Banca de DEFESA: DIMAS MAGALHÃES BICALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : DIMAS MAGALHÃES BICALHO
DATA : 31/08/2022
HORA: 15:00
LOCAL: https://meet.google.com/ajx-frne-bvm
TÍTULO:
A CAMINHO DA SERRA: A Difusão do Turismo em Áreas Serranas do Nordeste Brasileiro e a Crise Sanitária de COVID-19

PALAVRAS-CHAVES:

Crise sanitária. Turismo. Serras. Nordeste


PÁGINAS: 126
RESUMO:

Com a pandemia de Covid-19 e as restrições de deslocamentos aéreos e rodoviários, as destinações localizadas em serras passaram a ser vistas como uma alternativa para as pessoas que queriam uma espécie de refúgio e também para aqueles que, após o período mais crítico de isolamento social, sentiram necessidade de sair de casa e viajar. As serras localizadas próximas aos grandes centros urbanos se constituíram em ambientes favoráveis para uma demanda que buscava fugir das aglomerações urbanas e procurava localidades com características mais rurais, tranquilidade e qualidade de vida, encontradas nas pequenas cidades. Diante da reflexão sobre as repercussões da pandemia nessas áreas, o objetivo da presente pesquisa foi analisar as estratégias de enfrentamento dos agentes públicos e privados frente à crise sanitária decorrente da Covid-19 nas localidades turísticas serranas do Nordeste brasileiro. Optou-se por um estudo descritivo-exploratório para caracterizar e dimensionar o turismo, com abordagem qualitativa e quantitativa, partindo de uma análise das regiões turísticas de serras constantes no Mapa do Turismo Brasileiro no período anterior e durante a pandemia (de 2017 a 2022), com observações em campo e a realização de entrevistas nos municípios de Gravatá (PE), Baturité e Guaramiranga (CE), Martins, Portalegre e Serra de São Bento (RN). As estratégias do setor público para o enfrentamento da pandemia nas destinações analisadas foi no sentido de criar um marco regulatório (leis e decretos), além de barreiras sanitárias. Já o setor privado atuou no sentido de se capacitar e garantir a adoção de medidas e protocolos de biossegurança, principalmente nos estabelecimentos de hospedagem e de alimentação. Embora a pandemia tenha provocado uma suspensão temporária dos serviços, com perdas de empregos e fechamento de empresas, a demanda turística nas serras teve uma discreta alteração, com redução dos grupos, mas os fluxos foram retomados de forma gradual, a partir da própria demanda e da pressão dos empresários do turismo. Apesar da crise, a pandemia também apresentou aspectos positivos, principalmente relacionados aos cuidados sanitários durante as viagens e a preocupação quanto às aglomerações humanas, embora não tenha gerado ações de planejamento que prevejam novos cenários de crises. A pandemia também potencializou a emergência de uma nova destinação turística nas serras potiguares: Polo Serras do Agreste Potiguar.


MEMBROS DA BANCA:
Interna - 2135640 - CAROLINA TODESCO
Presidente - 1149402 - MARIA APARECIDA PONTES DA FONSECA
Externo à Instituição - RODRIGO CARDOSO DA SILVA - IFB
Notícia cadastrada em: 16/08/2022 16:02
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa12-producao.info.ufrn.br.sigaa12-producao