Banca de QUALIFICAÇÃO: ALEXANDRE FONTES MELO DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEXANDRE FONTES MELO DE CARVALHO
DATA: 30/11/2015
HORA: 09:30
LOCAL: Auditório do NUPPRAR
TÍTULO:

Desenvolvimento de catalisadores de Ni e Co suportados em LaAlO3para reforma a seco de metano: influência do Co sobre a estabilidade e a resistência ao coque


PALAVRAS-CHAVES:

catalisadores, reforma, coque, suporte e temperatura.


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Os graves problemas ambientais associados aos combustíveis fósseis ricos em carbono, como petróleo, carvão e gás natural, têm impulsionado diversas investigações na busca de alternativas para produção de fontes energéticas limpas e que possam reduzir os gases de efeito estufa como o CO2. Por isso, a reforma de metano com captura de CO2 (reforma a seco) tem sido amplamente estudada para produção de hidrogênio. Em geral, essa reação ocorre à temperaturas acima de 400oC e é necessário o emprego de catalisadores à base de metais. Um dos catalisadores mais usados é o Ni suportado em materiais de área superficial significativa, tais como óxidos de silício, aluminatos de magnésio e outros materiais naturais como diatomita, etc. O Ni vem sendo estudado em combinação com outros metais de transição e também com metais de terras raras, com o objetivo principal de diminuir os problemas de desativação por deposição de carbono em sua superfície e por sinterização do metal. Nesse contexto, é importante que se trabalhe com suportes que sejam estáveis termicamente e quimicamente e, que não reajam com a fase ativa. Neste trabalho as fases ativas dos catalisadores foram impregnadas ao suporte por via úmida e o suporte catalítico foi previamente sintetizado via reação de combustão assistida por micro-ondas. Os materiais catalíticos obtidos foram caracterizados pelas técnicas de difração de raios X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV – EDS) e redução à temperatura programada (RTP). A técnica de análise termogravimétrica (TG) foi utilizada para estimar a quantidade de carbono (coque) formado após a reação catalítica (reforma a seco). Os resultados demonstram que o teor de coque calculado pela TG foi 16% quando da reação com a fase apenas do metal níquel. Já com o catalisador à base de Ni e Co, a quantificação de carbono (coque) após a reação foi de 6%, calculado também pela análise termogravimétrica do material após reação. Nos testes catalíticos de reforma a seco, foi avaliada a influência da temperatura e do teor de Co na atividade dos catalisadores. Em geral, verificou-se que a temperatura de reação influencia o desempenho catalítico e que a adição de cobalto aumenta a estabilidade química e resistência do catalisador ao coque, sem afetar significativamente seu desempenho. Aumentando a temperatura de 650ºC para 850ºC foi observado um aumento considerável nas conversões de CH4 e CO2, assim como no rendimento em H2 e CO. Para os catalisadores de Ni suportados em aluminato de lantânio (LaAlO3) o cobalto desponta como promissor para minimizar a formação de coque e a desativação do catalisador. Logo, um novo catalisador para reforma a seco de metano composto por Ni, Co e LaAlO3 exibe resistência alta ao coque e estabilidade química desejada.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 349770 - DULCE MARIA DE ARAUJO MELO
Externo à Instituição - RENATA MARTINS BRAGA - UFRN
Notícia cadastrada em: 09/11/2015 11:08
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa08-producao.info.ufrn.br.sigaa08-producao