Banca de DEFESA: JOSE FERNANDO VALVERDE NORONHA

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE FERNANDO VALVERDE NORONHA
DATA: 12/11/2013
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO:

 

PARAMETROS COMPORTAMENTAIS, DE SEMICONDUTORES DOPADOS EM FILMES FINOS, EM SUBSTRATOS DE VIDRO BOROSSILICATO TENDO COMO PRECURSORES O (SILICIO, O BORO E O FÓSFORO). TENDO COMO PELICULA REFLEXIVA O SnO2 (Oxido de Estanho).


PALAVRAS-CHAVES:

: DOPAGEM – SEMI-CONDUTORES – PARAMETROS COMPORTAMENTAIS – FILMES FINOS - VIDRO BORO SILICATO - JUNÇÃO P-N – BANDA DE VALÊNCIA, BANDA DE CONDUÇÃO, CÉLULAS SOLARES – CORRENTE ELÉTRICA – EFEITO FOTOVOLTAICO – EERGIA TÉRMICA – ENERGIA QUIMICA – TEORIA ELETRO LACUNA – SEMI – CONDUTIVIDADE.


PÁGINAS: 139
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Tendo em vista que, uma célula fotovoltaica (silício amorfo) constituída por cristais de silício puro não produzirá energia elétrica. Pois os elétrons passariam para a banda de condução más acabariam por recombinarem-se com as lacunas, não dando origem a condução da corrente elétrica, é preciso criar-se um processo conhecido como dopagem do silício, (cujo objetivo é introduzirem-se elementos estranhos) com o objetivo de alterar as suas propriedades elétricas. Baseado neste principio foi possível, criar-se duas camadas na célula: a 1ª é a camada P (constituída de carga positiva) e a 2ª é a camada N, (constituída de carga negativa), em relação ao silício puro. O boro é o dopante normalmente usado para criar a região P. Um átomo de boro forma quatro ligações covalentes com quatro átomos vizinhos do silício, como o boro só possui três elétrons na banda de Valência, existe uma ligação com um elétron, enquanto as que ficam em numero de três possuem dois elétrons. A ausência deste elétron é considerada uma lacuna, (que se comporta como uma carga positiva) por este motivo cada vez que um elétron vizinho a preenche outra lacuna se cria. A proporção entre os átomos de boro e átomos de silício é de ordem de 1 para 10 milhões.

O fósforo é o material usado para criar a região N. um átomo de fósforo tem cinco elétrons, na sua banda de Valência, assim criam-se quatro ligações covalentes com os átomos de silício deixando um elétron livre.

A proporção entre átomos de fósforo e de silício é de ordem de 1 para 1000. Finalmente ao encontrar-se os dois materiais em uma região designada junção P-n é criado um campo elétrico, separando os portadores de carga que a atingem: quando os fótons de luz atingem os elétrons, liberam então energia suficiente para excitar elétrons da banda de Valência para a banda de condução aceleram-se assim para um terminal negativo, ao mesmo tempo em que as lacunas são enviadas para um terminal positivo. Assim ligando-se os terminais de um circuito de cobre que se fecha no exterior conduzindo uma carga. A corrente elétrica circulará no sistema.

Considerando-se que a maioria dos trabalhos em células solares, são modelos teóricos, a contribuição deste trabalho, é auxiliar, os que trabalham com modelos didáticos de células principalmente professores de física a construirem um modelo baseado em uma célula solar básica, deste modo procurei mostrar desenhos cotados, e feitos pelo processo CAD-CAM, e todos os parâmetros para o funcionamento de uma célula, a célula básica foi aumentada em seu tamanho normal em duas vezes e os parâmetros de dopagem, como a pasta coloidal condutora foram mostradas e detalhadas em todas as suas extensões, deste modo procurei dar com este trabalho uma contribuição didática para a confecção de uma célula em laboratório.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1300987 - CARLOS ALBERTO PASKOCIMAS
Interno - 1350249 - RUBENS MARIBONDO DO NASCIMENTO
Externo ao Programa - 2331385 - JAQUELIGIA BRITO DA SILVA
Externo à Instituição - DANIEL ARAÚJO DE MACEDO - UFRN
Externo à Instituição - RICARDO PEIXOTO SUASSUNA DUTRA - UFRN
Notícia cadastrada em: 06/11/2013 10:17
SIGAA | Superintendência de Informática - | | Copyright © 2006-2021 - UFRN - sigaa05-producao.info.ufrn.br.sigaa05-producao