Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CLÁUDIA MEDEIROS DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : ANA CLÁUDIA MEDEIROS DE CARVALHO
DATA : 28/04/2017
HORA: 10:30
LOCAL: Auditório do CT
TÍTULO:

SÍNTESE DE MICROCÁPSULAS DE POLI(UREIA-FORMALDEIDO) PREENCHIDAS COM DICICLOPENTADIENO E SEU USO EM SISTEMAS DE AUTORREPARO


PALAVRAS-CHAVES:

Autorreparo, microcápsulas, poli(ureia-formaldeído), diciclopentadieno, óleo vegetal.


PÁGINAS: 83
RESUMO:

Materiais autorreparáveis apresentam a habilidade de auto reparar um dano fazendo com que o material readquira suas propriedades. A utilização de microcápsulas de ureia-formaldeído vem sendo estudada para promover essa funcionalidade em polímeros e compósitos de matriz polimérica. Essas microcápsulas devem ser fortes o suficiente para permanecerem intactas durante o processamento da matriz, e devem romper facilmente quando o polímero sofre qualquer dano. O sistema de autorreparo mais conhecido é composto por uma matriz de epóxi contendo microcápsulas de ureia-formaldeído preenchidas com diciclopentadieno (DCPD). Após a liberação, o DCPD polimeriza por abertura do anel via metátese (ROPM) quando entra em contato com o catalisador de Grubbs’ que foi previamente disperso na matriz. Assim que o agente de reparo encontra o catalisador, a reação é iniciada e prossegue até o consumo total do agente de reparo liberado. O polímero resultante (poli(DCPD)) funciona como uma agente de ligação fechando a trincam, ajudando na recuperação de grande parte das propriedades iniciais do material (tenacidade a fratura, rigidez, resistência máxima, etc.). Neste trabalho, microcápsulas de poli(ureia-formaldeído) foram sintetizadas em uma polimerização in situ, em um sistema de emulsão óleo em água. Nos estudos preliminares, quatro diferentes óleos vegetais (azeite de oliva, óleo de soja, óleo de linhaça e óleo de coco) foram utilizados em substituição ao DCPD devido à sua alta toxidade e forte odor. A ideia principal foi estudar a síntese das microcápsulas usando um material de preenchimento não tóxico, que depois seria substituído pelo DCPD, quando as sínteses das microcápsulas e os parâmetros de processamento da matriz polimérica estivessem consolidados. As microcápsulas sintetizadas foram caracterizadas por espectroscopia com transformada de Fourier (FTIR) e microscopia eletrônica de varredura (MEV). Os estudos preliminares mostraram que foi possível produzir microcápsulas preenchidas com os diferentes óleos utilizados. A maioria das cápsulas possuem diâmetro em torno de 50 µm, um tamanho adequado para aplicações em matriz ou revestimento polimérico. Também foram feitos testes usando DCPD como agente de preenchimento, essas microcápsulas sintetizadas apresentaram as mesmas características das microcápsulas produzidas com óleo vegetal.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2042234 - ANA PAULA CYSNE BARBOSA
Externo ao Programa - 1064594 - EVANS PAIVA DA COSTA FERREIRA
Interno - 1202134 - JOSE DANIEL DINIZ MELO
Presidente - 1755267 - MARIA CAROLINA BURGOS COSTA DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - MARIA ODILA HILARIO CIOFFI - UNESP
Notícia cadastrada em: 18/04/2017 14:14
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa21-producao.info.ufrn.br.sigaa21-producao