Banca de DEFESA: FLAVIA LUANA SOUZA DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FLAVIA LUANA SOUZA DE MELO
DATA: 24/09/2012
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de multimeios NEPSA
TÍTULO:

ÉTICA NA PESQUISA EM TURISMO: PERCEPÇÃO DE DISCENTES DE PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TURISMO.


PALAVRAS-CHAVES:

Pós-graduação em Turismo. Ética em pesquisa. Comitê de Ética em Pesquisa. Resolução 196/96.


PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Turismo
RESUMO:

O presente estudo consiste na análise da percepção da ética por parte dos discentes de pós-graduação em Turismo, no desenvolvimento de suas pesquisas acadêmicas. Caracteriza-se como exploratório-descritivo, sendo considerado quantitativo com alguns elementos analisados de forma qualitativa. Os dados foram coletados através de um questionário eletrônico, originado no google docs e enviado via e-mail para 54 alunos de três Programas de pós-graduação em Turismo: o Mestrado em Turismo da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); o Mestrado em Turismo e Hotelaria da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI); e o Mestrado em Turismo da Universidade de Caxias do Sul (UCS), obtendo-se 22 respostas. O estudo apresenta o perfil das pesquisas de dissertação dos alunos de pós-graduação, a percepção dos mesmos sobre a ética em pesquisa, bem como as dificuldades enfrentadas no processo de pesquisa. Observa que as pesquisas de dissertação estão voltadas, em sua maioria, para os aspectos histórico-culturais do turismo e a escolha dos temas das dissertações se deu em primeiro lugar, devido à influência das linhas de pesquisa dos orientadores e, em segundo lugar, devido à relevância social. Os métodos mais utilizados nas pesquisas de pós-graduação são o descritivo, o bibliográfico e o exploratório. Observa ainda que a maior parte dos alunos de pós-graduação em turismo (81%) atribui grande valor à ética na realização das suas pesquisas de dissertação, os alunos afirmam que a ética traz credibilidade e seriedade às pesquisas. Além disso, percebeu-se que os mesmos não têm conhecimento sobre a prática de condutas impróprias de pesquisadores na área do Turismo. Demonstra que o principal desafio ético encontrado pelos alunos está no relacionamento com o sujeito da pesquisa, que acontece na fase de coleta de dados. Constata ainda que nenhum dos entrevistados enviou qualquer projeto para ser avaliado por um Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), ademais, a maioria não conhece a Resolução 196/96, que possui as principais orientações sobre ética em pesquisa a nível nacional. Conclui que os discentes de pós-graduação em turismo possuem pouco conhecimento quanto às normas e orientações sobre ética em pesquisa. Os mesmos demonstram desconhecer os benefícios que a ética em pesquisa traz com relação à proteção e preservação do participante, bem como quanto aos benefícios que gera à sociedade.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1675246 - LISSA VALERIA FERNANDES FERREIRA
Presidente - 1149626 - MAURO LEMUEL DE OLIVEIRA ALEXANDRE
Externo à Instituição - SILVANA MARIA BITENCOURT - UFMT
Notícia cadastrada em: 15/08/2012 11:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa11-producao.info.ufrn.br.sigaa11-producao