Banca de DEFESA: EDLAMAR SANTANA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : EDLAMAR SANTANA DA SILVA
DATA : 23/12/2021
HORA: 09:00
LOCAL: https://meet.google.com/cuq-nbuw-iiq
TÍTULO:

SUSTENTABILIDADE NOS SISTEMAS TURÍSTICOS: UMA ANÁLISE DE FACETAS E INDICADORES



PALAVRAS-CHAVES:

Sistemas Turísticos; Epistemologia sistêmica; Sustentabilidade; Facetas de sustentabilidade; Indicadores preditivos de sustentabilidade; Codificação dos sistemas turísticos.



PÁGINAS: 196
RESUMO:

O presente estudo objetiva indicar a sustentabilidade nos sistemas turísticos como paradigma investigativo, partindo da hipótese de que este paradigma observa a perspectiva mutável que constitui o fenômeno do turismo, conforme a heterogeneidade da multiplicidade e mutabilidade de suas inter-relações. Considera o contexto e marcadores de aplicabilidade da pesquisa, conforme há uma ruptura da dinâmica global do turismo (Covid-19). Isto implica na capacidade de mensuração de uma nova dinâmica, que força os destinos a “reconfigurações - OMT (2020) para retomada de atividades turísticas. Diante destas implicações o marcador “década da ação” sustentável pela Agenda 2030 -  ONU (2020). Com isto, problematiza-se e objetiva-se estudar de que modo se constitui a sustentabilidade nos sistemas turísticos - paradigmas investigativos, na perspectiva hermenêutica. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, submetida ao método hermenêutico (Gadamer, 1998), que delimita-se alinhando-se os marcadores corpus do conhecimento em turismo (sustentabilidade) e emergência dos sistemas turísticos entre 1960 e 2020. Este estudo apoia-se na teoria da sustentabilidade competitiva Ritchie e Crouch (2003).O campo empírico se constitui de dados primários originados da indexação e codificação dos sistemas investigados por meio de suas facetas de sustentabilidade e dados secundários. Extraídos pela coleta de observatório anual da OMT (2020), resultando no corpus de oitenta e cinco documentos -  comunicados gerais e de ações de sustentabilidade. Quanto aos procedimentos técnicos adotados, utiliza-se análises documentária e análise do discurso - corrente francesa Pêcheux (1997), apoiadas pelo Software Iramuteq versão 0.7. Resultados: em relação à organização e alcance das facetas de sustentabilidade, exceto pelo sistema de Cuervo (1967) os sistemas investigados fundamentam-se nas facetas: econômica, social, ambiental e cultural. Deste modo, a sustentabilidade nos sistemas turísticos se caracteriza pela transcendência dessas facetas entre os sistemas. Ao analisar esta caracterização pela evolução da discussão da sustentabilidade nas plataformas de conhecimento delimitadas, conclui-se o desdobramento dessas facetas evoluindo em parte dos sistemas. Ademais, ao verificar esta evolução com as demandas de sustentabilidade, ocorrem outras limitações no escopo destes sistemas. Quanto às facetas social e ou tecnológica por exemplo, especifique-se o desdobramento desta faceta pelo sistema de Cuervo (1967) em relação aos direitos humanos - jurisdição internacional. Este desdobramento não está claro em nenhum dos sistemas atuais investigados, com isto, observa-se a demanda do “novo código internacional para fornecer maior proteção legal para turistas” OMT (2020). Cite-se outros indicadores da faceta social, em relação à dimensão humana, este escopo foi incorporado por Molina (1991) na perspectiva fenomenológica e em 2017 pelo ecossistema de Beni (teoria da complexidade). Este desdobramento social - caráter humano, eleva a expectativa para os múltiplos indicadores levantados neste estudo, corrobora com a perspectiva do turismo como prática social, na direção “do turismo sustentável em seu reinício” (OMT,2020). Nesta direção, o sistema de Sessa (1988) ao entrelaçar a faceta econômica com a faceta social, oportuniza a perspectiva da transferência de fluxo de renda refletindo o desenvolvimento regional, geração de empregos e reequilíbrios. O que vai ao encontro dos indicadores de sustentabilidade.  Ressalte-se ainda, a faceta cultural pelo sistema de Cuervo (1967) que se desdobra para - o turismo como promotor da comunicação, neste sentido, o turismo como plataforma da cultura da sustentabilidade OMT (2020). Conclui-se a aplicabilidade parcial destes sistemas diante do marcador- década ação sustentável 2020 - 2030. Esta pesquisa contribui com o levantamento de indicadores preditivos na direção do turismo como prática socioeconômica sustentável.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - JULIANA VIEIRA DE ALMEIDA - IFRN
Presidente - 1372521 - MARIA VALERIA PEREIRA DE ARAUJO
Interno - 1149626 - MAURO LEMUEL DE OLIVEIRA ALEXANDRE
Notícia cadastrada em: 07/12/2021 14:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - (84) 3342 2210 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - sigaa13-producao.info.ufrn.br.sigaa13-producao