedades catalíticas. Dentro desta proposta, este trabalho tem como objetivo obter materiais catalíticos com alta reatividade e seletividade para produtos frente às reações de reforma a vapor do etanol (RVE) e reforma a seco do metano (RSM). Desta maneira, catalisadores a base de níquel e cobalto suportado em SBA-15 foram preparados pelo método de impregnação via úmida e caracterizados antes e após os testes catalíticos, por diversas técnicas: Análise Termogravimétrica (TGA), Espectroscopia na Região do Infravermelho (FT-IR), Difração de Raios X (DRX), Análise de Redução à Temperatura Programada (RTP), Adsorção e Dessorção de Nitrogênio, Difração de Raios X in situ (DRX in situ) e Microscopia Eletrônica por Varredura (MEV) com Espectroscopia de Energia Dispersiva (EDS), visando à compreensão dos mecanismos envolvidos nas reações de reforma e também responsáveis pela deposição de carbono sobre os catalisadores. Os catalisadores testados frente à reação a vapor do etanol durante 6 horas a 500ºC apresentaram conversão inicial em torno de 80-100%, com produção de H2 (65-70%), CO2 (18-23%) e com apenas traços de CO (0,5-10%), mas sofreram uma rápida desativação nas primeiras horas de teste, sendo mais promissores frente à reação de reforma a seco do metano, os quais apresentaram boa atividade e estabilidade durante 10 horas de reação a 700ºC, com conversões (CH4 e CO2) e rendimentos a H2 acima de 80% e baixa deposição de carbono.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo ao Programa - 2302898 - ELEDIR VITOR SOBRINHO
Externo à Instituição - FLÁVIA DE MEDEIROS AQUINO - UFPB
Externo à Instituição - RAIMUNDO CRISOSTOMO RABELO NETO - INT
Externo ao Programa - 1979301 - RENATA MARTINS BRAGA
Notícia cadastrada em: 03/05/2017 11:48
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa18-producao.info.ufrn.br.sigaa18-producao